Coronavírus

Autoteste de covid-19 é liberado pela Anvisa: veja as principais informações sobre o exame

Autoteste de covid-19 é liberado pela Anvisa: veja as principais informações sobre o exame

Compartilhar
Imagem de perfil de Notícias

A diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou hoje (28), por unanimidade, o uso e comercialização no Brasil de autotestes para detecção de covid-19.

A aprovação ocorre após o envio de informações pelo Ministério da Saúde a pedido da Anvisa que, em 19 de janeiro, solicitou esclarecimentos a respeito da inclusão do autoteste nas políticas públicas de testagem para covid-19.

Com a aprovação, será permitida a venda de autotestes diretamente ao consumidor por farmácias e estabelecimentos de saúde licenciados para comercializar dispositivos médicos.

De acordo com a decisão da Anvisa, é proibida a oferta de autotestes na internet em sítios eletrônicos que não pertençam a farmácias ou estabelecimentos de saúde autorizados e licenciados pelos órgãos de vigilância sanitária competentes.

Ainda segundo a Anvisa, nenhum autoteste poderá ser comercializado imediatamente no país. As empresas habilitadas legalmente que desejarem colocar esses dispositivos à venda terão que registrar o produto na Anvisa.

A Resolução de Diretoria Colegiada (RDC) aprovada hoje estabelece os critérios para o peticionamento do registro, bem como, em seu artigo 22, define que as petições relacionadas ao tema serão analisadas com prioridade pela Agência, enquanto for mantida a declaração de emergência de saúde pública.

Como funciona o autoteste de covid-19

Os exames, que podem ser feitos em casa, permitem realizar o acompanhamento das condições da doença. No entanto, os testes não são conclusivos para o diagnóstico segundo a Anvisa.

A autotestagem é feita pelo mesmo tipo de exame utilizado hoje nas farmácias, o de antígeno. Diferente do teste RT-PCR, que detecta o RNA do vírus, o antígeno localiza as proteínas do novo coronavírus, e por isso a eficácia é um pouco menor (em torno de 85%).

O resultado sai em menos tempo, entre 15 e 30 minutos. Além disso, o procedimento para realização do teste e leitura do resultado é bem simples.

Passo a passo para realizar o autoteste

Há variadas marcas de autotestes para Covid-19 no mundo e não saberemos quais produtos serão liberados para uso no Brasil. De qualquer forma, o passo a passo para a maioria dos exames é o seguinte:

  • Passo 1- Higienize as mãos. Abra o kit com cuidado e coloque seus itens sobre uma superfície plana e limpa;
  • Passo 2 – Verifique se todos os itens estão presentes ( cotonete, a tira de testes, o líquido reagente, o tubo e a tampinha conta-gotas);
  • Passo 3 – Abra o envelope do cotonete sem encostar no algodão. Incline levemente a cabeça para trás e introduza o cotonete em uma narina até sentir uma pressão. Gire o cotonete por cinco vezes. Repita o processo na outra narina. É normal sentir uma leve ardência;
  • Passo 4 – abra a embalagem da solução e despeje dentro do tubo destinado para este fim. Coloque o cotonete com a parte de algodão em contato com o líquido. Faça movimentos circulares. Antes de tirar o cotonete, aperte o tubo de modo a espremer o algodão para que todo o líquido saia dele.
  • Passo 5 – Tampe o tubo com o líquido com o conta-gotas. Coloque o cotonete dentro da embalagem que ele veio. É nela que esse item deve ser jogado fora. Vire o tubo e pingue de três a quatro gotas no local indicado. Espere por cerca de 15 minutos.
  • Passo 6 – Verifique o resultado. A tira de testagem vem com duas letras: T e C.
  1. Positivo: se após os 15 minutos parecer duas listras vermelhas, (uma do lado de cada letra). É preciso fazer o isolamento social.
  2. Negativo: se após os 15 minutos parecer apenas uma listra vermelha ao lado da letra C, o teste deu negativo e você pode não estar com Covid-19.
  3. Inválido: se após os 15 minutos não aparecer nenhuma listra vermelha ou ela aparecer apenas ao lado da letra T, o teste está inválido. E deve ser repetido em outro kit, seguindo todo o passo a passo novamente.

Vale ressaltar que o autoteste é utilizado como estratégia de saúde pública nos Estados Unidos e em países da Europa, como Reino Unido, Portugal e Itália.

Opinião médica sobre o autoteste de covid-19

“A sensibilidade dos testes de antígenos é de 60% a 40%. Ele é um bom teste para quando o paciente está nos primeiros dias de infecção, apresentando os primeiros sintomas. Se ele der positivo, a pessoa está com Covid. Mas se ele der negativo, é preciso continuar investigando. Principalmente quando o paciente teve contato com outra pessoa com diagnóstico positivo”, explica o médico geneticista Salmo Raskin, em entrevista à Revista Exame. Ele é diretor do Laboratório Genetika, de Curitiba.

Autoteste e o SUS

Em entrevista, nesse quinta-feira (27), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, explicou que os autotestes não serão distribuídos gratuitamente para a população, mas ficarão disponíveis nas farmácias para “a sociedade que tiver interesse em adquirir”.

Segundo o ministro, os autotestes vão facilitar o acesso ao teste de covid-19 e, com isso, será possível “um acompanhamento adicional do ritmo da pandemia”.

Fonte: Anvisa, Agência Brasil e Revista Exame

Posts relacionados