Neurologia

Doença de Parkinson: critérios para diagnóstico | Colunistas

Doença de Parkinson: critérios para diagnóstico | Colunistas

Compartilhar

Victor Marques Maia

5 min há 551 dias

A Doença de Parkinson é, sem dúvidas, uma das doenças mais comuns dentro do espectro dos distúrbios do movimento. Essa doença é caracterizada por ser uma doença neurológica de caráter progressivo que acomete principalmente homens a partir dos 40 anos.

Os distúrbios do movimento, com certeza, são um grande desafio para médicos clínicos. A grande quantidade de doenças que podem se apresentar com distúrbios do movimento, em muitas das vezes, dificulta o diagnóstico para àqueles que não são especialistas.

Para o diagnóstico da Doença de Parkinson é necessário três passos, que serão vistos a seguir.

Caracterização da síndrome parkinsoniana

O que temos que ter em mente inicialmente, é que a doença de Parkinson (DP) apresenta três diferentes fases, que podem ser subdesenvolvidas em fase pré motora, fase motora e fase avançada.

A fase pré motora é um importante dado que deve ser coletado na anamnese. Paciente com DP, inicialmente cursam com um quadro de hiposmia, constipação intestinal, distúrbios do sono REM e depressão. Esses dados, apresar não fecharem o diagnósticos, são bastantes sugestivos da doença de Parkinson.

A fase motora, sem dúvidas, é a mais importante de ser observada e compreendida. Sendo um doença que se apresenta como uma síndrome parkinsoniana, quatros componentes que caracterizam essa síndrome podem estar presente, que são: bradicinesia, rigidez, tremor de repouso e instabilidade postural.

A bradicinesia vai ser observada na marcha ( Marcha Parkinsoniana – diminuição ou ausência dos movimentos passivos dos braços e passoscurtos), na fala ( diminuição do volume e baixa entonação) e na escrita (micrografia). Um fenômeno característico desse componente é o freezing ou bloqueio, que geralmente acomete a marcha

A rigidez pode ser observada no exame físico, onde é possível observar uma hipertonia plástica quando o médico tenta movimentar o membro acometido do paciente. Essa rigidez é muitas vezes caracterizada como uma “ roda dentada”.

O tremor de repouso, é um dos principais componentes da doença de Parkinson. Esse tremor se exacerba em momentos de tensão emocional, esforço mental ou durante a marcha. O tremor afeta na maioria das vezes as mãos, sendo unilateral e assimétrico. Essa informação é de suma importância, tendo em vista que o tremor essencial é um importante diagnóstico diferencial. O tremor essencial, ao contrário do tremor de repouso, acomete os dois lado, e possuem uma simetria. Além disso, esse tremor tende a diminuir ou cessar com o uso de bebidas alcoólicas.

A instabilidade postural, por fim, se apresenta na maioria das vezes já na fase avançada da doença. Essa instabilidade é decorrente da perda da capacidade de readaptação postural no paciente. Pacientes que apresentam instabilidade postural precocemente é sugestivo de Parkinsonismos atípicos, como a paralisia supranuclear progressiva (PSP). 

Definição etiológica do Parkinson

Após entendermos a caracterização da doença de Parkinson, devemos buscar entender qual a causa do parkinsonismo. Deve – se ter mente que a doença de Parkinson é idiopática, ou seja, não há uma causa aparente.

Portanto, diante de um paciente que apresenta uma síndrome parkinsoniana é imperativo descartamos outras etiologias que podem cursar com parkinsonismos. Dentre elas, destaca  – se o Parkinsonismo Secundário a exposição de drogas que podem agir como bloqueadores de receptores dopaminérgicos no SNC, Parkinsonismo Vascular e Parkinsonismos atípicos, como Demência dos Corpos de Lewy, Paralisia Supranuclear Progressiva (PSP), Degeneração Corticobasal e Atrofia de Múltiplos Sistemas (AMS).

Resposta do Parkinson a Levodopa

A droga de escolha para o tratamento da Doença de Parkinson é a Levodopa. A boa resposta ao tratamento é um dos critérios obrigatórios para confirmação do diagnóstico de DP, apesar de outras doenças responderem bem ao mesmo tratamento, como o PSP e o AMS.

Outra característica marcante do uso da Levodopa a longo prazo em pacientes com DP, é a apresentação de discinesias, induzidas por este fármaco.

Mapa mental da doença de Parkinson

Mapa mental da doença de Parkinson - Sanar Medicina

Confira o vídeo:

Posts relacionados:

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.