Dermatologia

Dermatite perianal: principais orientações para atuação na ABS

Dermatite perianal: principais orientações para atuação na ABS

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar Pós Graduação

Entenda o que é a dermatite perianal, as orientações importantes a serem dadas aos pacientes, e como conduzir a terapêutica. Bons estudos!

A dermatite perianal é uma doença inflamatória comum, sendo muitas vezes um desafio terapêutico, em sua forma moderada a grave. Por isso, é fundamental que o médico esteja familiarizado com a atuação da dermatite perianal na atenção básica de saúde.

O que é a dermatite perianal?

A dermatite, de maneia geral, é uma irritação da pele que costuma levar ao prurido.

A dermatite, ou também chamado de eczema perianal, é a causa dermatológica mais comum do prurido anal.

Sendo capaz de ocorrer em qualquer parte do corpo, a dermatite perianal pode causar constrangimentos ao paciente. Por esse motivo, é fundamental que o paciente esteja à vontade para fornecer todas as informações necessárias ao médico.

Causas: o que pode levar à dermatite perianal?

A pele é um órgão que, embora resistente, é sensível e reage ao meio externo. Com isso em mente, muitas são as possíveis causas da dermatite perianal.

Ainda, o eczema anal pode também ser consequência de uma outra disfunção do organismo. Uma das causas que mais levam ao quadro são as hemorroidas, sendo internas ou externas.

Outras possíveis causas da dermatite perianal é a gravidez e a obesidade. A gravidez pode levar ao quadro devido à pressão feita pelo feto sobre as veias inferiores do abdome. Sob a mesma perspectiva, a obesidade também aumenta a pressão nas veias abdominais. Uma dieta pobre em fibras e pouca ingestão de líquidos também é capaz de favorecer a dermatite perianal.

O componente genético também pode colaborar para o desenvolvimento da dermatite perianal, especialmente quando falamos de uma família com casos de hemorroidas.

Outro componente que pode favorecer a doença é a realização do sexo anal, que é capaz de causar fissuras na região anal, rica em vasos sanguíneos.

Quais substâncias irritantes podem levar à dermatite perianal?

Algumas substâncias podem favorecer o quadro de irritação anal. Alguns produtos tópicos aplicados na região podem aumentar a irritação local em cerca de 60% dos casos.

Os produtos que potencialmente mais causam o eczema anal são as pomadas para hemorroidas, quando não bem prescritas, além de corantes e perfumes dos próprios papéis higiênicos.

Outros que comumente estão associados ao quadro são os sprays de higiene íntima feminina, desodorantes locais ou mesmo talco.

Considerando que o eczema é um quadro inflamatório e pró-alérgeno, pacientes com rinite alérgica e/ou asma possuem mais chances de desenvolvê-lo.

Classificações da dermatite perianal

A dermatite perianal pode ser classificado quanto à aparência e evolução da lesão.

A dermatite perianal aguda se inicia com marcas avermelhadas com cistos bolhosos. Esses cistos podem se romper, vertendo um líquido transparente.

Ao avançar do quadro, a fase crônica já se caracteriza após a secagem da secreção. Com isso, são formadas crostas.

Sintomas: como reconhecer a dermatite perianal?

Como comentamos, a dermatite perianal é uma irritação da pele ao redor da região anal. Por esse motivo, o principal sintoma do quadro é, sem dúvidas, o prurido.

O prurido é causado pela dilatação das veias ao redor da região anal. Esse inchaço causa um aumento da tensão das terminações nervosas locais, dando a sensação pruridosa.

A saliência no ânus também é um sintoma comum, além da dor durante ou após a evacuação, devido à inflamação. Devido a esse aumento de pressão, os sangramentos secundários ao rompimento das veias anais podem acontecer e serem percebidos nas roupas íntimas do paciente.

Coceira no anus decorrente da irritação da pele perianal por diversas  causas vestimentas, secreções, medicamentos, emocional e auto-imuni  ilustrada com fotos e links para os blogs de Proctologia e canal de vídeos.  –
Figura 1: Irritação da pele perianal.

Diagnosticando a dermatite perianal

Como comentamos, é fundamental que o paciente se sinta muito confortável para esclarecer os seus sintomas ao médico. Somente assim será possível coletar uma história completa, a fim de que seja levantada a suspeita diagnóstica.

Uma limitação do diagnóstico da doença é o fato de não ser fácil de realizar. Por esse motivo, alguns pacientes precisam ser atendidos várias vezes, até que de fato se alcance um diagnóstico definitivo. É importante, portanto, que seja identificada a etiologia do quadro.

Por isso, na anamnese do paciente com queixa de prurido anal, seja questionado sobre vários hábitos de vida que sabidamente interferem na doença. Assim, questione sobre:

  • Consumo de água e fibras;
  • Uso de medicações contínuas, ou usadas anteriormente para algum outro tratamento;
  • Histórico médico de alergias ou outras doenças atópicas.

Outras informações como a qualidade da higiene perianal é muito importante para entender a possível causa da doença.

Tratamento: como conduzir a terapêutica da dermatite perianal?

O primeiro passo para tratar a dermatite perianal é deixar o paciente à vontade sobre a questão. Somente assim será possível discutir os sintomas, orientar sobre possíveis complicações e ter uma relação médico paciente segura.

Os tratamentos para a dermatite perianal são determinados ao grau da doença. Em casos leves, costumam ser usados cremes de barreira contendo óxido de zinco, de uso tópico.

Em casos moderados ou graves ou, ainda, persistentes, além do uso de cremes de barreira, podem ser usados corticoesteroides. Sendo esse o caso, são indicados os de baixa potência, como hidrocortisona 1%, por um curto período de tempo.

Alguns casos incluem a infecção por Candida albicans e, assim, requer o uso de antifúngicos. O recomendado para essas situações é Nistamina, Clotrimazol ou Miconazol.

Recomendações dar ao paciente com dermatite perianal

É importante que o médico oriente muito bem o seu paciente sobre o quadro. Isso envolve não apenas explicar os cuidados, mas também o que causa a doença, a fim de empoderá-lo e responsabilizá-lo sobre sua saúde.

No caso da dermatite perianal, algumas medidas podem ser explicadas para minimizar os sintomas. Uma dessas medidas é a semelhante dada em casos de hemorroidas, e muito importante: evitar o uso de papel higiênico. Isso significa explicar ao paciente sobre a lavagem bem feita da região anal, com uma secagem cuidadosa e bem feita, com toalha de algodão.

Alguns pacientes podem ficar receosos pela evacuação, até mesmo evitando o quanto podem. No entanto, a necessidade de evacuar existe e não deve ser fonte de temor do paciente. No entanto, é fundamental que o tempo do paciente sentado no vaso sanitário seja apenas o suficiente para evacuar.

A fim de evitar fezes endurecidas, que causem fissuras nos ânus, é importante que o paciente coma bastante fibras e beba uma quantidade razoável de água.

Quando procurar ajuda médica pela dermatite perianal?

O ideal é que o paciente, seja qual for o seu quadro, tome conhecimento da gravidade da sua doença. No caso da dermatite perianal, ela não é classificada como um quadro grave.

Apesar disso, existem algumas situações em que o acompanhamento mais próximo de um médico se fazem necessárias. Por isso, é recomendado que o paciente busque atendimento médico em casos de:

  • Sangramento anal intenso acompanhado ou não de fezes;
  • Sangramento que persiste por uma semana ou mais;
  • Endurecimento da saliência externa que se formou no ânus;
  • Presença de pus na região perianal.

Posts relacionados

Perguntas frequentes

  1. O que é a dermatite perianal?
    O quadro envolve a irritação da região em volta ao ânus, podendo ser causada por diversos fatores. Como principal sintoma, por sua vez, tem-se o prurido anal.
  2. Quais são as possíveis causas da doença?
    São muitos os fatores que podem levar ao quadro. Dentre eles, as substâncias irritativas que podem favorecer os sintomas são sprays íntimos, corantes ou até mesmo componentes materiais do papel higiênico.
  3. Quais são as principais recomendações para os cuidados do quadro?
    Em primeiro lugar, é importante que o paciente prefira o uso de duchas na higiene íntima, em vez do papel higiênico. Além disso, é importante que também seja evitado permanecer muito tempo na mesma posição.

Referências

  1. Dermatite Estreptocócica Perianal. Sónia Fernandes. Revista do hospital de crianças maria pia ano 2008, , vol XVII, n.º 4.
  2. TRATAMENTO DE DERMATITE PERINEAL ASSOCIADA AO USO DE ANTIBIOTICOTERAPIA EM CRIANÇAS. Fatima Ricaczeski. Universidade Estadual do Oeste do Paraná. 2021.
  3. Hemorroidas. Biblioteca Virtual em Saúde. Ministério da Saúde.
  4. Figura 1.