Banner referente à publicação Mercado de trabalho para médicos: panorama completo e perspectivas
Mercado de trabalho para médicos: panorama completo e perspectivas
Imagem de perfil de Sanar
Sanar
Banner referente à publicação Tendências: o que vai acontecer com a medicina em 2022?
Imagem de perfil de Sanar
Sanar
Tendências: o que vai acontecer com a medicina em 2022?
Banner referente à publicação Descubra porque vale a pena assinar o SanarFlix!
Imagem de perfil de SanarFlix
SanarFlix
Descubra porque vale a pena assinar o SanarFlix!
Banner referente à publicação Qual especialização médica ganha mais?
Imagem de perfil de Sanar Pós Graduação
Sanar Pós Graduação
Qual especialização médica ganha mais?

Procedimentos que todo médico deve saber | E-book Sanar

Saiu um dos e-books Sanar feito por nossas Ligas ´Parceiras! Com o título “Procedimentos que todo médico deve saber”, o material gratuito conta com 7 capítulos, cada um sobre uma técnica diferente. Entre os assuntos abordados no e-book estão: Acesso Venoso Periférico;Acesso Venoso Central;Cateterismo Vesical de alívio e demora;Paracentese;Coleta de Gasometria Arterial;Anestesias Locorregionais;Drenagem de abscessos. QUERO BAIXAR AGORA! O principal objetivo do material é auxiliar os estudantes de medicina sobre procedimentos técnicos que todo médico deve saber. Foram produzidos com a Comunidade Sanar, diversos e-books com os temas mais relevantes para te ajudar nessa jornada. Todos os autores são Ligas parceiras e Colunistas, com revisores médicos, também professores Sanar. Autores:Luís Filipe Ribas Sousa;Flávia Cunha e Virgínia Carneiro;Izabelle Mota Ramalho Brilhante;Ana Luiza Antony Gomes de Matos da Costa e Silva;Cintia Mendes de Sousa;Maíra Pimenta Freitas Pinto;Amanda Gomes de Oliveira;Francisca Isabelly Maia Chaves;Mikaelly Ancelmo Vasconcelos; Co-autores:Cintia Mendes de Sousa;Hannah Luíza Araújo Rebouças;João Pedro Andrade Augusto;Vinícius Uler Lavorato;Luís Filipe Ribas Sousa. Revisores técnicos:Mayara Leisly;José Antônio Carlos Otaviano David Morano;Lair da Silva Gonçalves;Frederico Augusto Rocha Ferro;Thiago Weiss;Ulysses Fontenele Alexandrino;Geison Vasconcelos Lira;Antonio Leonardo de Oliveira Mota. Revisão Final:Aissa Siqueira de Morais;Vergilius Jose Furtado de Araujo Neto. Veja também: E-book Sanar Guia Prático: Antibiótico para o InternatoRevista Sanar tem tudo que você precisa saber sobre a Covid-19 O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto Gostou da postagem? Quer ter a sua liga postando no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe!

Comunidade Sanar

1 min há 10 horas

Meningococcemia: o que você precisa saber

A meningococcemia é uma infecção causada pela Neisseria meningitidis, sendo responsável por eventos epidêmicos em países desenvolvidos e em desenvolvimento. Por isso, trata-se de uma das doenças imunopreveníveis mais temidas. Epidemiologia Entre crianças e adultos jovens a meningococcemia é, certamente, uma causa relevante de meningite epidêmica e sepse não apenas no Brasil, mas em todo o mundo. Dentre os sorogrupos da N. meningitidis (13), o A é o responsável pela maioria das doenças meningocócicas em países em desenvolvimento. Fatores de risco importantes para a meningococcemia são a desnutrição, pobreza, falta de saneamento básico, doenças imunossupressoras, como HIV, disfunção esplênica e exposição ativa e passiva à fumaça do tabaco. Apesar de o sexo masculino correr um risco maior de infecção do que o sexo feminino, esse último está associado à uma taxa de mortalidade maior do que o primeiro. Transmissão A transmissão da doença meningocócica pode ser através de contato pessoa a pessoa, através de secreções respiratórias de pessoas infectadas, mesmo que assintomáticas. Manifestações clínicas da meningococcemia A doença meningocócica ocorre dentro de cerca de 2 semanas de exposição. Além disso, cerca de 1 em 4 casos da doença meningocócica apresenta septicemia meningocócica, que é a conhecida meningococcemia. Inicialmente, a apresentação típica de meningite por N. meningitidis envolve: Início súbito de febre HipotensãoNáuseasVômitos Cefaleia Diminuição da capacidade de concentração Em casos graves, osteonecrose devido secundária DICMialgias em paciente saudável Sobre a mialgia, pode ser um importante sinal diferencial e, normalmente, intenso.

Sanar Pós Graduação

3 min ontem

Saiba mais sobre o novo tratamento para HIV aprovado pela Anvisa

Venha se manter atualizado(a) sobre o novo tratamento para HIV! A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou um novo medicamento para o tratamento do HIV. Trata-se da combinação de duas substâncias – a lamivudina e o dolutegravir sódico – em um único comprimido. Para a agência, a aprovação representa um avanço no tratamento, já que reúne em uma dose diária dois antirretrovirais. “A possibilidade de doses únicas simplifica o tratamento e a adesão de pacientes”, informou, por meio de nota. De acordo com a bula aprovada pela Anvisa, o novo medicamento reduz a quantidade de HIV no organismo, mantendo-a em um nível considerado baixo. Além disso, o remédio promove o aumento da contagem de cédulas CD4, que exercem papel importante na manutenção de um sistema imune saudável, ajudando a combater infecções. Novo tratamento para HIV: qual é a indicação? O novo medicamento será indicado como um regime complemento para o tratamento da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana tipo 1 (HIV-1) em adultos e adolescentes acima de 12 anos pesando pelo menos 40 quilos, sem histórico de tratamento antirretroviral prévio ou em substituição ao regime antirretroviral atual em pessoas com supressão virológica. O registro foi concedido ao laboratório GlaxoSmithKline Brasil Ltda. que, segundo a Anvisa, apresentou estudos de eficácia e segurança com dados que sustentam as indicações autorizadas. A bula aprovada pode ser consultada aqui. Fonte: Agência Brasil Posts relacionados HIV: Epidemiologia, Fisiopatologia e ClínicaResumo de HIV (Completo) – SanarflixDezembro Vermelho: 135 mil brasileiros convivem com HIV e não sabem

Sanar

1 min ontem

Introdução a síndromes demenciais |Colunistas

 A demência é caracterizada por declínio cognitivo ou modificações comportamentais (neuropsiquiátricas) em relação a um nível prévio de desempenho que causa perda da independência para as atividades de vida diária. A doença de Alzheimer e a demência vascular são as principais formas de demência no idoso, correspondendo a cerca de 80% a 90% das causas. A identificação do declínio cognitivo visa intervir precocemente em causas secundárias e reversíveis, bem como planejar o cuidado dos pacientes com demência. Fatores de risco SedentarismoBaixo escolaridadeIdade avançadaHipertensão ArterialAVC passadoAtividade intelectual empobrecidaPouco contato socialViver sozinhoUso abusivo de substâncias psicoativas como álcool e/ou tóxicas como tabacoGenéticaDoenças crônicas como ateroscleroseDiabetes mellitus e neoplasias que propiciam eventos vasculares patogênicosDoenças infecciosas progressivas como HIV e sífilisbaixo contato social e abandono familiar Classificação e etiologia Existem diversas etiologias que cursam com CCL ou demência, dentre elas, podemos destacar doença de Lewy, doença de Parkinson, demência vascular, HIV e trauma cranioencefálico. Dentre as causas, a mais prevalente é a doença de Alzheimer (DA), sendo responsável por cerca de 50% dos casos de demência. As demências se dividem em dois grupos: demências com comprometimento estrutural do sistema nervoso central (SNC), que se subdivide em primária e secundária. Demência é a manifestação principal: doença de Alzheimar, demência frontal, doença de Pick, demência por Corpos de Lewy, degeneração córtico-basal. Demência pode ser a manifestação principal: doença de Parkinson, doenças de Hutington, paralisia supranuclear progressiva, degeneração espinocerebelares. Secundárias são demência associada a: doença cérebro-vascular, tumores, neuroinfecções, hidrocefalia. Demências sem comprometimento estrutural do SNC: Causas metabólicas: carência de vitamina B12 e/ou folato, demência dialítica. Causa endócrinas: hipotireodismo. Etiologia

Camila Luciano

3 min ontem

Infecção no acesso venoso central: como prevenir?

A infecção é uma complicação comum no acesso venoso central. A sua grande importância está relacionada a aumento do tempo de internação, risco duas vezes maior de morte pós-procedimento, além de ser uma dos principais representantes de infecção hospitalar no Brasil. Sintomatologia da infecção no acesso venoso central Os sinais e sintomas variam bastante a depender do sítio de acesso, localização e gravidade da infecção. Infecção sistêmica no acesso venoso central Quando há disseminação hematogênica, o paciente pode apresentar febre, calafrios, prostração e instabilidade hemodinâmica. Esses podem ser sinais de bacteremia, sepse, endocardite ou presença de embolia séptica. Figura 1: Infecção sistêmica no acesso venoso central. Fonte: < https://bit.ly/3xudYQd >. Infecção local no acesso venoso central Ocorre quando somente o sítio de saída do cateter é afetado, sem haver disseminação dos microrganismos pela corrente sanguínea. Figura 2: Infecção local no acesso venoso central. Fonte: < https://bit.ly/3xudYQd >. Nesse caso, pode-se notar dor local, edema, eritema, hipertermia e secreção purulenta. Prevenção de infecção Educação e treinamento É essencial que toda a equipe de saúde, desde os profissionais que inserem o cateter até os que cuidam dele após o procedimento, sejam capacitados acerca da antissepsia, assepsia, técnica de punção e os demais cuidados necessários durante todo período de internamento. Tipo de cateter e sítio de inserção A escolha do tipo de cateter e a veia central a ser puncionada deve levar em conta o objetivo do procedimento, bem como a duração prevista e possíveis complicações que possam ocorrer.

Sanar Pós Graduação

3 min ontem

Casos de falsos médicos e de exercício ilegal da medicina seguem em alta no Brasil

Casos de falsos médicos e de exercício ilegal da medicina são frequentes em todos os estados brasileiros. Em 2021, apenas no Rio Grande do Sul 47 denúncias foram encaminhadas para o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul (Cremers). Os casos envolvem situações criminosas de: Clonagem e utilização indevida de dados pessoais de médicos legalmente registrados Falsificação de diploma de curso superiorEstudantes de medicina atuando como formadosProfissional de outra área da saúde realizado atividades que apenas um médico pode fazer. Na Bahia, o jornal Correio já publicou uma série de reportagens sobre o assunto este ano. Em agosto, a Polícia Federal de Vitória da Conquista descobriu cinco falsos médicos trabalhando no sudoeste da Bahia. Além de ser crime, esse tive de situação pode trazer consequências graves. Diagnósticos errados podem comprometer a saúde de pacientes e até mesmo levar à morte. Por isso, é importante ficar atento(a) e saber como denunciar esses casos. O que são considerados casos de exercício ilegal da medicina? O crime de exercício ilegal da medicina, odontologia ou farmácia está previsto no artigo 282 do Código Penal. A conduta criminosa é descrita como sendo o ato de exercer as mencionadas profissões sem autorização do órgão competente ou fora dos limites impostos pela legislação. A pena prevista é detenção de 6 meses a 2 anos. São casos de exercício ilegal da Medicina: Aquele que utiliza documento de outro médico ou diploma falso; Profissional que formou no exterior, mas não fez o revalida;Profissional de outra área da saúde e que exerce atividade exclusiva de médico;Terapeutas holísticos, “médiuns” e derivações que prometem curas e tratamentos fora

Sanar

4 min ontem

BCG: Resumo com mapa mental | Ligas

Definição O Mycobacterium tuberculosis é um complexo formado de diversas espécies sendo elas: M. bovisM. tuberculosisM. microti A maioria das infecções decorre do M. tuberculosis, o qual é um bacilo que não origina esporos, não possui flagelos e que não produz toxinas. É uma espécie aeróbica estrita, que usa oxigênio no seu crescimento e multiplicação, a qual é classificada como um parasita intracelular facultativo. Epidemiologia de Tuberculose Comumente o número de casos em homens é o dobro quando comparado aos casos em mulheres. Vale ressaltar ainda, que indivíduos em situação de vulnerabilidade que vivem em grandes centros urbanos possuem taxas de incidência maiores do que a média populacional. Ademais, a população carcerária apresenta 25 vezes mais casos, os portadores de HIV/AIDS apresentam 30 vezes mais casos, e indivíduos em situação de rua apresentam 67 vezes mais casos quando comparados a população geral. Transmissão A via respiratória é por onde ocorre a transmissão da tuberculose. Primo-infecção – Primeiro contato com o M. tuberculosis Ao receber pela primeira vez uma carga infecciosa de bacilos, caso os bacilos consigam atingir a periferia dos pulmões ao vencer as defesas das árvores respiratórias, os bacilos são capazes de se multiplicar, o que gera uma reação inflamatória exsudativa do tipo inespecífico, classificada como benigna. Microscopia eletrônica do bacilo da tuberculosefonte: https://agencia.fiocruz.br/pesquisa-investiga-fator-genético-de-proteção-à-tuberculose Sinais e sintomas da Tuberculose Quando ativa o indivíduo com tuberculose pode apresentar: Tosse com duração de três ou mais semanas;Expectoração com sangue;Dor de garganta;Perda de peso;Fadiga;Em alguns casos febre;Perda de apetite.  Diagnóstico de Tuberculose O diagnóstico de

Residência médica no Hospital Santa Teresa

Saiu o edital de residência médica 2022 do Hospital Santa Teresa!!! Confira neste post tudo o que você precisa saber para tornar-se um residente da instituição em 2022!!! Cronograma do edital 2022 Confira abaixo as principais datas do concurso: Período de inscrições: 15/11/2021 a 14/12/2021;Taxa de inscrição: R$ 350,00;Prova Objetiva: 07/01/2022;Divulgação do gabarito: 07/01/2022;Envio do Currículo: 18/01/2022 a 26/01/2022;Resultado da análise curricular: 07/02/2022;Resultado final: 17/02/2022;Matrícula: 21/02/2022 a 25/02/2022; O processo seletivo O concurso constará de duas etapas: primeira etapa com prova objetiva e segunda etapa consistindo em análise de currículo. A prova objetiva terá caráter eliminatório e classificatório, com valor final de 90 pontos, sendo composta de 100 (cem) questões objetivas, cada uma com o valor de 0,9 pontos, com duração de 4 (quatro) horas. A mesma versará sobre os conteúdos de Clínica Médica, Cirurgia Geral, Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia e Medicina Preventiva e Social. As provas para especialidades com pré-requisito serão compostas de 40(quarenta) questões, cada uma com o valor de 2,25 pontos, com duração de 2 (duas) horas. A mesma versará sobre os conteúdos de cada especialidade. As inscrições podem ser realizadas no site da UNIFASE. Vagas oferecidas no edital 2022 O Hospital Santa Teresa oferecerá, para o ano de 2022, vagas de residência médica em especialidades com acesso direto, bem como naquelas com necessidade de pré-requisito. Confira abaixo: Acesso direto Especialidade com pré-requisito Confira também: Bolsa

Sanar Residência Médica

1 min anteontem

Tire 10 nas provas da faculdade

Estude com as melhores aulas de professores padrão USP onde você estiver no SanarFlix.

Vídeo-aulas

Resumos

Mapas mentais

Fluxogramas

Questões comentadas

Cancele quando quiser