CardiologiaCiclo Clínico

Síndrome Coronariana Aguda X Cardiomiopatia de Takotsubo | Ligas

Qual a diferença?

O que é Síndrome Coronariana Aguda?

Compreende diversas apresentações clínicas decorrentes de isquemia miocárdica, devido à obstrução aguda de uma artéria coronária, que abrange a angina instável (AI), o infarto agudo do miocárdio sem supradesnivelamento de ST (IAMSS-ST) e o infarto agudo do miocárdio com supradesnivelamento de ST (IAMCS-ST).

O que é Cardiomiopatia de Takotsubo?

É uma disfunção transitória do ventrículo esquerdo (VE) após intenso estresse emocional ou físico, na ausência de coronariopatias significantes. É decorrente de uma hipocinesia da região média e acinesia ou discinesia apical associadas à hipercinesia da região basal do VE, com consequente formação de gradiente sistólico intraventricular, tendo como resultado uma redução da fração de ejeção desse ventrículo. Acomete, em 90% dos casos, mulheres em período pós-menopausa, principalmente após estresse emocional.

Diferenciando os sintomas

Sintomas da Síndrome Coronariana Aguda

Dor torácica usualmente prolongada (> 20 minutos), podendo ser desencadeada por esforço físico, estresse ou ocorrer em repouso, usualmente de forte intensidade e com característica opressiva, em aperto, queimação ou peso, e pode estar associada a náuseas, vômitos, sudorese e dispneia.

Sintomas da Cardiomiopatia de Takotsubo

As manifestações clínicas da cardiomiopatia de Takotsubo são semelhantes às da síndrome coronariana aguda, com súbita dor precordial, dispneia, alterações eletrocardiográficas e elevação de biomarcadores de necrose miocárdica, porém, classicamente, sem apresentar obstruções significativas das artérias coronárias à cineangiocoronariografia e reversibilidade das alterações da motilidade ventricular.

Tratamentos

Síndrome Coronariana Aguda

O tratamento da SCA é realizado com suporte clínico, principalmente com monitorização, oxigênio, nitrato, AAS, clopidogrel, betabloqueador, anticoagulante e estatina. O tratamento definitivo é realizado através da reperfusão coronariana por trombólise, angioplastia primária ou cirurgia de revascularização do miocárdio.

 Cardiomiopatia de Takotsubo

            Não existe tratamento específico já que a fisiopatologia da cardiomiopatia de Takotsubo ainda não está esclarecida, mas sabe-se que a doença tem um curso limitado, em que a função cardíaca é normalizada dentro de poucas semanas.

A principal abordagem consiste no suporte hemodinâmico, muitas vezes necessário na fase aguda da doença. O uso de drogas fibrinolíticas, como ocorre no IAM, não está indicado, pois a fisiopatologia da cardiomiopatia de Takotsubo não envolve mecanismos tromboembólicos.

Produzido por:

Liga: Liga Acadêmica de Cardiologia da Paraíba (CARDIOLIGA-PB)

Autores: Nathália Gabrielle Brito Bezerra e Gilvandro de Assis Abrantes Leite Filho

Revisores: Rayanne Kalinne Neves Dantas e Karoline Frazão Bezerra

Orientador: Ivson Cartaxo Braga

Quer ser uma liga parceira da sanar? Clique aqui e saiba mais.

Referências

  1. Issa AFC, Oliveira GMM, Abreu LM, Rocha RM, Esporcatte R; Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro. Manual de Atualização e Conduta: Síndrome Coronariana Aguda (SCA). São Paulo: PlanMark; 2015
  2. Nascimento et al. Manual de Cardiologia para Graduação. 1 ed. Salvador: Sanar; 2018.
  3. Reis JGV, Rosas G. Cardiomiopatia de Takotsubo: um dignóstico diferencial da síndrome coronariana aguda: revisão da literatura. Rev Med Minas Gerais 2010; 20(4): 594-600.
Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar