Farmacologia

Antidepressivos tricíclicos: Definição, posologia, contraindicações e mais.

Antidepressivos tricíclicos: Definição, posologia, contraindicações e mais.

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar Pós Graduação

O iminodibenzil, composto que deu origem aos Antidepressivos tricíclicos (ADT), foi sintetizado por Thiele e Holzinger em 1891. São chamadas de “drogas sujas”, pois suas propriedades antidepressivas foram descobertas ao acaso, sendo inicialmente testadas como possíveis anti-psicóticos. Contudo, os vários derivados desse composto só foram testados na década de 1940.

Mesmo esses compostos sendo conhecidos a mais de 100 anos, os antidepressivos tricíclicos (ADTs; imipramina, desipramina, amitriptilina, nortriptilina, clomipramina) ainda são amplamente utilizados.

Os ADT resultam da modificação do núcleo fenotiazínico. A imipramina, o primeiro e o principal representante dos ADT, possui estrutura
semelhante à da clorpromazina, sendo o enxofre dessa substituído por
uma ponte etilênica. A diferença encontra-se, portanto, no ciclo mediano,
e as cadeias laterais de ambas são idênticas.

Formulas estruturais dos principais representantes dos antidepressivos tricíclicos.
Fórmulas estruturais da clorpromazina e da imipramimi

Quais as drogas

  • Imipranina: em doses baixas pode ser usada para tratar incontinência urinária e dor crônica. A dose antidepressiva é de 75mg.
    • Tofranil: 35mg – 75mg.
  • Clomipramina: dose antidepressiva a partir de 75mg.
    • Anafranil: 10mg – 25mg – 75mg.
  • Amitriptilina: dose antidepressiva a partir de 75mg. em doses baixas, pode ser usada para tratamento de dor crônica, como enxaquecas, neuralgias.
    • Typtanol: 25mg – 75mg.
  • Nortriptilina: dose terapêutica partir de 50-75mg.
    • Pamelor: 10mg – 25 mg- 50mg – 75mg.
  • Moprotilina:75mg.
    • Ludiomil: 25 – 75mg.

Farmacocinética

Os ADT são rapidamente absorvidos após administração oral. Em geral, após um período de 4 horas, a absorção é praticamente completa. Ligam-se em altas proporções às proteínas sanguíneas (75-97%), principalmente à alfa-1-glicoproteína ácida. Concentrações elevadas são
encontradas no cérebro e em outros órgãos.

Após administração oral, mesmo que ocorra absorção completa no intestino, apenas uma fração da droga administrada estará disponível biologicamente. A baixa disponibilidade é atribuída, num primeiro tempo, ao efeito de primeira passagem. O fígado é o órgão mais importante para a metabolização dos ADT. Existe grande variabildade interindividual, seguramente de origem genética, do efeito de primeira passagem.

A meia-vida dos ADT é da ordem de 20 a 30 horas, e o estado de equilíbrio plasmático (steady-state) é alcançado depois de cerca de 5 meias-vidas, isto é, em tomo de I semana ou mais.

Os ADT são altamente lipossolúveis, sofrendo biotransformações hepáticas, principalmente em compostos hidrossolúveis, que são eliminados por via renal.

Farmacodinâmica

O efeito imediato dos ADTs é bloquear a captura das aminas pelas terminações nervosas, por competição pelo ponto de ligação do transportador de aminas. A maioria dos ADTs inibe a captura de norepinefrina e de 5-HT, mas tem muito menos efeito sobre a captura de dopamina. Sugere-se que a melhora dos sintomas emocionais reflita principalmente aumento na transmissão mediada por 5-HT, enquanto o alívio dos sintomas biológicos resulte da facilitação da transmissão noradrenérgica. A interpretação torna-se difícil pelo fato de os
principais metabólitos dos ADTs possuírem considerável atividade farmacológica (em alguns casos mais que a do fármaco de origem) e costumarem diferir do fármaco de origem com respeito à sua seletividade pela norepinefrina/5-HT.

Efeitos adversos

Efeitos anti-colinérgicos:

  • Olhos: geram midríase (uma vez que há inibição do sistema nervoso autônomo parassimpático e consequente estímulo simpático), com dificuldade de acomodação visual;
  • Efeitos gastrointestinais: redução dos movimentos peristálticos, causando obstipação (atenção para idosos);
  • Sistema urinário: contração do esfíncter vesical, com retenção urinária (atentar para HPB e idosos).

Efeitos anti-alfa-1-adrenérgico:

  • Hipotensão postural (cuidado com idosos – risco maior de quedas);
  • Redução da libido.

Efeitos anti-histamínico:

  • Sonolência;
  • Aumento do apetite;
  • Ganho de peso.

Efeitos no sistema cardiovascular:

  • Doses baixas: efeito antiarrítmico;
  • Doses elevadas: efeito arritmogênico;
  • Bloqueios Atrioventriculares: manifestados no ECG pelo aumento do intervalo PR.

Contraindicações

Glaucoma de ângulo estreio, BAVT, BRE e BRD, hiponatremia.

Interações medicamentosas

Os ADTs têm particular probabilidade de causar efeitos adversos quando administrados juntamente com outros fármacos por depender do metabolismo hepático.

DiminuemAumentam
ÁlcoolCloranfenicol
BarbitúricosCorticosteroides
CarbamazepinaDissulfiram
Contraceptivos oraisFluoxetina
FumoMeperidina
GlutetimidaMetilfenidato
Hidrato de cloralMorfina
Neurolépticos
Drogas que modificam os níveis plasmáticos dos ADT

Toxicidade aguda

Os ADT podem ser perigosos se utilizados em quantidades excessivas. As tentativas de suicídio são frequentemente mortais com doses elevadas e na ausência de tratamento precoce.

Os principais efeitos são sobre o sistema nervoso central e o coração. O efeito inicial da superdosagem de ADT é causar excitação e delírio, que podem ser acompanhados de convulsões. Isso é seguido de coma e depressão respiratória, durando alguns dias. Os efeitos atropínicos são pronunciados, incluindo boca e pele secas, midríase e inibição do intestino e da bexiga. Os anticolinesterásicos eram usados para contrapor-se aos efeitos atropínicos, mas já não são recomendados. São comuns as arritmias cardíacas, e pode ocorrer morte súbita (rara) por fibrilação ventricular.

Posologia

Devemos prescrever com aumento gradativo da dose, incialmente em doses baixas, devido aos potenciais efeitos colaterais. Iniciamos com dose diárias de 25 – 50 – 75mg. Esse aumento geralmente se dá a cada 4 dias, mas pode variar a depender da tolerabilidade do paciente.

Peculiaridades

Apesar de fazerem parte de uma mesma classe, esses antidepressivos apresentam algumas diferenças entre si:

  • Imipramina: inibe serotonina e noradrenalina;
  • Clomipramina: inibe apenas serotonina;
  • Amitriptilina: inibe serotonina e noradrenalina;
  • Nortriptilina e maprotilina: inibe noradrenalina.

Saiba mais sobre Psiquiatria!

Seu sonho é ser psiquiatra e prestar prova de título? Mas qual a melhor forma de se aprofundar?

Perguntas Frequentes:

1 – Quais as propriedades dos antidepressivos tricíclicos?

Os ADT são altamente lipossolúveis, sofrendo biotransformações hepáticas, principalmente em compostos hidrossolúveis, que são eliminados por via renal.

2 – Quais as contraindicações ao uso de antidepressivos tricíclicos?

Glaucoma de ângulo estreio, BAVT, BRE e BRD, hiponatremia.

3 – Quais os principais alvos em caso de toxicidade por tricíclicos?

Os principais efeitos são sobre o sistema nervoso central e o coração.