Ciclos da Medicina

Residência em pediatria: subespecialidades, locais, mercado e mais!

Residência em pediatria: subespecialidades, locais, mercado e mais!

Compartilhar

SanarFlix

5 min777 days ago

O que é Pediatria e suas subespecialidades

A pediatria é uma das grandes áreas da Medicina, uma especialidade clínica em sua essência. O pediatra é responsável por realizar a puericultura, que é o acompanhamento da criança desde o seu nascimento até o término da adolescência. Na puericultura o pediatra atua como um vigilante do bom crescimento e desenvolvimento, com um enfoque especial na prevenção de doenças, com estímulo inclusive de boas práticas alimentares e de atividade física.

Além disso, após a residência em pediatria é possível se especializar em áreas de atuação, como Cardiologia pediátrica, pneumologia pediátrica, nefrologia pediátrica etc, bem a semelhança do que acontece na clínica médica. Praticamente todas as subespecialidades que os pacientes adultos encontram dentro da clínica médica nós também temos dentro da pediatria.

A residência

Na maior parte dos serviços a residência de pediatria é de 3 anos de duração.

Nesse período o residente é exposto às diferentes rotinas de trabalho que o pediatra pode ter, como ambulatório, enfermaria, unidade de tratamento intensivo e pronto-socorro e às diferentes áreas de atuação da pediatria, como Neonatologia, Terapia Intensiva, Urgência e todas as especialidades clínicas (Cardiologia, Pneumologia, Nefrologia, Endocrinologia, Neurologia, Hebiatria, Reumatologia, Hematologia, Oncologia, Gastroenterologia, Infectologia, Nutrologia e Alergia e Imunologia).

É no pronto-socorro que o residente vai se deparar com a dificuldade de lidar com os pais e com as doenças agudas mais comuns da pediatria.

No estágio de terapia intensiva, o residente é confrontado com a realidade das doenças graves da pediatria e com escalas de trabalho, por vezes, exaustivas. No estágio de neonatologia o residente é exposto a rotina da sala de parto e aos cuidados intensivos com recém-nascidos, em complexidade crescente conforme avança a sua residência.

Finalmente, no ambulatório o residente entende a rotina das especialidades pediátricas e aprende como realizar uma boa puericultura.

O que analisar para a escolha do local de residência

É importante escolher uma residência que contemple todos os possíveis locais de trabalho do pediatra.

Não adianta fazer residência em um serviço que é muito bom de ambulatório com subespecialidades pediátricas e não ter contato com o atendimento do paciente grave em unidade de terapia intensiva ou não ter contato com recém-nascidos prematuros na neonatologia.

Na medida do possível a residência deve ser a mais completa possível em todas as áreas. Além disso, é importante que o serviço seja rico em casos, ou seja, receba bastante pacientes das mais diversas complexidades, quanto maior a variedade de casos que o residente for confrontado ao longo de sua formação, mais bem preparado ele vai sair para o mercado de trabalho.

Vantagens da pediatria

  • Acompanhar o crescimento e o desenvolvimento infantil
  • Existência de uma relação médico-paciente muito forte, inclusive com os pais
  • A maior parte das doenças é autolimitada e sem muita gravidade
  • Mesmo crianças com doenças crônicas graves tem uma visão muito positiva e bonita da vida
  • Grande variedade de especialidades e áreas de trabalho (serve para todos os gostos: pronto-socorro, medicina intensiva, ambulatorial)

Desvantagens da pediatria

  • Por vezes o pediatra se vê em meio a um fogo cruzado com os familiares e a criança, devendo usar de toda sua habilidade para sair sem atrapalhar a relação médico-paciente
  • O pediatra está na linha de frente do contato com os pais em situações emergenciais, em que os ânimos podem estar exaltados, estando sujeito a sofrer violências verbais, e até, físicas

Mercado de trabalho

Está bom, houve um período em que a pediatria foi preterida pelos médicos recém-formados e o número de pediatras caiu, por isso existem diversas vagas para pediatras tanto em serviços públicos quanto privados com uma boa remuneração por plantão.

A porta de entrada do pediatra para o mercado de trabalho é o pronto-socorro onde, em geral, o pediatra recém-formado trabalha alguns anos antes de conseguir montar seu consultório ou iniciar o atendimento ambulatorial em outros serviços.

É possível viver apenas trabalhando em pronto-socorro, unidades de terapia intensiva, unidade neonatal ou enfermarias, se o desejo for não abrir consultório.

Da mesma forma, também é possível seguir como pediatra geral com atendimento puramente ambulatorial.

No consultório o valor pago pelas consultas de convênio é muito baixo e, por vezes, não cobre o tempo investido no cuidado do paciente.

Considerações finais

A pediatria tem ressurgido como área de interesse em muitos recém-formados.

O aumento dos anos de residência de pediatria geral teve um impacto tanto em fornecer uma formação mais completa para o pediatra geral, quanto em reduzir o número de pediatras que busca a subespecialidade.

Conheça o curso de Pediatria do Sanarflix!

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.