Ciclos da Medicina

Pediatria: residência, áreas de atuação, rotina e mais

Pediatria: residência, áreas de atuação, rotina e mais

Compartilhar
Imagem de perfil de Residência Médica

Quem nunca ouviu falar na Pediatria? Essa especialidade, diferente da Oncologia ou Oftalmologia, por exemplo, se dedica a uma idade da vida e não a uma doença ou parte do corpo. 

O cuidado da Pediatria é voltado para o crescimento e desenvolvimento de recém-nascidos, crianças e adolescentes. 

O médico Pediatra está presente desde o aleitamento materno até as imunizações, prestando assistência médica tanto de maneira preventiva quanto curativa. 

pediatria

Áreas de atuação na Pediatria

O Médico Pediatra pode atuar em serviços de emergência, centros de terapia intensiva ou enfermaria dos hospitais como plantonista, além de  também trabalhar em consultório. 

Porém, no geral, o Pediatra concentra suas atividades de forma ambulatorial. Ou seja, presta serviços de saúde voltados para os casos de baixa complexidade e que não oferecem risco imediato à vida do paciente.

Para atuar em áreas específicas da Pediatria é necessário, além da formação inicial, treinamento e estudos em serviços especializados por um período que vai de um a três anos.

Após esse período de subespecialização, o médico Pediatra poderá atuar em áreas como medicina intensiva pediátrica, alergia e imunologia pediátrica, hematologia e hemoterapia pediátrica. 

Veja abaixo outras áreas de atuação da Pediatria: 

  • Neonatologia
  • Nutrologia pediátrica
  • Nefrologia pediátrica
  • Neurologia pediátrica
  • Infectologia pediátrica
  • Cardiologia pediátrica
  • Pneumologia pediátrica
  • Reumatologia pediátrica
  • Medicina do adolescente
  • Endocrinologia pediátrica
  • Gastroenterologia pediátrica

O especialista e sua rotina

O Pediatra é uma figura de confiança da criança e da família. Assim, é importante que ele seja sempre sincero, cuidadoso e paciente. 

O pediatria não apenas trata a doença. Ele ouve, discute, aconselha e acompanha seus pacientes no contexto familiar, atuando também na prevenção de problemas de saúde. 

A rotina deste profissional depende em parte da sua subespecialidade, como, por exemplo, o neonatologista que trabalha quase exclusivamente em regime de plantão. 

No entanto, dependendo do local de trabalho e de em qual fase a carreira se encontra, é possível que o Pediatra tenha a maior parte do seu tempo dedicada à Pediatria Geral. Assim, são poucos aqueles que trabalham exclusivamente como subespecialistas.

Mercado de Trabalho

De acordo com o estudo Demografia Médica no Brasil, divulgado em 2023, a área de pediatria conta com 48.654 especialistas. É a segunda especialidade com maior número de médicos, atrás apenas de Clínica Médica. Além disso, há sempre uma grande demanda por profissionais dessa especialidade, seja na capital ou no interior.

Essa especialidade também é a segunda maior em número de profissionais fazendo residência (4.546).

Com relação a demanda por pediatras, o público que esse profissional atende, que vai de bebê ao final da adolescência, são os que mais tem regularidade de consultas. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, a quantidade de visitas ao pediatra varia muito com a idade do paciente as suas necessidades individuais. Por exemplo, nos primeiros meses de vida é recomendado uma consulta por mês.

Além disso, as estatísticas do Sistema Único de Saúde (SUS) mostram que na faixa etária pediátrica, os brasileiros chegam a realizar dez consultas por criança anualmente. Sendo assim, seriam necessárias  630 milhões de consultas por ano para atender a todos. 

Locais de trabalho

Nesse contexto, é possível dizer que o mercado de trabalho é favorável para o jovem Pediatra, tendo uma grande demanda por plantões em prontos-socorros, UTI pediátrica e neonatal, salas de parto e berçários. 

O Pediatra também pode seguir carreira militar, trabalhar em áreas administrativa desenvolvendo programas de saúde pública, ou estar presente em ambientes como: 

  • Maternidades 
  • Ambulatórios
  • Postos de saúde 
  • Clínica da família
  • Transporte em ambulância

A Residência Médica em Pediatria 

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, existem mais de 270 instituições brasileiras que oferecem a residência na área.  Inicialmente, a especialização tinha duração de dois anos. No entanto, a partir de 2019, o programa passou a ser de três anos. Um dos motivos eram as dificuldades enfrentadas pelos residentes que faziam parte de sua formação no exterior. 

Por causa da curta duração, os serviços de fora do Brasil não reconheciam o currículo da Residência, o que impedia a validação das atividades quando os estudantes voltavam para o país. 

De acesso direto, o programa de Residência em Pediatria prevê 60 horas de jornada de trabalho semana. Sendo 40 horas de atividades rotineiras e 20 horas de plantão. 

A programação é composta majoritariamente por conteúdo prático, mas também conta com uma parcela de teoria. 

Os residentes são divididos para treinamento em sistema de rodízio nos serviços de:

  • Neonatologia 
  • Centro obstétrico
  • Enfermaria de pediatria
  • Ambulatórios de puericultura 
  • Unidade de Terapia Intensiva
  • Ambulatórios de especialidades
  • Serviços de urgência e pronto atendimento

Vale ressaltar que somente profissionais com o curso de Residência Médica finalizado conseguem a inscrição da especialidade junto ao registro do Conselho Regional de Medicina.

Remuneração na Pediatria

Essa é uma especialidade essencialmente clínica e por isso não existem procedimentos que acrescentam no salário do médico. No entanto, a remuneração do Pediatra tem melhorado e é bastante variável de região para região. 

A faixa salarial do pediatra fica entre R$ 6.589 salário mediana da pesquisa e o teto salarial de R$ 16.491,48. A média do piso salarial 2023 é de R$ 7.252,15 para jornadas de trabalho de 21 horas semanais. Esses dados são do site salario.com, que leva em consideração acordos coletivos com profissionais em regime CLT de todo o Brasil.

Vale ressaltar que a remuneração varia com a carga horária, local onde atua, região do país e experiência do profissional.

A cidade com mais ocorrências de contratações e por consequência com mais vagas de emprego para Médico Pediatra é Rio de Janeiro – RJ.

Os plantões costumam remunerar melhor, porém a qualidade de vida não é tão boa. É preciso lidar constantemente com estresse, aflições das famílias e a responsabilidade quanto à saúde de uma criança. 

Histórico da Pediatria

O surgimento da Pediatria como especialidade aconteceu no final do século XIX, em razão dos altos índices de mortalidade infantil e ausência de profissionais especializados para cuidar de crianças. 

No Brasil, Carlos Artur Moncorvo de Figueiredo é considerado o pai da pediatria. Em 1882 ele criou o primeiro curso regular de pediatria do país, na Policlínica Geral do Rio de Janeiro.

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) foi fundada em 27 de julho de 1910, mas não era tão brasileira assim. A nacionalização da SBP aconteceu apenas em 1951, com a filiação das Sociedades e Departamentos Estaduais de Pediatria. Antes disso, ela era uma instituição basicamente carioca. 

Sugestão de leitura complementar

Essas matérias podem te interessar:

Veja também:

Quer estudar para passar na residência de pediatria?

Como dito anteriormente, ingressar na residência médica de pediatria não é fácil. Para vencer a concorrência e garantir a aprovação, é importantíssimo estudar de forma totalmente focada e ter nas mãos os melhores materiais de estudo.

Quer saber como garantir tudo isso? Uma opção é investindo em um curso preparatório de residência médica. Por falar nisso, você conhece o curso da Sanar? Temos um plano de estudo totalmente flexível e focado na prova, um super banco de questões comentadas, aulas, apostilas, mentoria e muito mais.