Residência Médica

Como é a análise do currículo na seleção de residência médica?

Como é a análise do currículo na seleção de residência médica?

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar Residência Médica

A análise do currículo médico tem peso 10% nas seleções de Residência Médica. Continue lendo este post para saber tudo sobre esta etapa do processo seletivo!

A tendência das instituições de ensino é selecionar os candidatos também pelas experiências que eles viveram, não apenas pelo conhecimento que absorveu. Por isso, a análise de currículo é tão importante. Em alguns instituições, essa etapa pode ser bem criteriosa.

O que é a análise do currículo?

Frequentemente, os processos seletivos de Residência Médica têm duas etapas, uma eliminatória e classificatória e outra apenas classificatória. Esta última é a que define a lista final dos aprovados na seleção, a análise do currículo.

Ela na avaliação das experiências vividas pelo candidato em seu processo de formação. Essas experiências apontam para o desenvolvimento de habilidades sociais, as chamadas soft skills.

Essas habilidades são necessárias para a realização de atendimento humanizado e empático ao usuário do sistema de saúde.

O que pesa no currículo para residência?

Todo edital de seleção de Residência Médica detalha os itens que são avaliados na etapa da análise curricular. O objetivo é mesmo que você liste as experiências pelas quais passou na graduação e reúna os documentos comprobatórios para que os avaliadores deem um parecer. 

Há instituições que avaliam juntas arguição e currículo, ou seja, não basta detalhar sua trajetória na faculdade, mas expor seu ponto de vista sobre cada uma delas. Por outro lado, existem itens que são comuns aos processos seletivos de Residência Médica.

Confira os itens que fazem toda diferença no currículo:

Instituição de ensino de origem

São avaliadas características da instituição onde o candidato fez a graduação. Isso vale tanto no caso de especialidades com acesso direto ou a residência de pré-requisito.

Entre os critérios avaliados estão:

  • instituição ser reconhecida como centro de formação, assistência e pesquisa científica;
  • possuir Hospital Universitário próprio;
  • oferecer ensino de graduação nos três níveis de atenção à saúde; e ainda a duração do internato.

Histórico escolar

As instituições cobram o histórico escolar do candidato para avaliar seu aprendizado ao longo da formação.

Em residências médicas como a da SES-PE (Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco), são avaliadas as médias gerais obtidas nos componentes curriculares. Conforme o seguinte barema:

  • maior pontuação para quem tem médias gerais iguais ou acima de 85 (ou o equivalente na escala de 0 a 10), e
  • redução de 5 pontos a cada faixa de nota – 80, 75, 70, 65 e fora desses critérios já determinados.

Monitoria

O período de monitora também é contabilizado e deve ser comprovado com assinatura e carimbo de identificação da pessoa responsável.

A declaração de participação em mentoria deve comprovar que a atividade foi realizada e indicar em que disciplina isso aconteceu.

O tempo mínimo exigido é 01 semestre letiva, com carga horária mínima de 108 horas.

Adicione ao currículo sua iniciação científica

Os programas de Residência Médica também consideram o período de iniciação científica. Mas, para ter validade, é considerado documento comprobatório declaração da instituição de ensino. É preciso ter o nome do projeto e explícita participação do candidato.

Vale pelo menos 1 ano de vivência nessa atividade.

Projetos de extensão

Os projetos de extensão costumam ser experiências enriquecedoras para o médico ainda em formação. Elas também contam como diferencial para os avaliadores da Residência Médica.

Para o documento comprobatório ter validade, é preciso conter informações como atividade, professores ou departamentos envolvidos. A exigência mínima de experiência varia de 06 meses a 01 ano.

Publicação científica pesa no currículo

Outro ponto importante para a banca de avaliação é a publicação de artigos em produtos científicos, seja como autor ou coautor, em revistas nacionais ou internacionais indexadas. No documento comprobatório, devem constar informações como cópia do artigo, ano de publicação, volume e número. 

Não são pontuadas cartas de aceite, cópias de e-mail, ou publicações de cadernos de resumos ou anais de congressos. Em alguns processos seletivos de Residência Médica, publicação de capítulo de livro é considerada alternativa ao artigo científico. 

Participação em eventos científicos

Trabalhos apresentados em eventos científicos ou participação em congressos estaduais, nacionais, internacionais, encontros, jornadas ou eventos de organização estudantil também são validados no processo seletivo de residência.

Nos documentos comprobatórios, o candidato deve incluir declarações ou certificados oficiais emitidos pela organização do evento; data do evento; título do trabalho, autoria ou coautoria, se foi apresentação oral, tema livre ou pôster em evento científico da área de saúde. 

Língua estrangeira no currículo

A proficiência em língua estrangeira é importante, principalmente o inglês. Esse conhecimento é necessário, já que as descobertas e estudos científicos são publicados nesse idioma.

Processos de Residência Médica como a da USP consideram comprovação via exame de proficiência ou residência em país de idioma inglês ou outro idioma estrangeiro.

Quando montar o currículo?

Você percebeu que todas as experiências avaliadas na análise curricular da Residência Médica são fruto do período vivido na faculdade. Sendo assim, é durante os anos de graduação que você precisa formar sua bagagem técnica, profissional e social.

Mas é importante ter em mente a necessidade de aproveitar cada uma das experiências para sair delas melhor do que você entrou, não apenas para avolumar o currículo.

E todas as atividades são válidas:

  • participação em eventos científicos,
  • pesquisa na iniciação científica,
  • representação estudantil,
  • liga acadêmica,
  • atlética.

Até mesmo seus hobbies podem contar como diferencial. Isso porque mostram características e habilidades suas que te destacam em relação à concorrência. O importante é: viva a faculdade! 

Sugestão de leitura complementar

Veja também: