Coronavírus

Estudo avalia gravidade e impacto da Covid longa

Estudo avalia gravidade e impacto da Covid longa

Compartilhar

Sanar Medicina

3 min há 54 dias

Um estudo recente buscou avaliar a gravidade e o impacto da chamada Covid longa, onde pacientes continuam a experimentar pelo menos um sintoma da infecção pelo novo coronavírus após recuperação da doença.

Como o estudo foi realizado

O estudo foi realizado por meio de pesquisa online, onde dados de mais de 3.000 pacientes foram coletados. 

Os pacientes tiveram duração da doença por mais de 28 dias, e os pesquisadores rastrearam a presença de 66 sintomas ao longo de sete meses.

Além disso, correlacionaram a presença dos sintomas com outras variáveis como impacto na qualidade de vida, no desempenho profissional e no retorno ao estado anterior à infecção.

Resultado: sintomas persistem após meses de Covid

Os resultados do estudo, que abriga um bom número de pacientes na amostra, revela informações muito importantes para o entendimento da Covid longa.

Numa parcela extremamente significativa dos candidatos (91%), o tempo de recuperação chegou a mais de 35 semanas. 

Após o sexto mês, os sintomas persistentes mais frequentes foram: fadiga, mal estar pós esforço e disfunção cognitiva. 

Disfunção cognitiva e a perda de memória tinham distribuição semelhante entre as várias faixas etárias, e tinham elevada frequência (88%).

Além disso, cerca de 86% dos participantes experimentaram recaída dos sintomas, desencadeada principalmente após exercícios físicos, ou estresse físico/mental.

Repercussões da Covid longa

O estudo chama atenção quando considerada a alta frequência de disfunções neurológicas presentes.

Mais de 88% dos entrevistados experimentaram disfunções cognitivas e de memória.

O que este achado aponta é que talvez haja disfunções do sistema nervoso central que merecem investigação mais acurada.

A repercussão da Covid longa no desempenho profissional se traduz em queda significativa do número de horas trabalhadas, além de significativas recaídas associadas ao retorno laboral.

Mais estudos serão necessários para averiguar o nível de qualidade de vida daqueles que experimentam a Covid longa.

A Covid longa é uma síndrome crônica não muito bem estudada, e a atenção direcionada ao assunto talvez ainda esteja aquém do requerido.

Isto porque ainda lidamos com o manejo de pacientes agudos, e as pesquisas necessitarão de tempo de seguimento longo para identificar corretamente e saber tratar as sequelas da Covid. 

Referências

Characterizing long COVID in an international cohort: 7 months of symptoms and their impact – EClinical Medicine

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade © Copyright, Todos os direitos reservados.