Colunistas

O empreendedorismo social no setor da saúde | Colunistas

O empreendedorismo social no setor da saúde | Colunistas

Compartilhar

O empreendedorismo social é movido pelo impacto causado na sociedade e nas pessoas, buscando solucionar problemas que afligem a vida de muitos como a educação, moradia, saúde, meio ambiente e todas ou quaisquer categorias que marcam a vida moderna.

Hoje, a ideia de conciliar negócios com causas sociais é a tendência para a nova geração que procura um propósito maior em sua carreira profissional. Não é à toa, que as chamadas startups de impacto social têm se multiplicado e colocado a inovação a serviço local e global.

O conceito do empreendedorismo social surgiu nos Estados Unidos e naquele período enfrentava profundas desigualdades sociais. O empreendedorismo social vem crescendo mundialmente a partir da década de 1980, se apresentando como uma forma revolucionária de fazer negócios, pois ao invés de focar somente em riqueza e lucro, propõe soluções que irão resolver problemas sociais relevantes.

Qualquer que seja a ideia que engloba relações comerciais e tenha como meta algum benefício para a sociedade entra na classificação do empreendedorismo social, incluindo modelos com ou sem fins lucrativos, que mesclem com atividades de voluntariado, filantropia e economia solidária. O importante é que o negócio seja motivado por um propósito acima dos lucros, assim como a noção de sucesso seja a contribuição para a construção de um mundo melhor.

Os projetos que têm por finalidade o empreendedorismo social não deslumbram ganhos financeiros, portanto apresentam vantagens de atrair apoio, investimentos e crédito. Afinal, quando uma boa causa inspira a todos que se preocupa com a sociedade, ninguém deseja que esse projeto chegue ao fim, até porque ele também se torna interessantíssimo para as ações de fomento governamental.

É importante ter um entendimento específico sobre o significado, a distinção e a formatação de cada perfil presente no empreendedorismo social, até mesmo para que de forma clara saiba qual o modelo que vai melhor explicitar aquele empreendimento.

Empreendedorismo Social

  • É coletivo e integrado;
  • Produz bens e serviços para a comunidade;
  • Tem o foco na busca de soluções para os problemas sociais e necessidades da comunidade;
  • Sua medida de desempenho é o impacto e a transformação social;
  • Visa resgatar pessoas da situação de risco social e promovê-las, gerar capital social, inclusão e emancipação social.

Responsabilidade Social Empresarial

  • Individual com possíveis parcerias;
  • Produz bens e serviços para si e para a comunidade;
  • Tem o foco no mercado e atende a comunidade conforme sua missão;
  • Sua medida de desempenho é o retorno aos envolvidos no processo Stakeholders;
  • Visa agregar valor estratégico ao negócio e atender expectativas do mercado e da percepção da sociedade/ consumidores.

Empreendedorismo Privado

  • É individual;
  • Produz bens e serviços para o mercado;
  • Tem foco no mercado;
  • Sua medida de desempenho é o lucro;
  • Visa satisfazer necessidades dos clientes e ampliar as potencialidades do negócio.

O perfil do empreendedor social é caracterizado por uma pessoa que seja responsável por idealizar transformações sociais, que busquem informações e as transformem em inovações e que seja carregado de valores e uma postura comprometida com a responsabilidade social.

O empreendedorismo social no Brasil tem suas ações relacionadas a agricultura, reuso de água, alfabetização, inclusão social, direitos humanos, saúde, dentre outros. No âmbito do empreendedorismo social, suas ações veem com o objetivo de provocar um impacto vitalício nas populações mais carente e de baixa renda.

É de fundamental importância o papel do empreendedorismo na melhoria da saúde e na contribuição para o desenvolvimento sustentável.  No Brasil não falta demanda, diariamente, o país enfrenta dificuldades diversas no setor de saúde. O sistema público está sobrecarregado e existe uma grande dificuldade de conseguir tratamentos adequados.

Apesar de ser marcado por diversos desafios, muitas empresas têm nascido com o objetivo de contribuir com soluções inovadoras nas áreas de diagnóstico e tratamento de doenças com uma visão social, atuando como um importante complemento ao sistema público.

PONTOS-CHAVES

  • O empreendedorismo social no mundo dos negócios vem em constante crescimento.
  • A ideia principal do empreendedorismo social surgiu devido à uma profunda onda de desigualdade social nos Estados Unidos.
  • O empreendedorismo social nos ensina uma forma revolucionaria de se fazer negócio, pois essa metodologia não foca somente em riquezas e lucros e sim no impacto que irá ocasionar nos problemas sociais relevantes.
  • O empreendedorismo social no Brasil tem suas ações relacionadas a agricultura, reuso de água, alfabetização, inclusão social, direitos humanos, saúde, dentre outros.
  • Empreendedorismo social é um tipo de plano de negócio no setor da saúde que apresenta estratégias competitivas e inovadoras que busca oferecer um modelo organizacional compacto, simples, versátil para poder ofertar serviços especializados e com acessibilidade as populações especiais.
  • O empreendedorismo social na saúde se apresenta como um ponto crucial de melhoria e contribuição para o desenvolvimento sustentável.
  • Apesar de muitos desafios, existem muitas empresas surgindo com o propósito de inovar no setor da saúde.

Autora: Katty Carolinne Lêdo Vieira Felix

Instagram: @kattyledo

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto

Gostou do artigo? Quer ter o seu artigo no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe:

REFERENCIA BIBLIOGRÁFICA

  • BAGGIO, A. F. et. al. Empreendedorismo: Conceitos e Definições. Revista de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia. v. 1, n. 1, p. 25-38, 2014.
  • SILVA, F. P D. et. al. Empreendedorismo Social – Social Entrepreneurship. Revista Científica FacMais. v. 2, n. 1, p. 104-111, 2º Semestre 2012.
  • SENTANIN, L. H. V. et. al. Conceitos de Empreendedorismo. Revista Científica Eletrônica de Administração. v. 5, n. 9, dez. 2005.
  • DU, J. et. al. Promoting Social Entrepreneurial Organizations: Na Empirical Study of Teacher-Student Co-entrepreneurship. Revista Frontiers in Psychology. v. 11, jul. 2020.
  • LAMBRECHTS, W. et. al. Unraveling the Role of Empathy and Critical Life Events as Triggers for Social Entrepreneurship. Revista Frontiers in Psychology. v. 11, nov. 2020.
  • SKILLERN, J. W. Networks as a Type of Social Entrepreneurship to Promote Population Health. Revista Preventing Chronic Disease. v. 7, n. 6, out. 2010.
  • FÉLIX, S. et. al. Manual Empreendedorismo Social: Uma Abordagem Sistémica. Portugal: AIRO, 2012.
  • AHMETOGLU, G. et. al. The Wiley Handbook of Entrepreneurship. 1ª ed. Estados Unidos: Wiley-Blackwell, 2017.
Compartilhe com seus amigos: