Especialidades

Cirurgia Geral: residência, mercado de trabalho, áreas de atuação e mais

Cirurgia Geral: residência, mercado de trabalho, áreas de atuação e mais

Índice

Como o próprio nome já diz, a Cirurgia Geral é uma especialidade cirúrgica. No Brasil, ela é atualmente a terceira especialização com o maior número de médicos titulados, atrás apenas de Clínica Médica e Pediatria. 

De natureza complexa, a especialidade em Cirurgia Geral exige que o médico esteja sempre estudando e se mantenha atualizado. 

Um pouco diferente das especializações clínicas, a Cirurgia Geral exige que o médico especialista realize atividades de pré, per e pós-operatório, tendo uma intensa carga de trabalho. 

O especialista e sua rotina

O especialista em Cirurgia Geral deve desenvolver, como característica fundamental, o espírito de equipe. 

Também é preciso que ele tenha resistência física, controle emocional e segurança nas tomadas de decisão. 

Para executar o trabalho da melhor maneira possível, o Médico Cirurgião necessita sólida formação em Clínica Cirúrgica e bons conhecimentos de semiologia e fisiopatologia.

A habilidade manual é uma característica importante, adquirida com a prática, inicialmente na residência, e depois, ao longo da vida. 

Mas apenas o conhecimento de técnicas operatórias não é suficiente para ser um bom profissional. É preciso que ele esteja atrelado a um diagnóstico correto e indicação precisa de uma cirurgia.

Na maioria das vezes, a carreira do Cirurgião Geral inicia-se no hospital de trauma, em plantões de emergência. 

Porém, assim como em outras especialidades, a rotina do Médico pode ser diferente dependendo do ambiente e cidade em que atua. 

Em grandes centros urbanos, por exemplo, devido aos índices de violência, os plantões são movimentados, com várias cirurgias. A rotina se torna mais intensa e cansativa. 

Nesses casos, o ideal é evitar plantões seguidos. O desgaste físico do Médico, além de ser um problema para ele, pode aumentar as possibilidades de erro durante o procedimento. 

Além dos plantões, as cirurgias marcadas previamente, conhecidas como eletivas, também fazem parte da rotina deste profissional. O acompanhamento da evolução dos pacientes de pós-operatório por meio de visitas também é fundamental. 

No dia a dia do Cirurgião, a relação médico-paciente é intensa, sendo que muitas vezes o profissional está inserido em momentos difíceis para as famílias. 

É muito importante que o Médico preserve esse relacionamento e use o momento para sanar as dúvidas do paciente e seus familiares. 

Mercado de trabalho e remuneração

Embora existam 34.065 profissionais com título de Cirurgião Geral no Brasil, o mercado está sempre à procura de novos médicos para preencher vagas em hospitais públicos e privados.

Para se ter uma ideia de como está o mercado atualmente, em 2019, a maioria das contratações de Cirurgiões Gerais realizadas foram voltadas para atividades de atendimento em pronto-socorro e unidades hospitalares para atendimento a urgências. 

Apesar de o mercado estar aberto para o cirurgião em início de carreira, principalmente nas emergências, existe uma grande demanda reprimida em cirurgias eletivas, sendo muitas vezes realizados “mutirões” com a finalidade de diminuir a espera por cirurgias no Sistema Único de Saúde (SUS). 

Esses processos são muitas vezes pactuados entre os gestores do SUS e hospitais conveniados, gerando valores de remuneração melhores dos que os pagos apenas pela tabela SUS.

De maneira geral, a remuneração média do Cirurgião é de R$ 5.385,88 para uma jornada de trabalho de 21 horas semanais, de acordo com pesquisa do site Salário.

Áreas de atuação do Cirurgião Geral 

O campo de atuação para o Médico Cirurgião é amplo e abrange as áreas de Cirurgia Abdominal, Cirurgia videolaparoscópica e Cirurgia do trauma.

Este profissional pode realizar atendimentos ambulatoriais, plantões nas emergências de pronto-socorros e cirurgias eletivas.

Ele também pode atuar como:

  • Autônomo
  • Auxiliar de cirurgiões mais experientes
  • Docente em alguma instituição de ensino 
  • Parecerista em hospitais de emergência/trauma

Não é recomendado que o Cirurgião cumpra plantões múltiplos por conta do cansaço. 

Como forma de complementar o tempo, as atividades de consultas e cirurgias eletivas podem ser uma boa opção já que desenvolvem o exercício clínico e a técnica operatória. Atuando dessa forma, o Médico consequentemente pode assumir casos mais complexos progressivamente. 

O Cirurgião Geral também pode escolher uma subespecialização em áreas como Cirurgia Vascular, Pediátrica, da Mão, Cardiovascular, entre outras. 

Residência em Cirurgia Geral

A residência em Cirurgia Geral é de acesso direto e tem duração de três anos.

O residente em Cirurgia Geral tem ainda a possibilidade de cursar um ano adicional em trauma ou mais dois anos de cirurgia geral avançada (sendo necessário nova prova de seleção em ambos casos).

A Residência em Cirurgia Geral é pré-requisito para diversas subespecialidades cirúrgicas como: 

  • Urologia
  • Nutrologia
  • Mastologia
  • Coloproctologia
  • Cirurgia plástica
  • Cirurgia torácica
  • Cirurgia vascular
  • Cirurgia pediátrica
  • Medicina intensiva
  • Cancerologia/cirúrgica 
  • Cirurgia cardiovascular
  • Cirurgia do aparelho digestivo 
  • Cirurgia de cabeça e pescoço 
  • Cirurgia Geral – programa avançado 

Por conta da sobrecarga de trabalho, a Comissão Nacional de Residência Médica (Cnrm) disciplinou a carga horária em 60 horas semanais, máximo de 24 h de plantões semanais, folga de 6 horas após o plantão, para que o stress da atividade não prejudiquem a capacidade de trabalho, de discernimento nas tomadas de decisões e do estudo do médico residente.

Histórico da especialidade

No início do século XVIII era possível encontrar poucos relatos sobre o ensino da cirurgia e da própria técnica cirúrgica no Brasil. 

No entanto, com a chegada da Família Real, em 1808, muita coisa mudou na então colônia portuguesa. 

Foi nessa época que o português Joaquim da Rocha Mazarm foi reconhecido como o primeiro professor de cirurgia. 

Já no século XIX aconteceu um grande desenvolvimento de conhecimento que auxiliaram o crescimento da cirurgia. Entre eles estão: 

  • Controle de infecção
  • Controle da anestesia
  • Controle da hemorragia
  • Assepsia e a anti-sepsia 

Todos esses recursos acima possibilitaram um maior alcance das intervenções cirúrgicas.No Brasil, a instituição que representa o especialistas em Cirurgia Geral é o Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC). Fundado em 1929 por um grupo de 28 cirurgiões, hoje é a maior entidade de cirurgiões da América Latina.

Mais informações?

Essas matérias podem te interessar:

Confira o vídeo:

Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.