Residência Médica

Desafios do Internato de Obstetrícia

Desafios do Internato de Obstetrícia

Compartilhar

Sanar Residência Médica

5 min há 226 dias

Os dois últimos anos da formação médica é um período de muito aprendizado e novas experiências. O Internato de Obstetrícia é um dos mais desafiadores, afinal o interno tem contato com partos, um dos momentos mais delicados da Medicina e que pode envolver diversas complicações.

Segundo a Demografia Médica no Brasil 2018, são 30.415 especialistas em Ginecologia e Obstetrícia, o que corresponde a 8% do total de especialidades. São 14,65 especialistas por 100 mil habitantes e a maioria (51,3%) está no Sudeste. O programa de residência é de acesso direto e é ofertado pela maioria das grandes instituições do país.

Para entender um pouco mais dos desafios do internato de obstetrícia, a Sanar Residência Médica conversou com Mariana Pacheco, interna do 5º ano de Medicina da Universidade do Estado da Bahia. Ela realizou o estágio em Obstetrícia no Hospital Geral Roberto Santos, em Salvador/BA.

A importância da Obstetrícia no internato

O estágio em obstetrícia é fundamental para desenvolver habilidades gerais sobre a avaliação de gestantes durante o pré-natal, puerpério e na condução de alguns partos.

Mariana conta por que considera um período de grande aprendizado: “O internato em obstetrícia é muito amplo, com oportunidades de atendimento de emergências, experiência cirúrgica e de enfermaria, tendo então grande aprendizado tanto de aspectos cirúrgicos como clínicos, de grande valia para a formação”.

Além disso, também considera conhecimentos essenciais para o médico generalista. “Para o recém-formado, as oportunidades de emprego em geral são mais abundantes em emergências e unidades de saúde da família. Em ambas, exigem conhecimento da área, tanto para realizar pré-natal na unidade básica quanto na identificação de emergências obstétricas para atendimentos em UPA”.

De acordo com Mariana, “outra questão é que em alguns hospitais, principalmente no interior, não há maternidades. Por isso, saber conduzir um parto normal é essencial para uma situação de emergência”.

O que mais gostou

Para Mariana, “poder participar de um momento familiar tão especial como o nascimento de um filho é maravilhoso. O momento seguinte a um parto bem sucedido é de uma emoção e alegria indescritíveis”, diz sobre o que mais gostou no internato de Obstetrícia.

Ao mesmo tempo, ela diz que acompanhar pacientes também traz satisfação. “Também é gratificante o acompanhamento com as mulheres nos ambulatórios, visto que costumam seguir todas as orientações, realizar os exames e consultas regularmente”, conta.

O que menos gostou

Já sobre o que menos gostou, Mariana traz alguns pontos negativos, como por exemplo algumas atuações do internato de Obstetrícia e também sobre a rotina.

“Algumas pessoas podem não gostar da parte cirúrgica”, diz, “além da rotina cansativa pelos plantões de centro obstétrico. Como ponto sensível, vale ressaltar os casos de algum acontecimento negativo no parto, complicações que geram algum problema ao bebê e óbitos que são sempre momentos muito difíceis emocionalmente”, ressalta

Conclusão sobre os desafios do Internato de Obstetrícia

São diversos desafios durante o internato e na Obstetrícia não é diferente. Carga horária extensa, períodos entre enfermaria, centro obstétrico e emergência exigem do interno grande dedicação.

Para enfrentar esses desafios e aproveitar o melhor que o internato em Obstetrícia tem a oferecer, Mariana traz algumas dicas.

“Esteja sempre com os assuntos em dia para as principais ocorrências de emergência, tenha disposição para acompanhar os partos normais que podem ser demorados e exceder o seu horário. E tenha paciência com as gestantes, que estão muitas vezes com dor e em situações de aflição”, conta.

Além disso, “ser proativo e disposto com toda a equipe vai te ajudar muito a conseguir acompanhar partos, saber sobre medidas não-farmacológicas para dor para poder auxiliar de alguma forma as gestantes que você está aguardando o parto. Também use um calçado confortável e fácil de higienizar”, indica a médica.

Sanar-Residência-Médica-Trial-Extensivo-R1-2021

Leia também

Veja a Rotina da Residência por especialidade!

Referências:

Demografia Médica no Brasil 2018

Rotina da residência em Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia e Obstetrícia: Residência, remuneração, rotina e mais!

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.