Carreira em Medicina

Saiba como fazer um planejamento de carreira médica bem-sucedido

Saiba como fazer um planejamento de carreira médica bem-sucedido

Compartilhar
Imagem de perfil de Especialização Médica

“Como fazer o planejamento da minha carreira médica?”. Essa é uma dúvida comum entre os profissionais de medicina independente de qual seja a etapa da carreira. Afinal, após a inserção no mercado de trabalho vem sempre dúvidas de quais são os próximos passos, de como ter sucesso, melhorar os ganhos e até mesmo sobre como vencer a concorrência. 

O objetivo deste texto é servir como um guia quando o assunto for planejar a carreira. As orientações são do Dr. Giuseppe D’Ippolito, radiologista e coordenador da Educação Médica em Diagnóstico por Imagem do Fleury Medicina e Saúde. 

Carreira médica: o que esperar do mercado de trabalho brasileiro? 

O número de faculdades médicas no Brasil mais do que dobrou nos últimos 20 anos. Atualmente, são mais de 330 escolas no país. Esse cenário contribuiu para que o número de médicos ativos ultrapasse 500.000 (e a expectativa é que supere um milhão em 2035), segundo dados da Demografia Médica 2023

A relação de médicos por habitantes é de 2,4 médicos para cada 1.000 habitantes. Porém, a distribuição desses profissionais tem deixado a desejar. Há estados, como o Pará, em que a proporção é de 1,1 médicos para cada 1.000 habitantes. 

A desigualdade na distribuição dos médicos também pode ser observada entre capitais e interior.

Com tantas escolas médicas funcionando e profissionais ativos, aumentou o número de vagas de trabalho? A resposta é sim, mas isso não é motivo de comemoração. Isso porque o crescimento das vagas não foi acompanhado por uma elevação da renda médica dos médicos. Houve uma queda de 12% entre 2012 e 2020. Vale ressaltar que algumas especialidades foram mais afetadas do que outras e teve aquelas que prosperaram. 

Diante desse cenário, o profissional de medicina precisa se preparar para encarar um mercado cada vez mais competitivo e que constantemente muda. Para isso, a educação continuada pode ser a chave do sucesso. 

O Dr. Giuseppe D’Ippolito reforça que na carreira médica é preciso se habituar a investir continuamente nos estudos e em se aprimorar profissionalmente. 

Por onde começar o planejamento de carreira médica? 

O primeiro passo é entender que a carreira é definida como a trajetória profissional, o conjunto de experiências acadêmicas, pessoais e profissionais que norteiam o nosso caminho no mundo do trabalho.

Em seguida, é importante o profissional entender as áreas da medicina mais promissoras dentro das que mais atraem ele profissionalmente. Com base nisso, é possível se aprofundar em quais competências e conhecimentos são necessários para se inserir em uma determinada área.  

Passos indispensáveis para montar um bom plano de carreira médica

O Dr. Giuseppe D’Ippolito, com base em leituras de especialistas no assunto e em suas próprias experiências, listou passos indispensáveis para fazer o planejamento da carreira. Confira:

  1. Busque conhecer e entender o mercado de trabalho médico e as suas novidades; 
  2. Desenvolva seu autoconhecimento e saiba definir o que é importante para você; 
  3.  Busque orientação de profissionais mais experientes e, se possível, escolha um como mentor; 
  4. Valorize a criação e o desenvolvimento de conexões; 
  5. Tenha objetivos definidos do que pretende fazer e/ou alcançar e estabeleça uma previsão de tempo para concretizar; 
  6. Esteja preparado(a) para se arriscar; 
  7.  Organize sua rotina para ter momentos com a família e amigos; 

Leia também o nosso conteúdo sobre habilidades essenciais para ser um médico de sucesso!

Planejamento de carreira médica: como escolher a especialidade e o local para trabalhar? 

As decisões sobre a especialidade médica e como escolher uma vaga de emprego vão ter uma grande influência no andamento de como será a evolução profissional. 

Para o Dr. Giuseppe D’Ippolito, quando o quesito for escolha da especialidade, é preciso levar em conta fatores como: 

  • Forte interesse pessoal,
  • Como anda o mercado de trabalho para aquela especialidade,
  • Rotina de trabalho da especialidade (horários de trabalho, locais de atuação, desafios diários),
  •  Perspectiva de estabilidade profissional.

Leia também: como fazer a escolha da especialidade?

Com relação ao processo de escolha por uma posição profissional, a orientação principal é ir além de olhar apenas para remuneração, localização do trabalho e a proximidade com a família. 

O profissional deve se questionar sobre: 

  • Quais são serão as atribuições e responsabilidades? 
  • Tem benefícios agregados (férias, bônus, apoio para capacitação e desenvolvimento, etc)?
  • Será possível estabelecer conexões profissionais valiosas? 
  • Qual é a reputação do local que tem oferecido a vaga?
  • Os valores da instituição combinam com meus valores de vida?
  • A instituição investe em educação continuada e em pesquisa?

Após encontrar respostas para essas perguntas, o profissional deve colocar tudo na balança. Uma coisa é certa: “Quanto mais respostas afirmativas, maior será a probabilidade de fazer a escolha certa”

Como desenvolver minha carreira médica? 

Quer potencializar sua carreira médica? Você pode atuar no Grupo Fleury. Fundada em 1926, a empresa presta serviços médicos e de medicina diagnóstica. O grupo oferece 3.500 tipos de exames em 37 áreas diagnósticas.

Atualmente, o Grupo Fleury conta com 338 unidades de atendimento distribuídas em 10 estados brasileiros, além do Distrito Federal, e 20 centros de processamento de exames em hospitais. 

Trabalhar no Grupo Fleury traz uma série de benefícios para o profissional, entre elas a possibilidade de aprimoramento constante das habilidades médicas e a credibilidade de trabalhar em um local que preza pela precisão e rapidez nos diagnósticos. 

[QUERO TRABALHAR NO GRUPO FLEURY]

Fonte principal do artigo: Dr. Giuseppe D’Ippolito

Sobre o autor do texto: Giuseppe D’Ippolito – Radiologista e coordenador da Educação Médica em Diagnóstico por Imagem do Fleury Medicina e Saúde. Livre Docente e Professor Associado do Departamento de Diagnóstico por Imagem da Escola Paulista de Medicina- UNIFESP. PhD pela Harvard Medical School e com MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Dom Cabral.

Referências do artigo 

Sugestão de leitura complementar

Esses artigos também podem ser do seu interesse: