Ciclo Clínico

Cisto no testículo: o que é, possíveis diagnósticos e tratamento

Cisto no testículo: o que é, possíveis diagnósticos e tratamento

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar

Tudo o que você precisa saber sobre cisto no testículo para a prática clínica!

O que é um cisto no testículo?

É comum os homens consultarem o urologista com queixa de cisto no testículo. Os testículos fazem parte do escroto, uma bolsa músculo cutânea que abrange outras estruturas essenciais no armazenamento, produção e transporte dos hormônios sexuais masculinos e espermatozóides.

O cisto consiste em um acúmulo de líquido e pode surgir por fatores como:

  • Anomalia congênita
  • Trauma
  • Infecção

Esses caroços podem ser sintomáticos ou assintomáticos e podem surgir em qualquer idade da vida do homem, devendo ser investigado para outros diagnósticos diferenciais. 

Diagnóstico de cisto no testículo

Para que ocorra um bom diagnóstico, é preciso que os homens façam o autoexame dos testículos periodicamente e, quando houver algum nódulo, é necessário procurar um urologista. 

Para identificar a causa de um nódulo testicular, será necessário realizar uma avaliação clínica e, se necessário, a solicitação de exames para investigar essa alteração.

Iniciando o diagnóstico, será necessário realizar uma anamnese bem detalhada do paciente, questionando informações importantes como:

  • Há outras lesões de pele além do nódulo testicular?
  • Quando o nódulo surgiu? Houve aumento de tamanho?
  • Há alterações de cor, textura, umidade, temperatura, sensibilidade, prurido em alguma parte da pele?
  • Existe algum sintoma associado?

Além disso, no exame físico, durante a inspeção, devem ser avaliados:

  • Alteração da coloração
  • Sinais de infecção
  • Tamanho e consistência do nódulo
  • Se o nódulo é móvel ou aderente a planos profundos

Para mais, podem ser utilizados exames complementares de imagem como ultrassonografia e ressonância magnética, que são indicados para confirmar o diagnóstico.

Diagnósticos diferenciais

Os cistos no testículos podem ser causados por algumas patologias como: 

Espermatocele

O espermatocele consiste em um acúmulo de pequenas quantidades de espermatozóide em pequenas bolsas, ocasionando obstrução dos canais. Como o epidídimo é responsável por transportar o espermatozóide para o testículo, essa interrupção resultará na formação de nódulos. 

No geral, inicialmente os pacientes não apresentam outros sintomas além do cisto. Contudo, se não houver um tratamento adequado outros sintomas poderão surgir:

  • Dor ou desconforto no lado do testículo afetado;
  • Sensação de peso na região íntima;
  • Aumento do tamanho do tamanho do nódulo.

Tratamento para espermatocele

Para tratar a espermatocele sintomática, o urologista poderá receitar anti-inflamatórios, diminuindo assim a infecção local. Caso o paciente seja assintomático, será necessário manter o acompanhamento médico para garantir que não se trata de um tumor maligno.

Hidrocele

Consiste em um acúmulo de líquido dentro do escroto envolvendo o testículo, podendo causar inchaço, o que gera um desconforto ao paciente. No geral, acomete bebês, mas também pode afetar homens em qualquer idade.

No geral, o hidrocele não apresenta nenhum sintoma associado ao inchaço do testículo. Além disso, costuma desaparecer espontaneamente (principalmente nos bebês) sem necessitar de tratamento. 

Tratamento para hidrocele

Em homens adultos é necessário manter o acompanhamento durante alguns meses para verificar se o líquido será reabsorvido espontaneamente, sem necessidade de intervenção. Caso isso não ocorra e a doença continue a evoluir, o paciente poderá ser submetido a uma pequena cirurgia para remover o hidrocele do escroto.

Saúde do homem

Por fim, é  possível perceber os desafios enfrentados na atenção à saúde do homem e a importância dos exames periódicos e do conhecimento do próprio corpo para anteceder o diagnóstico de doenças mais graves.

Gostou desse texto? Saiba mais sobre saúde do homem clicando aqui!

Referências bibliográficas

  • REZENDE, D. L. Cisto simples de testículo: um relato de caso. 2001. Disponível aqui. Acesso em 02 de Junho de 2022.
  • TABAJARA, Fernanda Beck et al. Patologias genitais masculinas em cirurgia pediátrica de manejo. Acta méd.(Porto Alegre), p. [6]-[6], 2017.
  • RESENDE, Daniel de Almeida Queiroz Prata et al. Coleções na bolsa testicular: ensaio iconográfico correlacionando achados ultrassonográficos com a ressonância magnética. Radiologia Brasileira, v. 47, n. 1, p. 43-48, 2014.

Sugestão de leitura complementar