Carreira em Medicina

Como funciona a abordagem do médico do esporte em casos de lombalgia?

Como funciona a abordagem do médico do esporte em casos de lombalgia?

Compartilhar
Imagem de perfil de Dr. Luiz Mourão

Confira neste artigo do Dr. Luiz Mourão tudo que o médico do esporte precisa saber sobre a abordagem de casos de lombalgia!

Lombalgia. Dor lombar. Dor nas costas. Não importa se o termo utilizado é médico ou leigo, mas todos esses são sinônimos e tratam de uma das queixas mais frequentes na população, tanto do jovem ao idoso quanto do sedentário ao atleta. 

Alguns dados reforçam essa afirmação: é estimado que cerca de 80% das pessoas sejam afetadas por lombalgia pelo menos uma vez na vida. Trata-se da maior causa de limitação de atividades de trabalho em indivíduos com idade inferior a 45 anos.

No esporte, a prevalência pode variar de acordo com o tipo de exercício realizado pelo atleta. É mais frequente nos esportes que praticam movimentos com impacto repetitivo sobre a coluna (futebol, atletismo, vôlei, corrida, basquete, tênis e equitação) ou excesso de movimentos de flexão ou rotação do tronco (saltos ornamentais, ginástica, nado sincronizado).

Composição da coluna

Nossa coluna é composta por vértebras separadas, entre si, por discos intervertebrais, que consistem em estruturas flexíveis que permitem a movimentação da coluna e amortecimento da mesma.

Os discos são divididos em duas porções: um anel fibroso e um núcleo pulposo, composto predominantemente por colágeno tipo 1 e 2, respectivamente.

Além disso, coluna é dividida em 5 partes: 

  • cervical (sete vértebras), 
  • torácica (doze vértebras),
  •  lombar (cinco vértebras), 
  • sacro (cinco vértebras fundidas) e
  •  cóccix (quatro a cinco vértebras fundidas). 

Lombalgia: fatores de risco, diagnóstico e mais

Quando alguém sente uma dor na região lombar, é preciso entender o contexto do seu surgimento. O mais comum é ter relação com um estiramento muscular, mas também por uma dor muscular devido sobrecarga ou postura inadequada.

Por isso, é indispensável realizar uma boa anamnese e exame físico antes de pensar na realização de um exame complementar de imagem. Há algumas doenças degenerativas que cursam com dor lombar, como:

  •  hérnias discais,
  •  espondilólise,
  •  espondilolistese e
  •  artrose. 

Fatores de risco em casos de lombalgia

Mas, há alguns fatores de risco associados à gravidade que precisam ser investigados no momento da avaliação para determinar a necessidade de realização de radiografia:

  • Idade > 50 anos
  • Trauma de alta energia
  • Déficit neuromuscular
  • Perda de peso sem causa aparente nos últimos 6 meses
  • Suspeita de Espondilite Anquilosante
  • Libação alcoólica ou uso de drogas ilícitas
  • Histórico de câncer
  • Uso de corticoides
  • Temperatura > 37,8C

Como funciona a abordagem do médico do esporte para casos de lombalgias?

No esporte, as lombalgias costumam ter relação com altas cargas de treinamento e com descanso inadequado. Nesse contexto, o médico do esporte, em conjunto com a equipe multidisciplinar, atua de maneira preventiva para evitar com que a lombalgia aconteça.

O foco principal é reduzir a sobrecarga sobre a coluna lombar. Para que isso aconteça, é fundamental ter um trabalho de fortalecimento de core muito bem ajustado. 

Além disso, a biomecânica e o gesto esportivo também devem ser prioridades para que o atleta realize da maneira mais correta possível os movimentos nos exercícios. 

Dúvida comum: quem tem dor lombar pode fazer exercício de agachamento?

Um tema que sempre é motivo de discussão envolve o exercício de agachamento para quem possui dor lombar. Culturalmente, trata-se de uma situação em que o médico sempre restringiu na prática clínica.

Porém, a literatura atual é bastante robusta em afirmar que há benefícios do exercício de agachamento na melhora da dor devido à melhora do condicionamento da musculatura envolvida na coluna e, consequentemente, redução da carga na coluna lombar.

O principal foco para garantir seus benefícios deve ser a realização correta do movimento com a orientação e supervisão de um profissional de educação física. Além do exercício de fortalecimento, também é importante associar exercícios de flexibilidade e proprioceptivos.

Leia também este outro artigo do Dr. Luiz: creatina: o que é, como funciona e quando indicar o suplemento

Tratamento para casos de lombalgia

Como alternativas para o tratamento medicamentoso, é fundamental escalonar de acordo com a intensidade dos medicamentos.

De maneira geral, indica-se inicialmente associar analgésico com anti-inflamatório não esteroidal e um relaxante muscular. Corticoides ou analgésicos opióides podem ser considerados em dores refratárias.

Conclusão sobre abordagem do Médico do Esporte para casos de lombalgias

A mensagem principal desse texto é: Independente do tratamento instituído, o exercício precisa fazer parte da estratégia definida para quem tem lombalgia.

Essa percepção por parte do médico do esporte é ponto fundamental para esclarecer ao atleta sobre a importância do exercício no processo de reabilitação, mas também, para prevenção de outras lesões.

Referências

  • Van Tulder MW, Malmivaara A, Esmail R, Koes BW. Exercise therapy for low back pain. Cochrane Database Syst Rev. 2000;(2):CD000335. doi: 10.1002/14651858.CD000335. Update in: Cochrane Database Syst Rev. 2005;(3):CD000335. PMID: 10796344.
  • Grosdent S, Demoulin C, Rodriguez de La Cruz C, Giop R, Tomasella M, Crielaard JM, Vanderthommen M. Lumbopelvic motor control and low back pain in elite soccer players: a cross-sectional study. J Sports Sci. 2016;34(11):1021-9. doi: 10.1080/02640414.2015.1085077. Epub 2015 Sep 25. PMID: 26407007.
  • Hayden JA, Ellis J, Ogilvie R, Malmivaara A, van Tulder MW. Exercise therapy for chronic low back pain. Cochrane Database Syst Rev. 2021 Sep 28;9(9):CD009790. doi: 10.1002/14651858.CD009790.pub2. PMID: 34580864; PMCID: PMC8477273.

Sugestão de leitura complementar

Confira outras colunas dos especialistas da Sanar:

Veja também: