Ciclo Clínico

Fratura do fêmur em idosos: por que a mortalidade é tão alta?

Fratura do fêmur em idosos: por que a mortalidade é tão alta?

Compartilhar
Imagem de perfil de Residência Médica

Tudo o que você precisa saber sobre a alta mortalidade por fratura do fêmur em idosos!

Atualmente, o Brasil conta com cerca de 29,2 milhões de idosos, o que representa 14% da população. Com os avanços tecnológicos e as pessoas vivendo cada vez mais, é possível que em 2100 esse número chegue a 72,4 milhões de indivíduos. 

Ao falar de envelhecimento populacional, é necessário abordar fraturas ósseas, sobretudo sobre fratura no fêmur, que estão entre os principais motivos de óbito e diminuição da qualidade de vida entre os idosos. 

Relembrando a anatomia do fêmur 

O fêmur é o osso tubular mais longo do corpo humano, além de ser um dos principais ossos que suportam carga na extremidade inferior. O desenvolvimento do fêmur começa entre a quinta e a sexta semana de gestação e continua se desenvolvendo durante a infância e adolescência. Dessa forma, a ossificação do fêmur fica concluída entre o 14.º e o 18.º ano de vida.

Fonte: NETTER, Frank H.. Atlas de Anatomia Humana. 2ed. Porto Alegre: Artmed, 2000

O que é a fratura do fêmur?

As fraturas do fêmur representam um importante problema de saúde pública. De acordo com o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, 90% das fraturas do fêmur são causadas pela queda da própria altura. Essas fraturas são dividas em dois tipos: 

  • Proximais: envolvendo colo ou transtrocantérica do fêmur. Dessa forma, podem ser divididas em intracapsulares, que envolvem o colo do fêmur e extracapsulares (transtrocantéricas). 
  • Diafisárias: no corpo do fêmur

Sintomas da fratura no fêmur em idosos

Os sintomas vão depender do local que foi afetado, mas são caracterizados por quadro álgico intenso. 

  • Lesões proximais: dor intensa no quadril, dificuldade de deambulação, também é possível observar o encurtamento do membro inferior acometido
  • Fraturas de eixo médio: quadro álgico intenso

As fraturas do eixo médico podem causar diversas complicações como hemorragia, lesão de órgão interno e infecção.

Por que há um alto índice de mortalidade por fratura do fêmur em idosos?

Com o processo natural do envelhecimento, a população idosa perde massa óssea e muscular. Além disso, os déficits de equilíbrio tornam os idosos suscetíveis a quedas, o que contribui para o elevado número de fraturas femorais nessa população. 

Há série de  medidas que podem diminuir a incidência de fraturas em idosos como: 

  • Exercícios regulares de fortalecimento e equilíbrio.
  • Retirada de tapetes de casa.
  • Utilização de barras laterais no box do banheiro e perto do vaso sanitário
  • Tapetes antiderrapantes no banheiro.
  • Iluminação adequada 
  • Evitar medicamentos que causem tontura e sonolência

Referências: 

  • Hungria Neto JS, Dias CR, Almeida JD. Características epidemiológicas e causas da fratura do terço proximal do fêmur em idosos. Rev Bras Ortop. 2011;46(6):660–7. 2.
  • INSTITUTO NACIONAL DE TRAUMATOLOGIA E ORTOPEDIA. Fratura no colo do fêmur. Disponível aqui. Acesso em 14 de Junho de 2022. 

Sugestão de leitura complementar