Coronavírus

Dr. Álvaro Costa esclarece as principais dúvidas sobre as vacinas

Dr. Álvaro Costa esclarece as principais dúvidas sobre as vacinas

Compartilhar

Sanar

5 min há 29 dias

O cenário atual da pandemia é cercado de muitas dúvidas sobre as vacinas. Por isso, a vacinação no Brasil será o tema central do Sanarcon 2021. O congresso, que é gratuito e 100% online, acontece no dia 18 de setembro. Para participar do evento, é só acessar o site oficial e se inscrever.

A Sanar conversou com o infectologista Álvaro Costa, que é um dos palestrantes do congresso, sobre a vacinação. O médico esclareceu o principais questionamentos envolvendo a vacina.

Mito ou verdade? Principais dúvidas sobre as vacinas

Mitos

1- Se eu escolher a vacina com base nos estudos de eficácia fico mais protegida(o)? MITO.

Atualmente, não tem nenhuma necessidade de escolher vacina. Todas protegem contra a forma grave da doença. Falar que uma vacina a ou b é melhor é algo muito equivocado.

Afinal, os estudos de eficácia são diferentes uns dos outros. Muda as populações e até a exposição ao vírus. Não tem como comparar. Escolher vacina é um comportamento irresponsável.

2- Se eu tomar a vacina x ou y vou ter efeitos adversos porque meus conhecidos tiveram? MITO.

Qualquer medicação pode trazer efeito adverso, mas existe uma variação muito grande disso para cada indivíduo. No caso das vacinas, a maioria dos efeitos adversos são leves, transitórios e duram no máximo 48h. Além disso, não colocam a vida da pessoa em risco.

Os efeitos graves – como trombose e síndrome de Guillain-Barré – são muito raros. É da ordem de grandeza de um para cem mil. Não deixe que dúvidas sobre as vacinas infundadas te impeçam de se vacinar.

3- Já ter contraído a doença diminui as chances de efeitos adversos? MITO.

Não tem nenhuma relação. Ter ou não efeito adverso é muito imprevisível. É possível não ter após a primeira dose e ter depois da segunda ou vice versa. Também é possível não ter em nenhuma das duas.

Confira os destaques da semana

Verdades

4- Posso pegar Covid-19 e até ter complicações graves da doença após tomar as duas doses da vacina? VERDADE.

As vacinas diminuem a probabilidade de casos graves, internações e mortes por Covid. Mas não tem como ficar 100% seguro. Por isso, precisamos manter o uso de máscaras. E evitar aglomerar.

De acordo com um estudo da Info Tracker, plataforma de monitoramento da pandemia da USP e da Unesp, pessoas completamente vacinadas representaram somente 3,68% de mortes por Covid-19 no Brasil, entre fevereiro e julho.

5- Mesmo com a vacina os idosos continuam sendo o público que corre mais riscos de desfechos graves da doença? VERDADE.

Ainda segundo o Info Tracker, entre os casos registrados pelo estudo, as principais vítimas são idosos com mais de 70 anos. Mas isso não significa dizer que as vacinas não funcionam ou que têm alguma relação com a marca do imunizante.

É que o próprio processo de envelhecimento contribui para as complicações da doença. Até porque os idosos são mais suscetíveis a terem comorbidades.

6- É possível existir uma dose de reforço das vacinas? VERDADE.

Muitos estudos ainda estão sendo feitos para acompanhar a cobertura vacinal e até o surgimento de novas variantes. Inicialmente, o reforço da vacina, será para públicos específicos. Idosos, pessoas com comorbidades ou com algum déficit de imunidade.

Álvaro Costa no Sanarcon 2021: o que esperar?

O médico é referência nacional em infectologia e combate à Covid-19. Álvaro Costa atua na unidade de pesquisa do Centro de Referência em HIV/AIDS.

No Sanarcon, ele vai falar sobre uma “outra pandemia”. A do HIV, doença que atinge cerca de 38 milhões de pessoas no mundo. O tema da sua palestra é “Desafios da vacina para o vírus HIV”.

“Só no Brasil são 40 mil novos casos confirmados por ano. E ainda não temos uma vacina para o HIV. Irei falar no congresso sobre os desafios para o desenvolvimento deste imunizante”, afirmou o médico.

Na palestra o médico falará sobre a importância de ter uma vacina para o vírus HIV. Além disso, Álvaro dará um panorama dos mais de 30 anos de estudo na busca por esse imunizante. E os avanços da ciência neste sentido.

Inscreva-se no Sanarcon para aprender mais sobre o assunto!

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade © Copyright, Todos os direitos reservados.