Carreira

Cinco dicas para fazer uma boa live médica

Cinco dicas para fazer uma boa live médica

Compartilhar

Uma das principais lições que os últimos meses deixaram é de que as lives médicas vieram pra ficar! 

Ora, se os teleatendimentos tornaram-se comuns, por que não aproveitar as redes sociais para disseminar conhecimento?

O que nasceu como uma tendência na pandemia parece não ter volta. Os médicos entenderam a importância de estar em contato com pacientes, colegas e comunidade científica em geral.

Entretanto, sabemos que esta realidade é super recente e nem todos os profissionais estão adaptados a ela. Afinal, gestão de imagem, marketing, etc não são conteúdos aprendidos na faculdade de medicina.

Estudar Marketing numa Pós-graduação em Medicina? Na Sanar, você pode!

Pensando nisso, listamos algumas orientações de como fazer uma live médica de sucesso, gerando autoridade profissional e conexão com seu público.

Vamos nessa?

Escolha um bom tema!

Na faculdade, você com certeza passou por diversos seminários, não é mesmo? Normalmente, essas apresentações eram mais bem-sucedidas quando você dominava o assunto, certo!?

A mesma coisa acontece com as lives médicas. Antes de pensar na parte técnica da live, é fundamental que você saiba definir qual conteúdo será abordado.

Então, como decidir o tema de sua live?

  • Pense nos assuntos que você fala com mais propriedade. Em seguida, faça um breve apanhado nas últimas notícias desta área e da medicina em geral.
  • Depois, analise os assuntos relacionados ao seu tema que mais aparecem em hashtags e ferramentas de busca. Dessa forma, você vai poder escolher um tema que, ao mesmo tempo, seja de fácil desenvolvimento para você e garanta a atenção de quem assiste.

Tendo em mente que as lives são uma excelente forma de atrair potenciais clientes, é bom entender quais são suas atuais dores.

1, 2, 3 Roteiro!

Tudo que parece ser muito díficil avança duas casas quando é escrito no papel. Se você é do time digital, o documento online é mais próximo de sua realidade. Até o bloco de notas é uma boa possibilidade.

O que você não pode deixar de fazer é escrever.

É normal sentir nervosismo em momentos como este, principalmente se for sua estreia.

Por isso, é tão importante escrever todos os tópicos que você julga ser relevante para o assunto abordado.

Com o roteiro, você se sentirá mais seguro, evitando erros, como o de repetir assuntos e esquecer um nome/expressão importante.

Pense como sua audiência

Um dos maiores desafios de um escritor é imaginar o que seu leitor precisa (e quer) ler. Como acertar o tom do texto, a quantidade de palavras, as pausas?

Assim como no texto, a live médica tem como ponto de partida o interesse do público. Qual seria, enfim, o sentido de falar sobre um assunto que não interessa a ninguém?

Se você se propôs a fazer a live, significa que você quer ser ouvido!

Pense numa boa saudação para os espectadores, explicando, brevemente, tudo o que será abordado nos minutos seguintes. 

Ao longo da live médica, traga o que está sendo dito para o cotidiano. Assim, você cria terreno para a interação do público.

Pergunte se existem dúvidas, convide-os para participar da apresentação, garanta que seu público se sinta atraído por sua fala.

Venda seu peixe!

Já falamos que para ser ouvido é importante escolher um bom tema, desenvolvê-lo e interagir com seu público.

Mas de que adianta você realizar isso tudo sem uma estratégia de divulgação?

Se você não conseguir elaborar um material divulgação com as informações básicas de sua live, use outros mecanismos:

Uma série de stories convidando o público, a criação de uma caixinha de perguntas convidando-os para enviarem suas dúvidas… As oportunidades são muitas.

Espontaneidade é a meta!

Por último, mas não menos importante, deixamos uma dica preciosa: não se leve tão a sério!

Aqui, você é um médico em contato com uma ampla audiência, que não se limitará à comunidade médica. Portanto, a abordagem do assunto deve ser mais flexível, menos engessada.

Ainda que sua apresentação seja voltada colegas, é fundamental ter em mente que as ambiências digitais pedem outro código comportamental, menos formal.

Mesmo que estejamos falando com médicos.

Isso não significa que você deverá agir de maneira infantilizada, satirizada ou que passe a noção de amadorismo.

Com a espontaneidade, você poderá lidar melhor com possíveis imprevistos e criará laços mais fortes com a audiência.

Sugestão de conteúdo complementar

Referências

Roteiro para live no Instagram: 3 elementos que você precisa considerar

Veja também:

Compartilhe com seus amigos: