Colunistas

Novembro Azul: entenda o que é e o porquê se prevenir | Colunistas

Novembro Azul: entenda o que é e o porquê se prevenir | Colunistas

Compartilhar

Pedro Montes

6 min há 206 dias

Amplamente difundida no Brasil, a campanha publicitária denominada Novembro Azul é uma ação mundial que visa à conscientização e importância de mudança nos hábitos de vida que impactam diretamente a saúde do homem, com ênfase na prevenção e detecção precoce do câncer de próstata.

Dentre os temas abordados, a campanha objetiva educação de hábitos saudáveis, melhora dos hábitos de vida, incentivo à atividade física, atenção para doenças sexualmente transmissíveis, além desmistificar alguns exames ou procedimentos considerados grandes tabus, como o exame de toque retal.

A grande importância dessa campanha é, de fato, a conscientização de que o autocuidado é uma peça fundamental para a promoção da saúde do homem, e que é necessária a introdução de bons hábitos de vida e cuidados rotineiros com a saúde, principalmente com relação à detecção precoce do câncer de próstata.

Atenção especial para o câncer de próstata

A ênfase da campanha no diagnóstico e prevenção do câncer de próstata não é acidental: ele representa, atualmente, o tumor sólido mais comum (excetuando tumores de pele não-melanoma) e também a segunda maior causa de morte, por câncer, no homem.
A campanha chama atenção para os exames rotineiros na saúde masculina, uma vez que aproximadamente 80% dos tumores de próstatas diagnosticados são assintomáticos; quando a detecção ocorre por intermédio de sintomas, geralmente abrangem a doença localmente avançada, com prognóstico reservado.


Quando fazer e quem rastrear?

Apesar de a campanha ter ênfase no câncer prostático, o rastreamento deverá ser individualizado, ou seja, a partir da análise de fatores de risco, poderá ou não ser indicado a realização de exames periódicos para detecção precoce acerca da patologia.
Essa avaliação individual baseada em fatores de risco x screening (teste de rastreio para detecção de uma doença em indivíduo assintomático) se deve ao fato de que alguns estudos demonstraram não haver impacto sobre as taxas de mortalidade, e que houve um excesso de procedimentos invasivos, levando a uma maior morbidade populacional.

Na prática, o rastreio está indicado em pacientes que possuam fatores de risco para o câncer de próstata; além disso, atualmente há uma recomendação da Sociedade Brasileira de Urologia para que pacientes acima de 50 anos (até os 75 anos), mesmo os indivíduos assintomáticos, façam avaliação anual da próstata, por intermédio de exame clínico (anamnese + exame físico), toque retal e dosagem de PSA.

Quais os fatores de risco para o câncer de próstata?

Sabidamente essa patologia é multifatorial, ou seja, diversos pontos contribuem para que ocorra a doença. Dentre os mais importantes, destacam-se:

  1. Etnia: sabe-se que a população negra apresenta maior risco (quase 2x maior) do que brancos e asiáticos. Além disso, a doença costuma ser mais agressiva neste grupo.
  2. Histórico Familiar: quando familiares de 1º grau têm o diagnóstico de câncer prostático, a chance aumenta em 2,2 vezes para um familiar acometido; 4,9 vezes com dois familiares; e até 10,9 vezes com três familiares diagnosticados.

Além desses dois principais, há associação de alguns outros fatores com a patologia, como obesidade, hábitos alimentares com dieta rica em gorduras (carne vermelha e lipídeos), além da idade.

O câncer de próstata aumenta proporcionalmente com a idade, chegando a acometer quase 90% dos homens com mais de 80 anos, em um estudo que realizou autópsia para a patologia. Cerca de 75% dos casos ocorrem com pacientes acima de 65 anos, com pico de incidência sendo entre 60 e 70 anos.


Resumindo: homens negros, com histórico familiar (1º grau) positivo, devem iniciar o rastreio precoce, a partir dos 45 anos de idade.

A dosagem de PSA e o toque retal

Definido o público-alvo da campanha, devemos explicar o que é PSA e porque ele não substitui o toque retal.

O PSA é um antígeno prostático específico, isto é, uma substância que a próstata produz quando tem seu epitélio lesado. Essa lesão pode ser causada por doenças benignas que aumentam o volume da próstata (como a hiperplasia prostática benigna) ou por tumores.

Somente a dosagem do PSA não nos remete à origem do aumento, devendo ser complementada a avaliação pelo toque retal, que serve para avaliarmos não somente a próstata, mas também todo o canal anal, doenças orificiais (como hemorroidas), e em alguns casos, até tumores localizados no reto. Além disso, o toque retal, quando detectadas anormalidades, nos orienta com relação à indicação de uma biópsia prostática.

Autocuidado é igual a saúde

A importância da prevenção e do autocuidado com a saúde do homem, alvo dessa campanha, visa à melhoria da qualidade de vida da população masculina e da detecção precoce do câncer de próstata, que atualmente ocupa uma posição destaque com relação a incidência e mortalidade.
Todos os homens, a partir dos 50 anos de idade (até os 75 anos), devem realizar exames de rotina, incluindo avaliação com toque retal em consulta ao médico assistente. Com fatores de risco bem documentados, em pacientes negros e com histórico familiar de câncer positivo em parentes de 1º grau, o rastreamento deve ser iniciado aos 45 anos, incluindo dosagem de PSA e toque retal.

Desse modo, a campanha Novembro Azul estabelece a promoção do autocuidado como fator principal na saúde do homem, buscando uma melhora na qualidade de vida e no bem-estar social da população masculina.

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto

Gostou do artigo? Quer ter o seu artigo no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe

Referências:

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.