Ciclo Clínico

Imunidade: resumo sobre o sistema imunológico

Imunidade: resumo sobre o sistema imunológico

Compartilhar
Imagem de perfil de Graduação Médica

Confira nosso resumo sobre o que é o sistema imunológico e os tipos de imunidade

A origem da palavra imunidade é grega e deriva do termo immunitas, que era o nome dado a proteção que os senadores romanos tinham durante o seu mandato.

O termo imunidade é utilizado em referência a proteção do nosso corpo contra doenças, infecções e inflamações por meio de uma rede de órgãos, células e moléculas que nos auxiliam nessa proteção, mantendo a homeostase do organismo e combatendo as agressões em geral.

Dada a importância desse assunto, elaboramos um resumo para esclarecer os conceitos chaves que envolvem a imunidade e te ajudar em seus estudos. Aproveite a leitura!

Contextualização sobre o termo

A utilização do termo sistema imunológico, como conhecemos hoje, data do século V a.C. O conceito de um sistema dentro do nosso corpo que nos protege de doenças já era imaginado por muitas culturas.

Um antigo costume chinês, por exemplo, era estimular a imunidade de crianças contra a varíola fazendo-as inalarem pó de lesões cutâneas de pacientes que estavam em recuperação da doença.

Com o passar dos anos e com a incorporação tecnológica na medicina, passamos a ter uma compreensão ampliada de como o sistema imunológico funciona e como podemos potencializar as defesas do corpo contra vários agentes, como os vírus, através de vacinas, por exemplo.

O sistema imunológico e a resposta imunológica

Quando substâncias estranhas adentram nosso organismo – microrganismos infecciosos, macromoléculas, entre outras – uma resposta coletiva e organizada do nosso corpo ocorre para resolver essa situação. Essa é a resposta imunológica

Porém, embora a resposta imunológica seja iniciada comumente pelo contato contra agentes aparentemente externos, essa resposta também pode ser deflagrada para combater células danificadas ou malignas do nosso próprio corpo.

A imunologia é a ciência que estuda os eventos celulares e moleculares que ocorrem antes, durante e depois dessa resposta imunológica ser deflagrada.

Muitos eventos da resposta imunológica já foram elucidados pela ciência, porém ainda existem muitos outros mecanismos a se conhecer devido à complexidade do corpo humano. Por isso, o grande desafio da imunologia é conhecer e manipular o sistema imunológico. 

O estudo da imunologia se organiza conforme o tipo de resposta imunológica diante de uma agressão. Cada resposta possui um tipo de ação, função e células específicas, sendo elas divididas em imunidade inata (ou natural) e imunidade adquirida (ou adaptativa).

Imagem: Os principais mecanismos das imunidades natural e adquirida. Fonte: Abbas, 2019.

O conhecimento da nossa imunidade permite compreender as repercussões de erro inato da imunidade sobre o crescimento, o desenvolvimento de vacinas e uma série de outros elementos indispensáveis para a saúde humana.

Tipos de Imunidade

A defesa do nosso organismo contra as agressões e microrganismos ocorre de forma sequencial e coordenada que chamamos de resposta imunológica, como vimos acima.

É preciso conhecer como cada um dos tipos de resposta ocorre, seus componentes e suas funções, pois qualquer disfunção desse sistema gera grandes repercussões na saúde e na homeostase corporal. Os dois tipos são imunidade inata e imunidade adquirida.

Imunidade inata

A imunidade inata (ou natural) é uma resposta rápida e estereotipada a um número grande, mas limitado, de estímulos. Ela atua nas primeiras horas ou dias após a infecção, antes mesmo da imunidade adaptativa seja desenvolvida.

Esse tipo de imunidade recebe esse nome porque é realizada com base em mecanismos de defesa que o nosso corpo já possui antes mesmo da infecção e tem um tempo de reação bem rápido devido a isso. 

Principais mecanismos da imunidade inata

Os principais mecanismos da imunidade inata são:

  • Fagocitose; 
  • Liberação de mediadores inflamatórios;
  • Ativação do sistema complemento;
  • Liberação de Quimiocinas;
  • Síntese de proteínas de fase aguda;
  • Liberação de Citocinas. 

Para realizar tais funções, a imunidade natural conta com células especializadas, tais quais como: macrófagos, neutrófilos, células dendríticas e células Natural Killer (NK), como células efetoras.

Representação

A imunidade natural é representada por barreiras físicas, químicas e biológicas, por células especializadas e por moléculas solúveis, presentes em todos os indivíduos, não necessitando de contato prévio com moléculas imunogênicas ou agentes agressores.

Dessa forma, esse tipo de imunidade apresenta como característica básica importante o fato de não se alterar qualitativa ou quantitativamente após o contato com estes estímulos.

Ilustração Barreiras físicas e químicas.
Imagem: Barreiras físicas e químicas. Fonte: SILVERTHORN, 2017

Estratégias usadas pela imunidade inata

As duas estratégias principais utilizadas pela imunidade inata como forma de combate aos microrganismos são:

  1. Recrutamento de fagócitos e outros leucócitos que destroem esses microrganismos no processo nomeado como inflamação;
  2. Bloqueio da replicação viral de células infectadas por vírus por mecanismos distintos das reações inflamatórias.

Os mecanismos desencadeados pela imunidade inata são ativados por estímulos específicos presentes em diversos microrganismos, mas que não ocorrem na espécie humana, como lipopolissacarídeosresíduos de manose e ácidos teicoicos.

Esses elementos são encontrados na superfície de microrganismos e constituem os Padrões Moleculares Associados a Patógenos (PAMPs).

Os PAMPs ativam a resposta imune natural, por interação com os Receptores de Reconhecimento de Padrões (RRP), como por exemplo, a família dos receptores Toll-like (TLRs).

Imunidade adquirida

A resposta da imunidade adquirida (ou adaptativa) é mediada por linfócitos e seus produtos. Os linfócitos são células que conseguem reconhecer uma série de antígenos, que são as substâncias que promovem a produção de anticorpos.

Os linfócitos da imunidade adquirida podem ser de dois tipos distintos: os linfócitos B e os linfócitos T.

Imagem: Componentes e respostas da imunidade adquirida. Fonte: Abbas, 2019.

Características das respostas da imunidade adaptativa

São características fundamentais das respostas da imunidade adaptativa:

  • Especificidade: resposta específica para antígenos distintos e/ou para diferentes porções de uma macromolécula.
  • Diversidade: capacidade do repertório de linfócitos em reconhecer uma grande quantidade de antígenos.
  • Memória: capacidade de responder novamente a um antígeno ao qual já foi exposto anteriormente.
  • Não reatividade ao próprio meio (autotolerância): capacidade de reconhecer, responder e eliminar antígenos estranhos sem reagir de forma a prejudicar antígenos do próprio indivíduo.

É importante destacar que a resposta adaptativa é sempre sistêmica e são reguladas por um sistema de alças de feedback positivo que aumenta a reação às agressões e ativa mecanismos de controle que previnem reações patológicas.

Tipos de resposta

A resposta adaptativa ainda se organiza em dois tipos de resposta:

  1. Imunidade humoral
  2. Imunidade mediada por células

A imunidade humoral é mediada por anticorpos (moléculas no sangue e em secreções que são produzidas pelos linfócitos B). Esse é o principal mecanismo de defesa contra microrganismos e toxinas localizados fora das células.

Os anticorpos atuam reconhecendo antígenos, neutralizando a infecção e marcando microrganismos para serem eliminados por fagócitos e pelo sistema complemento.

A imunidade mediada por células tem como componente principal os linfócitos T que promove a destruição de um microrganismo dento dos fagócitos e a morte das células infectadas para eliminar reservas de infecção que ainda possam existir.

Na imagem abaixo, conseguimos visualizar os principais elementos que compõem a imunidade adaptativa por meio da resposta da imunidade humoral e da mediada por células:

Imagem: Tipos de imunidade adaptativa e seus componentes e funções. Fonte: Abbas, 2019.

Como estudar a imunologia?

A imunologia é uma ciência que se ocupa em compreender a complexidade do sistema imunológico e explicar como a nossa imunidade funciona.

Por ser um assunto tão vasto e ancorado em conceitos teóricos, é necessário que você seja capaz de dominar os conceitos básicos, começando principalmente em aprender os tipos de imunidade, suas funções e seus componentes principais.

Para conteúdos dessa natureza, o uso de flashcards, mapas mentais e quadros podem ser muito úteis em seus estudos. Quadros explicativos e bem resumidos como esse logo abaixo podem te ajudar a revisar os assuntos.

Tabela

Descrição gerada automaticamente
Imagem: Principais características da imunidade inata e da imunidade adquirida. Fonte: Abbas, 2019.

Além dessas técnicas de estudo ativo, não esqueça dos benefícios que o estudo norteado por questões pode apresentar!

Questões sobre sistema imunológico

Para te ajudar a fixar esse assunto, separamos algumas questões que podem cair em provas de imunologia e em outras disciplinas, já que esses assuntos permeiam várias áreas da medicina. Confira abaixo:

Questão 1 – A resposta imunológica da imunidade adaptativa humoral é mediada por anticorpos associados a que tipo de linfócito? 

  • A) Linfócitos T
  • B) Linfócitos T citotóxico
  • C) Linfócitos B
  • D) Os anticorpos não estão relacionados a nenhum tipo de linfócito. 

Gabarito da Questão 1: Letra C. A imunidade humoral é mediada por anticorpos (moléculas no sangue e em secreções que são produzidas pelos linfócitos B).

Questão 2 – Qual dos componentes abaixo NÃO representam moléculas solúveis da imunidade inata? 

  • A) Citocinas
  • B) Proteínas de fase aguda
  • C) Quimiocinas 
  • D) Neutrófilos 

Gabarito da Questão 2: Letra D. Os neutrófilos fazem parte da imunidade inata, mas eles são células e não moléculas solúveis.

Questão 3 – A liberação de mediadores inflamatórios, ativação do sistema complemento e a fagocitose são alguns dos principais mecanismos de qual tipo de imunidade? 

  • A) Imunidade natural (ou inata)
  • B) Imunidade adquirida
  • C) Imunidade humoral 
  • D) Imunidade mediada por células 

Gabarito da Questão 3: Letra A. Fagocitose, liberação de mediadores inflamatórios, ativação do sistema complemento, síntese de proteínas de fase aguda, liberação de Quimiocinas e de Citocinas são os principais mecanismos da imunidade inata (ou natural). 

Dica extra para os estudos

Quer ter acesso a uma série de conteúdos ricos sobre imunidade e um banco de questões supercompleto sobre qualquer outro assunto em medicina? Conheça o SanarFlix, a plataforma de estudo mais completa para a jornada do estudante de medicina

Referências

  • ABBAS, Abul K. et al. Imunologia: Celular e Molecular. 9 ed. Rio De Janeiro: Editora Elsevier Ltda, 2019. 
  • GUYTON, A.C. e Hall J.E.– Tratado de Fisiologia Médica. Editora Elsevier. 13ª ed., 2017. 
  • AIRES, Margarida de Mello. Fisiologia. 5 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2019, 1376 p.
  • SILVERTHORN, Dee Unglaub. Fisiologia humana: uma abordagem integrada. 7. ed. 2017

Sugestão de leitura complementar

Esses artigos podem ser do seu interesse: