Infectologia

Caso Clínico: Dengue | Ligas

Caso Clínico: Dengue | Ligas

Compartilhar

A dengue é uma doença infecciosa viral aguda que pode cursar de forma benigna ou grave, transmitida pela fêmea do mosquito Aedes aegypti.

Identificação do paciente

LMF, masculino, 42 anos, pardo, nascido e residente no bairro de Campo Grande, Rio de Janeiro, Brasil; pedreiro, de origem católica, heterossexual, maior grau de instrução: ensino fundamental.

Queixa principal

“febre alta, dor no corpo e dor de cabeça forte a 5 dias”

História da doença Atual (HDA)

Paciente procura atendimento por demanda espontânea na UBS local no dia 15/03/2021 com quadro de febre aferida de 39.5 °C, cefaleia, dor retro-orbitária e  mialgia, com início dos sintomas no dia 10/03/2021, evoluindo com aumento de intensidade da mialgia e aumento de volume em abdome. Até então sem complicações. Em uso de dipirona, com melhora parcial dos sintomas durante o tempo de efeito do medicamento.

Antecedentes pessoais, familiares e sociais

História pregressa de rubéola, confirmada por sorologia. No último final de semana que antecedeu o início dos sintomas, frequentou um sítio no bairro vizinho. Não havia relato de outros casos febris entre as pessoas que também estiveram no sítio junto com a paciente, porém, alguns vizinhos seus estavam com suspeita de dengue.

Anteriormente ao início dos sintomas, nega diabetes, hipertensão, doenças hepáticas, parasitoses e/ou ISTS.

Exame físico

Regular estado geral, corado, hidratado, anictérico. Temperatura axilar de 38,5ºC.

PA – 120 x 80mmHg; Freqüência cardíaca: 94bpm; Peso: 89kg; Estatura: 1,70m.

Pele: exantema maculopapular em membros superiores e dorso

Segmento cefálico: sem alterações.

Ausculta pulmonar e cardiovascular sem alterações

Abdome: globoso, normotenso, indolor, sem visceromegalias.

Neurológico: sem alterações.

Prova do laço: positiva.

Suspeitas diagnósticas

  • Dengue
  • Zika

Exames complementares

Hemograma: Hb: 16g/dL; Ht: 48%; Plaquetas: 87.000/ mm3; Leucócitos totais: 5.200/mm3.

Diagnóstico

O paciente apresenta caso de dengue.

Dengue é uma doença febril aguda, com duração de 5 a 7 dias. O dengue clássico apresenta quadro clínico muito variável, geralmente com febre alta (39º a 40º) de início abrupto, seguida de cefaléia, mialgia, prostração, artralgia, anorexia, astenia, dor retro-orbitária, náuseas, vômitos e exantema. Associada à síndrome febril, em alguns casos pode ocorrer hepatomegalia dolorosa e, principalmente, nas crianças, dor abdominal generalizada. Os adultos podem apresentar manifestações hemorrágicas, como petéquias, epistaxe, gengivorragia, sangramento gastrintestinal, hematúria e metrorragia. Com o desaparecimento da febre, há regressão dos sinais e sintomas, podendo ainda persistir a fadiga.

O paciente em questão apresenta quadro de febre alta há 5 dias, com cefaleia, mialgia, dor retroorbitária, exantema, além de abdome globoso, que pode indicar ascite, e reside em área com possível foco de dengue.

O diagnóstico diferencial para casos de Zika e Chikungunya está especificado no quadro abaixo:

Discussão do caso de dengue

1. Por que os pacientes procuram a UBS já com sintomas tão acentuados?

Logo no início da infecção, o paciente apresenta alta viremia, que irá decair com a resposta imune do paciente, inversamente proporcional à permeabilidade capilar, que vai aumentando com a infecção, também fruto da resposta imune do paciente, o que traduz um período crítico entre os 4° e 7° dias de doença

2. Quando é um caso suspeito de dengue?

Segundo a OMS, é caso suspeito de dengue qualquer pessoa que viva ou tenha viajado nos últimos 14 dias para área onde esteja ocorrendo transmissão de dengue ou tenha a presença de A. aegypti, que apresenta febre, usualmente entre 2 e 7 dias, e duas ou mais das seguintes manifestações: náusea e/ou vômitos, exantema, mialgias e/ou artralgias, cefaleia e/ou dor retroorbital, petéquias ou prova do laço positiva e leucopenia

3. como é realizada a prova do laço?

A prova do laço deve ser realizada na triagem, obrigatoriamente em todo paciente com suspeita de dengue e que não apresente sangramento espontâneo. A prova deverá ser repetida no acompanhamento clínico do paciente apenas se previamente negativa.

a. Verificar pressão arterial e calcular valor médio pela fórmula [(PAS + PAD)/2];

b. Insuflar o manguito até o valor médio e manter durante 5 minutos nos adultos e 3 minutos nas crianças;

c. Desenhar um quadrado com 2,5 cm de lado no antebraço e contar o número de petéquias formadas dentro dele. A prova será positiva se houverem 20 ou mais petéquias em adultos e 10 ou mais em crianças. Atenção para o surgimento de possíveis petéquias em todo o antebraço, dorso das mãos e dedos;

Se a prova do laço se apresenta positiva antes do tempo preconizado para adultos e crianças, a mesma pode ser interrompida. A prova do laço frequentemente negativa em pessoas obesas e durante o choque.

Conclusão

Após exames, a equipe decidiu prescrever soro caseiro para reidratação em casa, paracetamol 750mg de 6/6 horas e retorno em 48 horas para reavaliação com seu médico de família.

Autores, revisores e orientadores:

Liga: Liga Acadêmica de Medicina de Família e Comunidade Professor Hésio Cordeiro UNESA CITTÁ – @lamfechc

Autor(a) : Raíza da Silva Pereira – @raizapereira

Revisor(a): Ariane Rodrigues Silva – @arianerodriguessilva

Orientador(a): André Lopes

Gostou da postagem? Quer ter a sua liga postando no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe!

Referências:

GIOVANNINI, Camilla Mesquita Sampaio. Diagnóstico diferencial entre dengue e Covid-19: relato de caso. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 11, p. 86400-86410, 2020.

CASALI, Clarisse Guimarães et al. A epidemia de dengue/dengue hemorrágico no município do Rio de Janeiro, 2001/2002. Revista da sociedade Brasileira de medicina tropical, v. 37, n. 4, p. 296-299, 2004.

MACIEL, Ivan José; JÚNIOR, João Bosco Siqueira; MARTELLI, Celina Maria Turchi. Epidemiologia e desafios no controle do dengue. Revista de Patologia Tropical/Journal of Tropical Pathology, v. 37, n. 2, p. 111-130, 2008.

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.
3
EM ALTA