Biofísica

Descomplicando o ciclo cardíaco | Colunistas

Descomplicando o ciclo cardíaco | Colunistas

Compartilhar

Ana Tainara Silva

8 minhá 220 dias

O ciclo cardíaco é um conjunto de atividades que ocorre entre o início de um batimento até o próximo. Este ciclo se inicia pelo regulamento do nó sinusal (ou nodo sinusal), localizado na parte superior do coração no átrio direito (AD). O potencial de ação começa neste ponto para os dois átrios e depois vai para os ventrículos através do feixe atrioventricular, originando o ciclo e começando a circulação sanguínea.

Existem dois tipos de circulação, a primeira é a pulmonar ou pequena circulação, que ocorre do lado direito do coração onde o sangue é bombeado para os pulmões e voltam ricos em oxigênio para o lado esquerdo. A segunda é a circulação sistêmica ou grande circulação, que ocorre do lado esquerdo do coração, onde o sangue que veio dos pulmões é bombeado para todo o corpo por intermédio inicial da artéria aorta.

            O ciclo cardíaco abrange o período de diástole (relaxamento), no qual o coração se enche de sangue, e o período de sístole que é de contração, onde o sangue é ejetado.

Fases do ciclo cardíaco (Guyton, et al 2006)

1.      Bomba de escova (primer pump) ou enchimento ventricular lento (diástase)

Geralmente, cerca de 80% do sangue que está no átrio escoa diretamente para o ventrículo sem o auxílio da contração, ficando apenas 20% com ela para terminar de encher os ventrículos.

2.      Enchimento ventricular rápido

O sangue vai se acumulando nos átrios durante a sístole ventricular. Quando termina essa fase e o ventrículo volta para a fase de diástole, que é o relaxamento, o volume sanguíneo que ficou nos átrios exerce pressão nas valvas atrioventriculares (direita: tricúspide; esquerda: mitral ou bicúspide) e, então, passa rapidamente para os ventrículos. Isso ocorre no primeiro momento da diástole. No segundo momento, pouco sangue escoa diretamente para os ventrículos, e o sangue vindo das veias continua a chegar nos átrios. Esses dois momentos correspondem aos 80% do enchimento ventricular. E, por último, no momento final da diástole ventricular, ocorre a sístole atrial (contração do átrio) para terminar de encher o ventrículo, essa parte se refere aos 20% do enchimento dos ventrículos.

Saiba mais sobre a Pós-graduação SANAR em Medicina de Emergência

3. Contração isovolumétrica ou isométrica

Logo após o início da contração ventricular, ocorre o aumento da pressão ventricular e as valvas atrioventriculares se fecham. Então, o ventrículo começa a se contrair, mas o sangue ainda não é ejetado, pois, para que isso ocorra, é preciso até 0,03 segundos a mais para que tenha a pressão necessária para que as valvas semilunares (direita: pulmonar; esquerda: aórtica) se abram e o sangue seja ejetado de encontro à pressão nas artérias correspondentes, pulmonar ou aorta.

4.      Ejeção rápida

As valvas semilunares abrem quando a pressão no interior do ventrículo direito está por volta dos 8mmHg e do ventrículo esquerdo aos 80mmHg; logo o sangue é ejetado para as respectivas artérias. No primeiro momento da ejeção, 70% do sangue é expelido, esse período é chamado de ejeção rápida.

5.      Ejeção Lenta

Como 70% do sangue já foi ejetado, agora restam os 30%, que serão lançados no segundo e terceiro momento, logo após o período de ejeção rápida. Destes, 30% correspondem ao período de ejeção lenta.

6.      Relaxamento isovolumétrico (isométrico)

Quando acaba o período de contração dos ventrículos, o relaxamento deles começa a ocorrer, e as pressões em seu interior começam a diminuir. As valvas semilunares se fecham quando as artérias começam a empurrar o sangue de volta para os ventrículos. Neste momento, o ventrículo continua a relaxar, mas o volume não altera, sendo o período de relaxamento isovolumétrico. Depois disso, as pressões dos ventrículos diminuem e voltam ao momento de diástole. Assim, as valvas atrioventriculares se abrem dando início a um novo ciclo.

Veja abaixo um esquema sobre a ordem do ciclo cardíaco para você não esquecer mais!

Fonte: Autoria própria

Para mais conteúdos sobre Medicina:

Inscreva-se no YouTube da Sanar

Participe do canal Sanar Medicina no Telegram

Siga no Instagram

Curta no Facebook

Conceitos importantes

Volume diastólico final (VDF)

                É denominado através do enchimento dos ventrículos durante seu relaxamento, a diástole, e atinge por volta dos 110 ou 120ml.

Volume sistólico final (VSF)

            É a quantidade de sangue que resta ao final da ejeção, por volta dos 40 a 60ml.

Fração de ejeção (FE)

                É a fração do volume sanguíneo expelido do volume diastólico final. É por volta dos 60%. Fórmula: FE = VDF – VSF

Débito sistólico (volume sistólico ou VS)

                Quando os ventrículos esvaziam durante a contração, que é a sístole, o volume diminui por volta dos 70ml.

Frequência Cardíaca (FC)

            É o número de batimentos cardíacos que ocorre dentro de 1 minuto.

Débito Cardíaco (DC)

            Caracterizado pelo volume sanguíneo bombeado pelo coração em 1 minuto.

DC = FC x VS.

Pré-carga

            É a pressão que o sangue faz no ventrículo quando está cheio antes da contração, ou seja, antes da sístole. Quanto maior ou menor a tensão, maior ou menor é a pré-carga.

Pós-Carga

                É a resistência enfrentada durante a ejeção do ventrículo; o sangue enfrenta dificuldades de seguir no momento em que ele é expelido para as respectivas artérias.

Autoria: Ana Tainara

Confira o vídeo:

Saiba mais sobre o curso gratuito: “Você melhor no plantão!”
Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.