“Bundle” de 1 hora na sepse|Colunistas

O “bundle” ou pacote de 1 hora refere-se à proposta componente da Campanha Sobrevivendo a Sepse de rompimento da realização da abordagem prévia ao paciente com suspeita de sepse em dois momentos: a do pacote de 3 horas e do pacote de 6 horas, para um único de até 1 hora. Essa nova perspectiva de intervenção contém os mesmos pontos principais incluídos nos pacotes previamente utilizados, apenas alterando suas especificações. A seguir, o texto detalhará tais alterações e seu impacto no tratamento da sepse. Introdução A sepse é compreendida como uma disfunção orgânica decorrente de uma resposta exacerbada do hospedeiro a uma infecção instalada. Apesar de observada uma redução na mortalidade pela sepse no Brasil, esta ainda permanece elevada, atingindo em torno de 50%, além de representar grande parte da ocupação das Unidades de Terapia Intensiva e, assim, um preocupante problema na saúde pública. O que mais mata nas UTIs brasileiras (https://epoca.oglobo.globo.com/saude/check-up/noticia/2017/09/o-mal-que-mais-mata-nas-utis-brasileiras.html) A alta taxa de morbi-mortalidade da sepse exige constantes revisões de práticas empregadas em seu tratamento. Nesse intuito, a Society of Critical Care Medicine (SCCM) em conjunto com a European Society of Intensive Care Medicine (ESICM) lançaram a Surviving Sepsis Campaign (SSC) ou Campanha Sobrevivendo a Sepse de abrangência internacional. A campanha trouxe publicações desde 2004 com orientações sobre as formas mais indicadas de abordagem ao paciente em suspeita de sepse. Até então não tinham sido introduzidas alterações expressivas em tal manejo, entretanto, em 2016, com a publicação de um novo guideline, é apresentada a proposta de um pacote de 1 hora para intervenção. Como era o manejo da sepse? Visando a precocidade em diagnosticar e intervir nos casos de sepse, o seu manejo foi dividido em dois pacotes: um inicial

Mariana Saldanha

5 min há 24 horas

Cigarro reduz chances de COVID-19: fake news?|Colunistas

Todos os dias circulam entre as pessoas milhares de informações e separar as que realmente tem veracidade ou não acaba sendo um trabalho constante. O texto tem como objetivo desmistificar Fake News que perpetuam falsas informações divulgadas na internet e em rede socias, após surgir um estudo no qual sugere que o uso de nicotina seja usada para prevenção no combate ao coronavírus, Covid-19. Estudo Francês e sua metodologia O artigo cientifico foi publicado em 21 de abril de 2020, na qual tinha como objetivo avaliar a correlação do tabagismo diário com a vulnerabilidade de se apresentar uma infecção por SARS-Cov-2. Metodologia Método utilizado foi um estudo observacional através de uma pesquisa transversal no que analisou um grupo de pacientes ambulatorial e internados com Covid-19 em que relatou que fumantes diários tenha uma probabilidade menor de obter infecção. No estudo foram analisados um total de 343 pacientes internados, entre eles, uma taxa de  fumantes de 4,4 % (5,4% homens e 2,9% mulheres) e 139 pacientes ambulatóriais com taxa de fumantes 5,3% (5,1% homens e 5,3 mulheres ). Na população francesa, a taxa de fumantes diários era de 25,4% (28,2% dos homens e 22,9% das mulheres). O resultado do estudo transversal em pacientes ambulatóriais e internados com COVID-19 sugere fortemente que os fumantes atuais tenham uma probabilidade muito menor de desenvolver infecção por SARS-CoV-2 sintomática ou grave em comparação com a população em geral. Confira por inteiro o estudo francês aqui Tabagismo e o Coronavírus O Tabagismo é considerado uma doença crônica no qual a nicotina presente em sua composição causa dependência física e psicológica, e em relação ao

Renan Santana Cipolla

3 min ontem

Farmacologia dos antiplaquetários | Colunistas

1.1 Definição 1.2 Lesão vascular a. Mediadores químicos sintetizados pelas células endoteliais b. Ativação plaquetária/Aglutinação das plaquetas c. Papéis da trombina do tromboxano e do colágeno d. Fibrinólise 1.3 Tratamento/ Inibidores plaquetários a. Ácido acetilsalicílicob. Ticioplina, clopidogrel, prasugel e ticagrelor c. Abciximabe, epitibatida e tirofibana 1.1 Definição Os distúrbios trombóticos incluem infarto agudo do miocárdio, trombose venosa profunda (TVP), embolia pulmonar (EP) e AVC isquêmico agudo. São tratadas com anticoagulantes e fibrinolíticos. Aqui você vai encontrar uma explicação breve sobre a fisiologia dos trombos e da farmacologia de seus medicamentos. 1.2 Lesão vascular Inicialmente ocorre um vasoespasmo no vaso danificado para prevenir perda de sangue adicional. Depois formação de um tampão de fibrina e plaquetas no local. Mediadores químicos sintetizados pelas células endoteliais: Prostaglandinas e óxido nítrico são sintetizados pelas células endoteliais intactas e atuam como inibidores da aglutinação das plaquetas. Prostaglandina atua ligando-se a receptores de membrana plaquetária acoplados a AMPc. Níveis elevados de AMPc estão associados à diminuição no cálcio intracelular—>isso evita a aglutinação das plaquetas. As células endoteliais lesadas sintetizam menos prostaciclinas do que as saudáveis, resultando em menos AMPC —> maior agregação plaquetária. Ativação plaquetária: Os receptores de superfície de plaquetas são ativados pelo colágeno, causando modificação na morfologia das plaquetas e liberação de grânulos contendo mediadores químicos como ADP, tromboxano A2, serotonina, fator de ativação plaquetária e trombina. Resultando na elevação dos níveis de cálcio e

Jaqueline de Faria

3 min anteontem

Neurofisiologia motora e enfermidades associadas | Colunistas

Introdução Movimentos naturais como caminhar, falar e bater palmas ocorrem por conta de sinais enviados do cérebro para os órgãos efetores. Essas ações são muito importantes para o dia-a-dia das pessoas, e por isso é necessário a compreensão dos mecanismos neurais envolvidos no funcionamento do movimento. O músculo esquelético é controlado por diversas áreas anatômicas do sistema nervoso central, são essas: o córtex cerebral (onde se localizam as áreas motoras primárias, suplementares e pré-motora), medula espinhal, cerebelo, formação reticular do bulbo raquídeo, protuberância, mesencéfalo, e os gânglios basais. Córtex motor primário A área do córtex localizada no giro pré-frontal é chamada de córtex motor primário, pois essa área é responsável pela realização de movimentos diretamente relacionados a diversos músculos, tais como, músculos dos braços, das pernas, da face, dos ombros e a maior parte dessa região que está relacionada aos músculos das mãos e da fala. A estimulação de uma região específica do córtex motor primário, envia sinais não apenas para um músculo determinado, apesar de que isso pode acontecer em poucos casos, mas em maior parte esse estímulo induz a excitação de diversos músculos para a realização de um movimento, como o que ocorre na excitação de músculos com o objetivo dos movimentos da fala. Essa área também está relacionada com a aprendizagem de movimentos motores absolutos de força e agilidade mantendo sua capacidade de exercer o movimento sem que se perca a sua característica motora. Área pré-motora Por trás do córtex motor primário a uma distância entre 1-3 cm se encontra a área pré-motora, que engloba funções de estimulação para padrões de movimentos um pouco mais complexos que os estimulados pelo giro pré-frontal, por exemplo para a ação dos ombros e

Mateus Dias Lima

7 min há 3 dias

Doença diverticular – Revisão de literatura | Colunistas

O que são divertículos? São alterações anatômicas da parede intestinal em forma de bolsas externas, detectadas muitas vezes através de exames de imagem e de forma incidental. A maioria dos indivíduos são assintomáticos e em torno de 25% pode ocorrer diverticulose sintomática, sendo então denominada doença diverticular. Doença diverticular do cólon Definição A doença diverticular se caracteriza por protrusões em forma de saco na parede do intestino grosso, é uma das doenças mais comuns detectadas na colonoscopia na população adulta. Os divertículos como já definido, são as alterações anatômicas mais frequentes no cólon humano.  Qual a gravidade da doença diverticular? A gravidade varia desde uma doença não complicada sintomática até uma forma complicada com diverticulite aguda (inflamação dos divertículos) ou hemorragias. Epidemiologia da doença diverticular A prevalência e incidência ‘verdadeiras’ de diverticulose e doença diverticular ainda são desconhecidas, mas a ocorrência aumenta com a faixa etária dos indivíduos. A localização geográfica influencia nos diferentes estilos de vida, ou seja, tipo de dieta e atividade física que são dois determinantes importantes da prevalência da diverticulose. A doença diverticular e suas complicações são um fardo para o sistema de saúde, sendo umas das condições mais comuns nos países ocidentais. Nos EUA a diverticulite sem hemorragia ocorre em 0,3%. A diverticulite é a complicação mais comum da diverticulose, que ocorre em cerca de 10% a 25% dos pacientes. Fisiopatologia A patogênese da doença diverticular é considerada multifatorial e inclui fatores ambientais e genéticos, além da etiologia historicamente aceita da deficiência de fibra alimentar.  Os divertículos do cólon são hérnias da mucosa na camada muscular da parede do cólon através

Kelly Moura Barboza

5 min há 3 dias

Aparelho reprodutor feminino: ovários e tubas uterinas | Colunistas

INTRODUÇÃO As tubas uterinas e os ovários fazem parte dos órgãos genitais internos femininos sendo a – Genitália externa ou vulva: monte de Vênus, grandes e pequenos lábios, espaço interlabial ou fenda vulvar, clitóris e glândulas acessória,que não iremos abordar aqui. Os ovários através de estímulos hormonais produzem os oócitos ,além de produzirem também hormônios sexuais femininos (estrogénios e progesterona) .As tubas uterinas é o principal local de fertilização do óvulo, transportando-o até o útero. OVÁRIOS   São gônadas femininas onde se desenvolvem os oócitos . Também produzem hormônios sexuais(estrogênio e progesterona). Cada ovário é suspenso pelo o mesovário ,parte do ligamento largo do útero.  O ligamento suspensor(passam os vasos sanguíneos, linfáticos e nervos) do ovário, se torna contínuo com o mesovário do ligamento largo. Medialmente no mesovário, um ligamento útero-ovárico curto fixa o ovário ao útero.  Como o ovário está suspenso na cavidade peritoneal e sua superfície não é coberta por peritônio, o oócito expelido na ovulação passa para a cavidade peritoneal. Sua vida intraperitoneal é curta porque geralmente é aprisionado pelas fímbrias do infundíbulo da tuba uterina e conduzido para a ampola, onde pode ser fertilizado Ovocitogênese Os folículos ováricos estão localizados no córtex e são formados por oócitos .Quando possuem uma só camada de células denominam-se,células foliculares. Em um estágio mais avançado são as células granulares(nutem e circundam o oócitos e começam a secretar hormônios ) Os folículos de Graaf(maduro)é um folículo grande cheio de líquido, se rompem e expelem o oócito secundário (ovulação) O corpo lúteo produz progesterona ,estrogenio ,relaxina e inibina até degenerar e viarar um tecido cicatricial (corpo albicante)

Jaqueline de Faria

3 min há 4 dias
Filtrar conteúdos
Filtrar conteúdos
Áreas
Ciclos da medicina
Política de Privacidade © Copyright, Todos os direitos reservados.