assuntos atuais

Varíola dos macacos: o que é, sintomas, transmissão e tratamento

Varíola dos macacos: o que é, sintomas, transmissão e tratamento

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar

Você já ouviu falar na varíola dos macacos, também conhecida como Monkeypox? Essa doença foi citada na literatura, pela primeira vez, em 1958 e trata-se de uma doença zoonótica viral.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (21/05), a varíola dos macacos foi confirmada em 92 pacientes em 14 países, dentre eles: Austrália, Alemanha, Bélgica, Canadá, França, Estados Unidos, Espanha, Itália, Portugal, Suécia, Suíça, Israel, Países Baixos, Reino Unido. Todos os pacientes sem histórico recente de viagem para áreas endêmicas.

Para te manter informado sobre o tema, a Sanar reuniu tudo o que você precisa saber sobre essa patologia. 

Casos de varíola dos macacos no Brasil

Foi confirmado pelo Ministério da Saúde, nesta segunda-feira (30/05), a notificação de dois casos suspeitos de varíola dos macacos no Brasil. Um caso suspeito está no Ceará e o outro, em Santa Catarina. Um terceiro caso, que pode ser suspeito, está sendo monitorado no Rio Grande do Sul.

Os casos ainda não foram confirmados. Os pacientes seguem em recuperação e isolados.

Primeiro caso de varíola dos macacos é confirmado no Brasil

Foi confirmado hoje (08/06), o primeiro caso de varíola dos macacos no Brasil, em São Paulo. O paciente, um homem de 41 anos, tinha viajado à Espanha recentemente. O indivíduo segue em isolamento no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, na Zona Oeste da capital.

O que é a varíola dos macacos? 

A Monkeypox (varíola dos macacos) é causada pelo vírus da varíola dos macacos. Por ser uma doença zoonótica viral, sua transmissão para humanos pode ocorrer por meio do contato com animal ou humano infectado. 

Vale salientar que os primatas não são reservatórios do vírus da varíola e ainda não se sabe, exatamente, qual o reservatório. No entanto, acredita-se que os pequenos roedores como os esquilos que vivem nas florestas tropicais da África podem exercer esse papel de reservatório.

Quais os sintomas da Monkeypox?

No geral, os pacientes acometidos cursam com sintomas leves. Depois da infecção, leva-se geralmente de 5 a 21 dias para os primeiros sintomas surgirem. Os sintomas iniciais são de uma infecção viral sistêmica inespecífica:

  • Febre 
  • Dor de cabeça
  • Dores musculares 
  • Dores nas costas
  • Linfadenopatia (aumento dos linfonodos)
  • Calafrios
  • Exaustão

Além disso, os pacientes apresentam erupções cutâneas em 1 a 3 dias depois do início da febre, que geralmente se desenvolvem pelo rosto e depois por outras partes do corpo, incluindo os órgãos genitais. 

Fonte: UKHSA

A erupção cursa com bastante prurido e passa por diferentes estágios, podendo, inicialmente, ser confundida com varicela ou sífilis. Contudo, a evolução dessas lesões é uniforme e quando a crosta desaparece, o indivíduo deixa de infectar outras pessoas. 

Apesar da doença apresentar um quadro leve, ela poderá ganhar formas mais severas, especialmente em crianças pequenas, mulheres grávidas e pessoas imunocomprometidas.

Como a varíola dos macacos é transmitida?

De acordo com a OMS, a transmissão entre humanos ocorre principalmente por meio de contato pessoal com as lesões de pele de pessoas infectadas, secreções respiratórias ou objetos recentemente contaminados. Está ocorredo também a transmissão entre parceiros sexuais, devido ao contato íntimo durante o sexo com lesões cutâneas infecciosas.

Os profissionais da saúde devem se atentar quanto às medidas contra contato e para gotículas. Esses precauções devem ser aplicadas a todos os estabelecimentos de saúde.

Fonte: Anvisa, 2021

Além disso, o manejo adequado dos casos deve ser estabelecido para evitar que haja infecções hospitalares, com fluxo adequado da triagem para as salas de isolamento.

Como é o tratamento para varíola dos macacos?

Segundo a OMS, ainda não existe um tratamento específico para a infecção pelo vírus da varíola dos macacos. É perceptível que os sintomas da varíola geralmente desaparecem espontaneamente. 

Além disso, deve-se evitar tocar em feridas na boca ou nos olhos. Outro fator importante, é que a vacinação contra a varíola demonstrou ajudar a prevenir ou atenuar a doença da varíola dos macacos, com uma eficácia de 85%.

A varíola do macaco tem cura?

Sim, tem cura. Contudo, é importante cuidar da erupção deixando-a secar.

Referência bibliográfica: 

  • UKHSA. Monkeypox cases confirmed in England – latest updates Disponível em:https://www.gov.uk/government/news/monkeypox-cases-confirmed-in-england-latestupdates. Acessado em: 23 de Maio de /2022.
  • OPAS/OMS. Alerta Epidemiológico: Monkeypox em países não endêmicos. Disponível em: https://www.paho.org/es/documentos/alerta-epidemiologica-viruela-simica-paises-noendemicos-20-mayo-2022 Acessado em: 23 de Maio de 2022.
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Comunicação de risco: casos notificados de Monkeypox (varíola dos macacos) em 14 países. Acesso em 23 de Maio de 2022. 

Sugestão de leitura complementar: