Dermatologia

Câncer de pele: entenda tudo sobre o tema!

Câncer de pele: entenda tudo sobre o tema!

Compartilhar

SanarFlix

5 min há 820 dias

Confira um artigo completo sobre o Câncer de Pele e entenda como esse câncer surge no corpo dos pacientes . Tire todas as suas dúvidas sobre o tema, boa leitura!

Câncer de pele: Introdução

A pele

A pele é composta por epiderme, derme e hipoderme. A epiderme constitui-se de quatro camadas: córnea, granulosa, espinhosa e camada basal (ou germinativa).

Imagem sobre as camadas da pele: córnea, granulosa, espinhosa e basal.

Imagem: Histologia na epiderme e da derme. Fonte: Anatpat, UNICAMP.

Dessa forma, a pele fornece proteção contra a radiação solar, através de alguns dos seus componentes, como: pelos, melanina e células de defesa. De acordo com a sua sensibilidade e sua resposta quando exposta a radiação solar, a pele pode ser classificada em 6 fototipos de Fitzpatrick:

  • Fototipo I – Pele branca que sempre queima, nunca bronzeia e é muito sensível ao sol;
  • Fototipo II – Pele branca que sempre queima, bronzeia muito pouco e é sensível ao sol;
  • Fototipo III – Pele morena clara que queima moderadamente, bronzeia moderadamente e possui sensibilidade normal ao sol;
  • Fototipo IV – Pele morena moderada que queima pouco, sempre bronzeia e possui sensibilidade normal ao sol;
  • Fototipo V – Pele morena escura que queima raramente, sempre bronzeia e é pouco sensível ao sol;
  • Fototipo VI – Pele negra que nunca queima e nunca bronzeia, porque é totalmente pigmentada e é insensível ao sol.

Imagem sobre os diferentes fototipos da pele

Imagem: Fototipos de Fitzpatrick. Fonte: Adaptado de MDSkin

Radiação solar

A radiação solar possui um espectro muito amplo, mas o subtipo que mais causa dano a pele é a radiação ultravioleta (UV), que pode ser UVA ou UVB. A radiação UVA penetra até a derme e é constante durante o dia, sendo responsável pelas lesões de foto-envelhecimento.

Já a radiação UVB é aquela presente principalmente nos horários de 10 às 16 horas, que acomete as camadas mais superficiais da pele e causa as queimaduras solares.

O índice ultravioleta é a quantidade de radiação UV que chega a determinado local, sendo influenciado por alguns fatores: camada de ozônio e presença de nuvens (já que estas bloqueiam a radiação UVB), estações do ano (no verão há maior exposição) e altitude (locais mais altos são mais expostos à radiação).

Proteção solar

Como será exposto a seguir, o principal fator de risco para as lesões pré-malignas e para os cânceres de pele é a radiação ultravioleta. Assim, a prevenção para estas neoplasias se faz por meio da fotoproteção.

A fotoproteção deve ser realizada com filtros solares e acessórios (chapéu, boné, roupas e óculos), sendo que os filtros devem ser usados mesmo em dias nublados, porque a radiação UV ultrapassa as nuvens e a própria luz visível causa danos a pele.

SE LIGA! Recomenda-se que sejam usados filtros solares com fator de proteção 30, porque filtros com fatores acima disso não exercem proteção maior. Ademais, qualquer tipo de tecido protege contra as radiações UVA e UVB, e não somente as roupas produzidas especificamente para essa proteção.

Câncer de pele: Fotodermatoses

As fotodermatoses são alterações na pele que ocorrem em áreas fotoexpostas pela exposição excessiva a luz solar. Diferentes lesões ocorrem a depender da duração da exposição.

Exposição a curto prazo

    1. Efélides (ou sardas) – comum em região malar e em ombros de pessoas de fototipo I ou II de Fitzpatrick . Caracterizam-se por serem manchas hipercrômicas, castanho-claras. Ficam mais claras no inverno e se acentuam no verão.
    2. Queimaduras de 1º grau – caracterizadas pelo eritema.
    3. Queimaduras de 2º grau – caracterizadas pela formação de flictenas (bolhas).

Imagem sobre Efélides em região malar

Imagem: Efélides em região malar. Fonte: SBD-RJ.

Imagem sobre Queimadura solar de 1º grau, com clara demarcação entre a área eritematosa exposta ao sol e a área branca protegida.

Imagem: Queimadura solar de 1º grau, com clara demarcação entre a área eritematosa exposta ao sol e a área branca protegida. Fonte: Wolff, K., 2014

Imagem sobre Queimadura de 2º grau com flictenas íntegras.

Imagem: Queimadura de 2º grau com flictenas íntegras. Fonte: Oliveira, AF., 2017

Exposição a longo prazo

    1. Melanose solar (ou lentigo solar) – máculas ou manchas hipercrômicas (figura 6), semelhantes às efélides, mas são mais escuras e não regridem no inverno (são constantes em qualquer período do ano).
    2. Elastose solar – Pele se torna mais espessa e com dobras mais visíveis. Quando acomete o dorso do pescoço denomina-se cutis rhomboidalis nuchae.
    3. Leucodermia gutata (ou leucodermia solar) – sardas esbranquiçadas que acometem principalmente antebraços e pernas.

Posts relacionados

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade © Copyright, Todos os direitos reservados.