Carreira em Medicina

Endocrinologia: residência, áreas de atuação, rotina e mais

Endocrinologia: residência, áreas de atuação, rotina e mais

Compartilhar
Imagem de perfil de Carreira Médica

A endocrinologia é a especialidade médica que se dedica ao estudo do sistema endócrino, que é responsável pela produção e regulação de hormônios no organismo. Os hormônios são substâncias químicas que desempenham papéis cruciais na regulação de diversas funções do corpo, como crescimento, metabolismo, reprodução e equilíbrio hormonal.

Essa área da medicina é uma ótima opção de especialização dada a prevalência crescente de condições como diabetes e obesidade e a necessidade de profissionais capacitados para manejas casos.

O objetivo deste artigo é te apresentar todos os detalhes que você precisa saber sobre esta especialidade. Atividades desenvolvidas, rotina de trabalho, cenário no mercado de trabalho, residência médica e mais. Aproveite a leitura!

O endocrinologista e sua rotina

O endocrinologista é o médico especializado que cuida de doenças relacionadas às glândulas endócrinas, que incluem a tireoide, as glândulas adrenais, a hipófise, o pâncreas e os ovários/testículos, entre outras.

Esse profissional utiliza uma combinação de exames clínicos, testes laboratoriais e, em alguns casos, imagens médicas para diagnosticar e tratar condições como distúrbios da tireoide, distúrbios das glândulas adrenais, diabetes mellitus e distúrbios de crescimento.

Perfil profissional para a área

A endocrinologia é uma especialidade clínica. Por isso, é fundamental que o médico goste de ter contato direto com o paciente e saiba lidar com ele. Por isso, é importante que o profissional treine bastante a habilidade de se comunicar de maneira clara e com empatia. 

Essa é uma área com avanços diários, por isso também é importante que o profissional se mantenha atualizado e busque sempre ter atenção aos detalhes.

Rotina de trabalho do endocrinologista

A rotina de trabalho de um endocrinologista pode variar com base em alguns fatores, como o ambiente de trabalho, a área geográfica e o tipo de pacientes atendidos.

No entanto, algumas atividades comuns estão associadas à prática da endocrinologia. Confira algumas características típicas da rotina de trabalho de um endocrinologista:

  • Consultas com pacientes para avaliar sintomas, realizar exames físicos e revisar históricos médicos;
  • Interpretação de exames laboratoriais para avaliar níveis hormonais no sangue e assim auxiliar em seus diagnósticos;
  • Gestão de pacientes com doenças crônicas;
  • Colaboração com outros profissionais para atender pacientes com casos mais complexos;
  • Realização de procedimentos específicos, como biópsias de tireoide; e
  • Atualização científica e educacional.

Exemplo de conduta em consulta

Em suas consultas de rotina, o endocrinologista precisa avaliar diversos aspectos. Tomando como exemplo um paciente diabético, será necessário avaliar:

  • Hipoglicemias
  • Valores de glicemia capilar dos diferentes horários
  • Contagem de carboidratos
  • Uso correto da insulina
  • Adesão
  • Atividades físicas e muitas outras coisas.

Quais os principais desafios do endocrinologista?

Trabalhar na área de endocrinologia apresenta diversos desafios, como acontece em muitas especialidades médicas. Entre eles:

  • Complexidade diagnóstica de apresentações clínicas cujos sintomas que podem sobrepor-se a outras doenças;
  • Tratamento de condições crônicas que requerem gestão a longo prazo;
  • Interação com outras condições médicas, isso porque condições endócrinas estão interconectadas com outros sistemas do corpo;
  • Acompanhar a evolução rápida da ciência (novas descobertas científicas e avanços tecnológicos que podem alterar diretrizes de tratamento);
  • Gestão de tempo pelo alto volume de trabalho;
  • Em algumas regiões, o acesso a recursos, como exames laboratoriais avançados e tratamentos especializados, pode ser limitado, impactando a capacidade do profissional de oferecer o melhor cuidado possível.

Por tudo isso, o endocrinologista precisa ter habilidades que vão além do conhecimento técnico.

Administrar necessidades dos pacientes

Para que o paciente seja avaliado de maneira apropriada, é preciso ter paciência e tempo. Esse é um dos grandes desafios do endocrinologista, já que muitas clínicas estipulam um limite de tempo para cada atendimento e ele, na maioria das vezes, é insuficiente para que todos esses fatores sejam avaliados. 

Outro desafio da endocrinologia na atualidade é ter que lidar com pacientes que absorvem informações na internet e embarcam na busca pelo corpo perfeito e trazem vários prejuízos para saúde. Para lidar com essa situação, o médico precisa ter maturidade para discernir o que é melhor para cada paciente e orientá-los.

Quais os campos de atuação do endocrinologista?

Os endocrinologistas têm uma variedade de opções de locais para trabalhar, e suas escolhas podem depender de preferências pessoais, objetivos de carreira e especializações específicas. Algumas das opções comuns incluem:

  • Consultório privado;
  • Hospitais, clínicas ou centros médicos;
  • Instituições acadêmicas, como professor, supervisor ou no desenvolvimento de pesquisas;
  • Empresas do setor farmacêutico e da indústria de saúde;
  • Organizações de saúde pública;
  • Telemedicina; e
  • Consultoria de empresas em diversas áreas, seguros de saúde e empresas de tecnologia médica.

Mercado de trabalho na endocrinologia

No Brasil, segundo os dados mais recentes da Demografia Médica no Brasil, divulgado em 2023, existem 6.731 endocrinologistas. Esses profissionais estão mais concentrados na região sudeste.

A especialidade vem ganhando projeção com o passar dos anos, pois as doenças endócrinas têm se elevado entre a população brasileira. Entre elas: a obesidade e a diabetes. Essas doenças decorrentes, em grande parte, da modificação alimentar causada pelo desenvolvimento no mundo, e o número de pacientes tem aumentado .

Com isso, a demanda por endocrinologistas cresce exponencialmente. A maior parte dos especialistas trabalha com a endocrinologia geral. Porém, em grandes centros, há aqueles que se dedicam apenas a uma subárea, como, por exemplo, os tumores neuroendócrinos. 

No início da carreira, o endocrinologista recém-formado pode trabalhar um ambulatório de hospital, filiar-se a uma clínica existente ou começar o seu próprio consultório. Outra opção é se dedicar ao atendimento na rede pública, em ambulatórios de especialidades e hospitais. 

Uma curiosidade sobre o paciente endocrinológico é que ele volta com frequência ao consultório. O que aumenta a possibilidade de amplo contato entre ele e o médico.

Remuneração do endocrinologista

Um Médico Endocrinologista ganha em média R$ 6.428,10 para uma jornada de trabalho de 18 horas semanais. Esse dado é de acordo com uma pesquisa do Salario.com.br junto a dados oficiais do Novo CAGED, eSocial e Empregador Web. O período avaliado foi de novembro de 2022 a novembro de 2023.

A faixa salarial do Médico Endocrinologista fica entre R$ 6.252,54 salário mediana da pesquisa e R$ R$ 13.564,26 (teto salarial). Informação com base em acordos coletivos levando em conta profissionais em regime CLT de todo o Brasil.

Vale ressaltar que a remuneração pode variar de acordo com o localidade, campo de atuação, jornada de trabalho e outros fatores.

A cidade com mais ocorrências de contratações e por consequência com mais vagas de emprego para Médico Endocrinologista e Metabologista é Brasília – DF.

Como se tornar um especialista em endocrinologia?

Para se tornar um médico endocrinologia no Brasil, é preciso que o profissional de medicina passe por algumas etapas. Conheça agora os caminhos possíveis para se tornar especialista nesta área:

Fazer residência médica

  1. Concluir o curso de medicina, que geralmente tem uma duração de seis anos;
  2. Passar em um processo seletivo de residência médica em clínica médica e concluir a especialização, que tem duração de dois anos;
  3. Depois ele deve fazer uma residência médica em endocrinologia e metabologia, que tem uma duração de dois anos.
  4. Ao final da especialização, o médico deve obter o registro do Conselho Regional de Medicina (CRM) do estado onde o profissional pretende atuar.

Aprovação em prova de título

  1. Conhecer todas as exigências do edital da prova de título desta especialidade. A partir disso o profissional pode entender como cumprir os requisitos e se prepara o exame.
  2. Aprovação na prova de título, realizada pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

Para potencializar essa preparação para prova, o profissional de medicina pode optar por realizar uma pós-graduação em áreas específicas dentro da endocrinologia para aprimorar ainda mais suas habilidades e conhecimentos.

Por falar em pós-graduação, você já conhece a pós-graduação lato sensu em endocrinologia da Sanar? O curso é super completo e flexível. [SABER MAIS SOBRE O CURSO DA SANAR]

A residência médica em endocrinologia

A residência médica em Endocrinologia dura dois anos e tem como pré-requisito a residência em Clínica Médica, com outros dois anos de duração.

Em sua formação, o futuro endocrinologista passa pelos serviços relacionados à subáreas do conhecimento:

  • Desenvolvimento (que inclui temas como crescimento, andropausa, distúrbios da menstruação e puberdade, reposição hormonal);
  • Obesidade e transtornos alimentares;
  • Diabetes;
  • Adrenal;
  • Ossos;
  • Neuroendócrino (hipófise);
  • Tireoide.

As suas atividades diárias se dividem entre o atendimento ambulatorial, que ocupa a maior parte do dia a dia, enfermaria e reuniões didáticas, que incluem aulas, apresentações de casos clínicos e artigos científicos.

Há alguns programas também contemplam atividades relacionadas à biologia molecular e a rotina laboratorial de hormônios. 

Na rotina ambulatorial, existe grande interação com outras especialidades na condução dos casos, como nutrologia e nutrição, radiologia e cirurgia. 

Preparação para residência em endocrinologia

A melhor forma de acertar na escolha da sua carreira é se informar. Procure ler bastante sobre o assunto e conversar com profissionais da área.

Sugestão de leitura complementar

Esses artigos também te interessar:

Confira também uma palestra com o Dr. Ricardo Meirelles, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, sobre a carreira de endocrinologista:

Referências do artigo