Outros

Segurança nas emergências médicas: como desenvolver

Segurança nas emergências médicas: como desenvolver

Compartilhar
Imagem de perfil de Carreira Médica

Apesar de existir a área Medicina de emergência, a segurança nas emergências médicas deve ser desenvolvida por todo médico generalista. Isso se deve ao compromisso do médico com a Saúde, independentemente do contexto. Seja em um plantão, seja em um cinema, emergências médicas podem surgir, exigindo conduta de qualquer médico presente.

Lidar com uma emergência médica com segurança, calma e precisão não é tarefa fácil. Naturalmente temos uma descarga de adrenalina que pode dificultar o raciocínio claro. Além disso, a responsabilidade de lidar com uma vida não ajuda nem um pouco. Então, o que fazer?

1º: Estudar os problemas que levam às emergências

Assim como tudo na Medicina, a segurança para atender emergências é desenvolvida com base em construção de conhecimentos. Antes de saber o que fazer com um paciente com hemorragia digestiva alta, é importante entender o que é essa tal HDA. Isso significa estudar fisiopatologias.

Entender os caminhos que os problemas traçam pelo organismo torna mais simples o entendimento dos fluxos e condutas. Não só isso: facilita também o controle da descarga de adrenalina. Conhecendo a causa, sua mente “abre espaço” para canalizar o nervosismo em forma de ação e começar a ter mais segurança nas emergências médicas.

Dica extra: aqui nesse primeiro passo vale complementar os estudos com noções de exames de imagem. Nós falamos um pouco mais sobre os estudos da Radiologia nesse post.

2º: Estudar os fluxos e condutas da Emergência

Esse segundo passo para alcançar a segurança frente emergências é crucial. Saber de antemão como agir em cada emergência poupa tempo de raciocínio e não permite que haja brechas para a insegurança se instalar.

Entender os fluxos e condutas antes de precisar deles na prática ajuda no desenvolvimento da segurança (afinal, quem não se sente seguro quando sabe resolver aquele problema apresentado?) e na obtenção do melhor resultado para o paciente. É fácil imaginar como essas duas situações se retroalimentam.

Sabendo disso, a pergunta que não quer calar é: “Onde estudar isso tudo? São tantas emergências médicas!”. A Sanar tem a resposta! O Yellowbook de Fluxos e Condutas na Emergência traz os principais temas, procedimentos e prescrições do dia-a-dia numa emergência de forma aprofundada, mas bastante objetiva. Confira-o aqui.

3º: Praticar!

Nada discutido até aqui vai servir se todos os conhecimentos não forem aplicados. Seja através de estágios de ligas, seja acompanhando médicos por fora, seja no próprio internato, a prática precisa existir.

Mesmo após tanto estudo, o encaixe final das peças acontece quando elas estão em uso, quando precisamos agir para encaixá-las de fato. É dessa forma que a segurança nas emergências médicas se firma.