Ciclos da Medicina

Dez vantagens de entrar em um programa de residência médica

Dez vantagens de entrar em um programa de residência médica

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar Residência Médica

“O que fazer após concluir a faculdade de medicina?”. Essa é uma dúvida comum entre os recém-formados. Entre as opções estão: fazer residência médica, trabalhar com plantões em emergências e atuar em unidades básicas de saúde. Mas, para não se precipitar na escolha, o ideal é analisar o cenário da profissão e pensar a longo prazo.

O número de médicos formados no Brasil só faz aumentar ao longo dos anos. Segundo dados da Demografia Médica no Brasil, tinham 230.110 médicos nos anos 2000. O número chegou a 502.475 em 2020.

Além disso, estima-se que em 2030 tenham 815.570 profissionais no país. O estudo é do Conselho Federal de Medicina (CFM) em parceria com a Universidade de São Paulo (USP).

Nesse contexto, buscar diferenciais profissionais é essencial para garantir uma melhor remuneração e também mais qualidade de vida. A residência é um dos caminhos.

Como funciona?

Os programas de residência consistem em uma modalidade de ensino de pós-graduação para médicos. Eles funcionam em instituições de saúde como hospitais-escola. No local, os residentes realizam atividades profissionais sob a orientação de médicos especialistas.

A especialização dura de dois a cinco anos, conforme a especialidade médica escolhida. Atualmente, existem 55 especialidades reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina.

Decidida a especialidade, o médico escolhe para qual dos mais de 4.860 programas do país quer prestar seleção. Esses programas possuem aprovação do Ministério da Educação. Os processos seletivos, normalmente, contam com uma prova e uma entrevista.

Os médicos residentes recebem uma remuneração em torno de R$ 3 mil. Além disso, durante o programa, os residentes devem seguir alguns pré-requisitos. Não fazer plantões de sobreaviso é um deles.

O radiologista Caio Nunes e a coach Merielly Lima explicam o que precisa ser levado em consideração na hora de escolher a sua Residência Médica

Quais são as vantagens de fazer residência médica?

Para entrar em um dos programas do país, é preciso estar preparado (a). Os processos seletivos são bem específicos e acirrados. Uma boa preparação fará toda diferença para aprovação. Mas, durante a residência e depois da conclusão, o médico vai vivenciar uma série de vantagens. Listamos algumas delas. Confira:

  1. A residência é regulamentada no Brasil desde 1977. É a principal forma de atestar especialidade em uma área e se destacar. Fazer residência é tipo ganhar uma medalha de ouro nas Olímpiadas da medicina.
  2. Garantia de aperfeiçoamento do padrão profissional e científico.
  3. O recém-formado de medicina, diferente de outras profissões, não precisa pagar por essa especialização e ainda recebe uma bolsa.
  4. Garantia de um maior salário e menor carga horária de trabalho. De acordo com uma pesquisa do MedScape, médicos especialistas ganham em média 24% a mais que médicos generalistas.
  5. Todo processo de aprendizado do programa é guiado por embasamento científico.
  6. Menores chances de erros no atendimento. Os residentes estão sempre sendo assistidos por profissionais super competentes.
  7. A maioria dos concursos públicos para médicos exigem a titulação de especialista.
  8. O médico residente tem direito à 30 dias de férias. Ele também é filiado ao Regime Geral de Previdência Social, como contribuinte individual.
  9. A residência é uma oportunidade de aumentar sua rede de contatos. Caso a residência seja em outro estado, o networking adquirido será ainda maior.
  10. Fazer residência abre uma série de oportunidades de desenvolvimento de pesquisa e de doutorado.
Compartilhe com seus amigos: