Carreira

Especialidades médicas podem ser substituídas por Inteligência Artificial?

Especialidades médicas podem ser substituídas por Inteligência Artificial?

Compartilhar
Imagem de perfil de Karol Barreto

Inteligência Artificial e o futuro da medicina. Você precisa ficar por dentro deste assunto!

Muitos se preocupam com o futuro da medicina, principalmente porque há quem acredite que a inteligência artificial será capaz de substituir funções hoje exercidas pelo médico.

Vamos discutir aqui um pouco dos avanços tecnológicos da área médica. As mudanças já implementadas por estas tecnologias, e as perspectivas que estas mudanças trazem para algumas áreas. 

A inteligência artificial e o laudo de exames

Uma das preocupações que ocupam a cabeça de muitos médicos é se a inteligência artificial será capaz de laudar exames, dispensando o trabalho técnico do radiologista. 

É inegável que a qualidade das imagens dos exames complementares melhorou exponencialmente nas últimas décadas. Mas, atualmente, já existem softwares capazes de ir além de apenas fornecer uma boa imagem. 

Já é realidade a emissão de laudos por máquinas equipadas com inteligência artificial, que predizem potencial oncológico e de sobrevida dos pacientes. Mas não é apenas na área da oncologia que a inteligência artificial vem trazendo benefícios. 

Na área da cardiologia, já existem sistemas de laudo de eletrocardiogramas sendo utilizados. Ajudando a detectar mais precocemente aqueles pacientes com infarto agudo do miocárdio, agilizando o encaminhamento para o tratamento da condição.

Há também sistemas que foram utilizados durante a pandemia da COVID-19. Auxiliando no diagnóstico por meio de análise de imagens de radiografias e tomografias, ajudando a predizer a probabilidade e gravidade do quadro. 

Cirurgia robótica aproxima cirurgião do paciente

A cirurgia robótica consiste num conjunto de braços robóticos, munidos de articulações, que permitem serem movimentadas por um cirurgião à distância.

Essa distância pode variar desde o cirurgião que opera na mesma sala onde está o robô, até mesmo cirurgias que ocorrem com o cirurgião em um país e o paciente em outro (sim, isso é possível e inclusive já aconteceu). 

Esta técnica, além de promover melhor ergonomia ao cirurgião, que pode permanecer sentado durante toda a cirurgia, facilita a cirurgia por oferecer diversos recursos com potencial de melhorar os resultados finais do procedimento.

O robô permite ao médico a capacidade de simular os movimentos que seriam realizados com sua própria mão. E traz a vantagem de lhe oferecer uma visão de 360 graus. Além disso, permite a ampliação da imagem, movimentos mais precisos, tudo isto reduzindo sangramento e tempo de cirurgia. 

Como podemos ver, a cirurgia robótica ganhará cada vez mais espaço, e trará muitos benefícios para pacientes e cirurgiões. 

Telemedicina e a regulamentação das teleconsultas

A telemedicina é um termo amplo, que envolve a utilização de tecnologias e recursos a distância durante a prática médica.

Na pandemia da COVID-19 o termo se tornou bastante popular, já que o CFM publicou uma resolução que forneceu diretrizes para o exercício da telemedicina, enquanto durar a pandemia. 

As teleconsultas passaram então a ser frequentes e regularizadas. Médicos e pacientes se tornaram mais abertos a esta ideia que, segundo muitos acreditam, veio para ficar. 

Durante a pandemia, as teleconsultas ajudaram muito a não sobrecarregar o sistema de saúde. Ao realizar atendimento e monitoramento de pacientes, mantendo-os em isolamento em casa quando não era necessário buscar atendimento hospitalar. 

Vantagens da permanência das teleconsultas

Se as teleconsultas continuarem no futuro, muita coisa boa pode ser extraída dela. Por exemplo, para populações que vivem em locais longínquos, distante dos grandes centros, será possível o acesso a médicos com maior facilidade.

Além disso, será possível ao médico expandir o seu público alvo de atendimento. Isso principalmente para aquelas especialidades de caráter puramente clínico, que não envolvam necessidade de procedimentos e/ou cirurgias. 

Uma outra vantagem da telemedicina é conferir a possibilidade de reuniões entre equipes médicas de diferentes locais. Permitindo o compartilhamento de informações dos pacientes, bem como discussões conjuntas para tomada de condutas naqueles casos mais complicados. 

Com isto, todos ganham. O paciente poderá contar com uma assistência mais especializada. Os médicos poderão contar com a ajuda de colegas mais experientes, que se encontram distantes. 

Para pacientes que moram em cidades do interior, por exemplo, e que precisam se deslocar em horas de viagem para se encontrarem com seu médico, isto poderá não ser mais necessário. 

Além disso, os custos em saúde poderão ser muito reduzidos com a realização de consultas a distância. Oferecendo a possibilidade de remanejar recursos para questões mais necessárias. 

Imunoterapia como promessa para diversas doenças

A imunoterapia vem apontando como uma alternativa promissora para diversas doenças graves, principalmente na área da oncologia. Na verdade, na oncohematologia, a imunoterapia já é muito utilizada e apresenta resultados animadores. 

Os imunoterápicos se utilizam do próprio sistema imune do paciente para ativar mecanismos que promovam a resolução da doença. Existem diversos tipos de imunoterápicos. 

Os mais conhecidos são os anticorpos monoclonais, que são produzidos in vitro para, depois de injetados no paciente, atacar antígenos específicos.

Eles já estão sendo utilizados no tratamento de diversos tipos de cânceres como leucemias, câncer colorretal, de pulmão e de mama. Não só na oncologia, os anticorpos monoclonais também vem ganhando espaço nas doenças auto-imunes, no tratamento de transplantes e em infecções virais. 

O maior limitante para o uso destas medicações é o seu alto custo financeiro. Sem dúvidas, o campo das doenças oncológicas e reumatológicas sofrerá grandes mudanças no futuro, com a incorporação de imunoterápicos, mudando prognóstico, sobrevida, taxas de cura e qualidade de vida dos pacientes. 

Conteúdos relacionados

Conclusão

Hoje discutimos apenas algumas das mudanças que estão sendo introduzidas na medicina graças ao avanço tecnológico e da inteligência artificial.

É importante ressaltar que as tecnologias não vão anular a atuação dos médicos. Elas abrem novos leques de possibilidades para diagnósticos e tratamentos.

Caso queira conhecer outras áreas que também vêm ganhando muito espaço dentro da medicina, você pode assistir ao vídeo sobre o assunto produzido pela Sanar: