assuntos atuais

Gastroenterite: saiba tudo sobre a doença e entenda o aumento de casos no Brasil

Gastroenterite: saiba tudo sobre a doença e entenda o aumento de casos no Brasil

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar

A gastroenterite consiste em uma inflamação do revestimento do estômago e dos intestinos grosso e delgado.

O Brasil tem registrado um aumento significativo no número de casos de gastroenterite. De acordo com a apuração da CNN Brasil, o país registrou mais de nove mil casos da doença apenas nos dois primeiros meses de 2022.Além disso, a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que ocorram cerca de dois bilhões de casos de gastroenterites infecciosas a cada ano.

Diante deste cenário, é importante que você entenda mais sobre a doença, que atinge o estômago e o intestino, e esteja preparado para atender melhor pacientes nesses casos. Vamos nessa?

O que é gastroenterite e quais as principais causas?

A maioria dos casos de gastroenterite são infecciosas, causadas pela ingestão de alimentos ou água contaminados por bactéria ou vírus. Ela também pode ser transmitida de pessoa para pessoa.

A doença é, principalmente (cerca de 50% dos casos), causada pelo norovírus. O norovírus é membro da família Caliciviridae e tem uma alta capacidade infecciosa e de resistência.

Esse vírus é capaz de permanecer em superfícies com as quais uma pessoa infectada teve contato. O que acaba contribuindo para a transmissão para outras pessoas. Além disso, pode ser encontrado em alimentos e água contaminados.

Como é o quadro clínico de uma pessoa com gastroenterite?

O quadro clínico é caraterizado pela diminuição da consistência das fezes e aumento do número de evacuações. Esses sintomas podem ser acompanhados de náusea, vômito, febre, dor de cabeça e abdominal.

Um caso de gastroenterite dura em média cerca de um a três dias. Porém, pode acontecer da pessoa levar até duas semanas para ter seus hábitos intestinais normalizados.

Gastroenterite: como é o diagnóstico e o tratamento?

Um paciente apresentando um quadro de gastroenterite deve passar por uma avaliação clínica e pode, em casos específicos, ser através da cultura de fezes. Também podem ser realizados PCR (polymerase chain reaction) e imunoensaios.

A maioria dos casos de gastroenterite têm tratamento sintomático, mas pode acontecer de necessitar de um tratamento anti-infeccioso específico.

O tratamento depende muito do quadro clínico de cada paciente. Mas, de qualquer forma, o foco principal é combater a desidratação para evitar complicações. Isso inclui reforço na ingestão de líquidos e fluidos na veia (em casos mais graves).

Pode ser considerado o uso de agentes antidiarreicos e até de antibióticos. É importante que o paciente tenha repouso e muito cuidado com a higiene.

Como fazer a anamnese de um caso de gastroenterite?

Para indicar o tratamento é fundamental a correta avaliação do paciente e do seu estado de hidratação.

Na anamnese é importante captar informações sobre:

  • quando começou o sinais e sintomas,
  • número de evacuações,
  • se tem presença de muco ou sangue nas fezes,
  • tem ou teve febre, náuseas e vômitos
  • se há presença de doenças crônicas;
  • verificação se há parentes ou conhecidos que também adoeceram com os mesmos sinais/sintomas.

É possível prevenir casos de gastroenterite?

De acordo com o Ministério da Saúde, as orientações para prevenir casos de gastroenterite são:

  1. Lavar regularmente as mãos com água e sabão, principalmente antes de preparar ou ingerir alimentos e após ir ao banheiro ou chegar da rua;
  2. Fazer a correta higienização dos utensílios e equipamentos usados no preparo de alimentos;
  3. Manter os alimentos e refeições protegidos de insetos e animais de estimação;
  4. Só fazer o consumo de água tratada;
  5. Evitar comer alimentos crus ou malcozidos. Tenha atenção nas condições higiênicas dos locais onde decidir fazer suas refeições fora de casa;
  6. Não partilhar toalhas e outros itens íntimos.

É importante que você oriente o seu paciente para em casos de gastroenterite optar por ficar em casa até o fim dos sintomas para evitar infectar outras pessoas.

Cenário atual brasileiro da doença

Como citado no início do post, o Brasil tem registrado muitos casos de gastroenterite em 2022. Foram mais de 9 mil casos e a maior parte deles se concentrou em São Paulo (1.024).

A secretaria de Saúde de Córrego Fundo, em Minas Gerais, também divulgou dados sobre o aumento de busca por atendimento na Unidade de Pronto Atendimento por causa da doença. Apenas na primeira semana de maio mais cem pacientes buscaram atendimento com sintomas.

Sugestão de leitura complementar

Dia Mundial das Doenças Inflamatórias Intestinais

Você sabia que existe o Dia Mundial das Doenças Inflamatórias Intestinais? A data é celebrada no dia 19 de maio e é um convite para lutar contra a doença de Crohn e a colite ulcerativa.

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP), as doenças inflamatórias intestinais atingem mais de 5 milhões de pessoas em todo o mundo e não têm cura. Com um diagnótisco precoce, é possível estabelecer um tratamento para melhorar a qualidade de vida.

De acordo com dados do DataSUS, a SBCP estima que de 2012 a 2020 foram 212.026 pacientes diagnosticados com doenças inflamatórias intestinais no país.

Referências: Ministério da Saúde, CNN Brasil, Portal da Secretaria de Corrego Fundo, Agência Brasil e Portal do Hospital São Matheus