Pneumologia

Covid-19 ou gripe? Entenda as diferenças dos sintomas e tratamentos

Covid-19 ou gripe? Entenda as diferenças dos sintomas e tratamentos

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar

O final de 2021 no Brasil foi marcado por uma crescente no número de casos de gripe. Vale lembrar, que mesmo com uma queda acentuada das curvas de mortes e infecções por covid-19, a pandemia do novo corovíruas ainda é um problema grave. Atualmente, se tornou comum o questionamento “será que estou com covid-19 ou é gripe?”. Isso porque, de acordo com especialistas, os sintomas das doenças são semelhantes, sobretudo nos primeiros dias.

Tosse, dor de cabeça, febre muscular, dor de garganta, coriza, vermelhidão nos olhos, olhos lacrimejantes. Todos são sintomas que podem ocorrer tanto nos casos de gripe como nos de covid-19. Os tratamentos, no entanto, são diferentes.

Os testes laboratoriais são a melhor alternativa para um diagnóstico preciso e, consequentemente, orientação para tratamento e monitoramento adequado dos pacientes.

Como diferenciar se é covid-19 ou gripe?

Em entrevista ao Agência Brasil, o patologista clínico Helio Magarinos explicou que a grande maioria dos casos de gripe se resolve sozinha. Já a covid-19 precisa ser monitorada, uma vez que os pacientes podem apresentar recaídas ou casos bastante graves.

Apenas em uma consulta médica, é difícil diferenciar as doenças. “Não é muito fácil fazer o diagnóstico clínico somente, precisa de testes que ajudam um pouco mais a fazer essa distinção”, acrescenta Magarinos.

Helio Magarinos é presidente regional da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/ Medicina Laboratorial do Rio de Janeiro.

Para o infectologista e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia Helio Bacha, é importante garantir que todos os pacientes sejam testados ao menos para covid-19.

“Elas [as doenças] têm histórico clínico diferente ao longo do tempo, mas os primeiros sintomas são muito parecidos, não dá para diferenciar: dor no corpo, mal-estar, febre, sintomas de resfriado, rinite. Em alguns casos, temos na covid-19 uma evolução mais grave na segunda semana”, conta Helio Bacha ao Agência Brasil.

Ao apresentar sintomas, é importante que a pessoa procure assistência médica para que o profissional possa indicar os procedimentos adequados à realização do diagnóstico.

Testagem e a sua importância

Para identificar caso da covid-19, há diferentes modalidades de teste, como os testes de antígeno ou laboratoriais PCR. A variedades de tipos de exame de detecção também se aplica no caso de gripe.

Vale acrescentar que há um novo tipo de testagem, o covid multiplex. O teste usa a técnica de RT-PCR para detectar, além do vírus SARS-CoV-2, responsável pela covid-19, os vírus da influenza A e da influenza B, que são os dois principais causadores da gripe, e o Vírus Sincicial Respiratório, também conhecido pela sua sigla em inglês, como RSV.

O resultado do teste é liberado em até 48 horas e é realizado em raspados de nasofaringe, coletados através das narinas.

A identificação da doença é fundamental, principalmente diante dos riscos de transmissão da covid-19. De acordo com informações do Ministério da Saúde, uma pessoa infectada deve, além de procurar atendimento, ficar isolada de outros indivíduos e fazer quarentena de até 14 dias.

Diferenças entre a gripe e a covid-19

Sintomas como febre, tosse seca, cansaço, dores no corpo, mal-estar e dor de cabeça são comuns em casos de gripe. Coriza ou nariz entupido e dor de garganta podem aparecer, mas são menos frequentes.

A gripe pode evoluir para casos graves e até mesmo para a morte. Segundo material explicativo do Instituto Fernandes Figueira, da Fundação Oswaldo Cruz (IFF-Fiocruz), a hospitalização e a possibilidade de óbito estão, em geral, vinculadas aos grupos de alto risco. A influenza pode também abrir espaço para infecções secundárias, como aquelas causadas por bactérias.

Na covid-19, febre e tosse seca são sintomas comuns. Já cansaço, dores no corpo, mal-estar e dor de garganta podem surgir às vezes. A doença tem outros sintomas que, em geral, não são sentidos por quem tem gripe, como perda do olfato e paladar.

A covid-19 também pode avançar para quadros mais graves, como evidencia a marca de mais de 600 mil pessoas. Pessoas nessas situações mais graves ou críticas podem ter forte falta de ar, pneumonia grave e outros problemas respiratórios que demandem suporte ventilatório ou internação em unidades de terapia intensiva.

Para Agência Brasil, a infectologia Ana Helena Germoglio detalha diferenças entre as doenças. “A covid-19, principalmente agora, dá muita queixa de perda de olfato e paladar. A influenza costuma deixar mais prostrado, acamado, dor no corpo, sensação de congestão. Quando a gente compara as duas, a influenza dá muito mais sintomas. Pra gente fechar o diagnóstico, somente com exame laboratorial”.

É possível ter covid-19 e gripe ao mesmo tempo?

Em entrevista concedida para o portal CNN, a pneumologista e pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Margareth Dalcolmo, conta que é possível ser infectado pelas duas doenças ao mesmo tempo, mas a probabilidade é pequena.

“Ambas as doenças são de fácil contagiosidade. A cepa Ômicron tem uma capacidade de espalhamento muito superior às cepas anteriores”, afirmou Margateth.

Prevenção

Para se prevenir das duas doenças, é importante continuar a adotar medidas de prevenção contra vírus respiratórios. Usar máscara, evitar aglomerações e ambientes fechados e higienizar as mãos com frequência. Outro ponto importante é não sair de casa com sintomas de gripe.

Fonte: Agência Brasil e CNN


Posts relacionados