Carreira em Medicina

Distúrbios de aprendizagem e seus diagnósticos diferenciais

Distúrbios de aprendizagem e seus diagnósticos diferenciais

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar Pós Graduação

Os distúrbios de aprendizagem são tópicos cada vez mais discutidos nos últimos tempos, devido a sua relevância e, sobretudo, prevalência na nossa sociedade.

Por isso, é importante saber reconhecer os distúrbios de aprendizagem e saber realizar o diagnóstico diferencial das condições relacionadas à ela.

Identificação dos distúrbios de aprendizagem

Os distúrbios de aprendizagem são um grupo heterogêneo de transtornos caracterizados pela falha inesperada de um indivíduo em adquirir, recuperar e usar informações com competência. 

Os resultados disso podem ser refletidos no desempenho acadêmico em leitura, escrita ou matemática em um nível inferior ao esperado para o potencial intelectual do indivíduo.

Distúrbio de aprendizagem da Dislexia

A dislexia muitas vezes é usado como sinônimo da dificuldade de leitura.

Além disso, pode ser descrita como uma deficiência no reconhecimento preciso e/ou fluente de palavras por habilidades de ortografia.

Com isso, as pessoas com dislexia têm dificuldade de correlacionar precisamente sons e as palavras ortográficas, bem como a diferenciação entre direita e esquerda.

A fim de identificar esse distúrbio de aprendizagem no seu paciente, são necessários uma anamnese detalhada, além da aplicação de testes psicoeducacionais, como, por exemplo:

  • teste ortográfico;
  • escrita;
  • processamento e uso da linguagem;
  • desenhar;
  • posicionamento adequado do lápis.

A fim de tratar a dislexia deve-se avaliar o desenvolvimento de cada criança. A partir disso, definindo as suas principais dificuldades, se tem um trabalho direcionado.

De maneira geral, são implementadas medidas corretivas e a alfabetização como conhecemos, como juntar sílabas e formar palavras.

Diagnóstico diferencial de dislexia

Algumas causas secundárias podem causar confusão no diagnóstico da dislexia, como:

  • Deficiência auditiva ou visual;
  • Expectativas dos pais ou escolas que são discordantes com as habilidades do aluno;
  • Toxinas (por exemplo, envenenamento por chumbo, exposição fetal ao álcool);
  • Doença emocional (por exemplo, depressão, ansiedade, baixa auto-estima, baixa auto-imagem);
  • Privação ambiental ou educacional (falta de exposição a livros e leitura; instrução inadequada em habilidades de pré-leitura e leitura; ausência escolar frequente relacionada a doenças crônicas).

Todas as condições acima, portanto, podem ser facilmente diferenciadas durante uma história clínica ou exame físico detalhados.

Distúrbio de aprendizagem do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)

o TDAH é uma condição muito comum na infância e na adolescência. No entanto, é importante saber que muitos dos adultos diagnosticados não apresentaram a condição durante a infância.

Nessa faixa etária, os sintomas incluem desatenção, impulsividade e inquietação. Como resultado disso, tem-se um prejuízo funcional grande, tato ocupacional e acadêmico quanto social. Assim sendo, no ambiente de trabalho os pacientes com TDAH correm maior risco de acidentes, traumas e lesões no local de trabalho, principalmente acidentes de trânsito.

Quanto à epidemiologia desse distúrbio de aprendizagem, segundo estudos, ficou claro que se relaciona com outros transtornos psiquiátricos. Dentre eles, estão elencados os transtornos de:

  • Humor;
  • Ansiedade;
  • Por substâncias;
  • Explosivo intermitente.

Manifestações clínicas específicas no distúrbio de aprendizagem do TDAH

Como comentado, adultos com TDAH tendem a ter um comportamento de inquietude, desatenção e impulsividade. No entanto, como esses comportamentos podem ser representados na prática?

Considerando a inquietude – relativa à hiperatividade -, tem-se uma pessoa que constantemente se encontra entediado com a vida e a rotina, buscando a todo momento novas experiências, sem ter necessariamente encerrado a anterior.

Outro comportamento comum das pessoas com TDAH que reflete a sua inquietude é a prolixidade de sua fala, quando se poderia fazer muito mais objetivo.

Quanto à desatenção, é comum que os pacientes com TDAH, sejam procrastinadores, além de terem dificuldade de tomar decisões. Outro ponto importante é a dificuldade em gerir bem o tempo, ao elencar tarefas importantes a serem feitas.

Diagnóstico diferencial de TDAH

O diagnóstico diferencial de TDAH inclui outras condições que, comumente, são comorbidades associadas a esse transtorno, como o de humor e de ansiedade.

Por esse motivo, ao dar o diagnóstico de TDAH, o clínico deve ter conhecimento das características de outros que se sobrepõem ao TDAH, com sintomas cognitivos proeminentes. Dentre eles:

  • Depressão: compartilha com os transtornos depressivos uma capacidade diminuída de pensar ou se concentrar, pouca motivação para realizar muitas atividades e indecisão. Assim, a depressão pode ser distinguida do TDAH em adultos por um início tipicamente tardio e um curso episódico.
  • Mania: distração, a impulsividade e o aumento da fala são características compartilhadas entre o TDAH e a mania. Especialmente nos adultos, a mania pode ser distinguida do TDAH em adultos também por um início tipicamente tardio e um curso episódico.
  • Transtorno de ansiedade: frequentemente se encontra acompanhando o diagnóstico de TDAH. Em contraste com o TDAH, a distração com um transtorno de ansiedade ocorre apenas na presença do foco desse transtorno. Como exemplo, quando o paciente está experimentando pensamentos obsessivos no TOC ou está preocupado com a ideação autoconsciente na fobia social.

Perguntas frequentes

  1. Qual é o tratamento para o TDAH?
    O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade não tem cura. Por isso, os tratamentos disponíveis buscam amenizar de forma considerável os efeitos da síndrome.
  2. Como a dislexia é causada?
    Podem estar relacionadas a fatores genéticos, desenvolvimento tardio do sistema nervoso central ou comprometimento da comunicação de alguns neurônios.
  3. Quais são os subtipos da dislexia?
    Dislexia visual, auditiva e mista.

Referências

  1. Specific learning disabilities in children: Clinical features. L Erik von Hahn, MD. UpToDate
  2. Attention deficit hyperactivity disorder in adults: Epidemiology, pathogenesis, clinical features, course, assessment, and diagnosis. Oscar Bukstein, MD. UpToDate