Especialidades

Medicina Esportiva: melhores residências, duração, concorrência, salário e mais!

Medicina Esportiva: melhores residências, duração, concorrência, salário e mais!

Índice

Você já ouviu falar em Medicina Esportiva ou no Médico do Exercício e do Esporte? Esta é uma área que está crescendo no país e tem bastante abrangência, alcançando especialidades como cardiologia, ortopedia, geriatria e reumatologia. 

No entanto, é importante não confundir o esse médico com o Ortopedista, por exemplo, já que o primeiro tem uma visão do corpo como um todo, não focando apenas na cicatrização da lesão.

O profissional que se dedica à Medicina do Esporte tem um olhar voltado para a prática esportiva e para a qualidade de vida das pessoas.  Muitos especialistas, inclusive, trabalham com exercício e promoção de saúde para idosos ou pacientes com diversas doenças.

Vale destacar também o papel fundamental desse médico em assuntos relacionados ao desempenho esportivo. Veja algumas atribuições desse especialista:

  • Tratar e prevenir lesões
  • Orientar a prática esportiva
  • Propiciar suporte médico adequado 
  • Melhorar rendimento e performance
  • Maximizar o rendimento dos atletas 
medicina esportiva

Mercado de trabalho e remuneração

Em geral, o especialista em Medicina Esportiva assume funções em associações ou clubes esportivos, serviços de reabilitação ou consultório.

Muitos Médicos do Esporte trabalham com atletas de alto rendimento em clubes ou seleções, mas também atendem em clínicas particulares. Isto porque o consultório costuma oferecer qualidade de vida e maior retorno financeiro. 

A busca pela qualidade de vida e uso das atividades físicas como forma de melhorar a saúde vêm crescendo na sociedade. Em 2019, a Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou que adequar a atividade física e reduzir o tempo de sedentarismo em crianças pequenas melhora a saúde física, mental e o bem-estar, ajudando a prevenir a obesidade infantil e doenças associadas.

Sendo o Médico do Esporte um dos responsáveis por orientar as atividades físicas, o mercado de trabalho na área também pode ser considerado crescente.

Áreas de atuação do Médico do Exercício e do Esporte

Por ser uma especialidade ainda em desenvolvimento, talvez você não tenha escutado falar no Médico do Exercício. Porém, provavelmente, já está familiarizado com algumas atividades que são de responsabilidade dele. 

Muitas pessoas acreditam que a função desse especialista seja trabalhar apenas com atletas de alto rendimento, mas não. Esse profissional também pode atuar com pessoas que queiram manter, melhorar ou recuperar a saúde. 

Ao fazer a Residência em Medicina do Exercício e do Esporte, o profissional é habilitado a prescrever suplementos alimentares e  atividade física para diversas doenças. 

A prática regular de exercícios é benéfica para o organismo, porém precisa ser bem orientada. Dessa forma, é função do Médico do Esporte fornecer essa orientação, contribuindo assim para a saúde da população. 

O especialista e a sua rotina

O especialista em Medicina Esportiva e é um profissional que não realiza operações, mas tem ampla formação em fisiologia do exercício.

Para atuar na área, é interessante que ele tenha visão abrangente da prática esportiva. Isso permitirá um melhor desempenho nas atividades diárias. 

O especialista que escolhe trabalhar em clubes e delegações esportivas, por exemplo, lida, em geral, com atletas de alto rendimento. O médico da equipe atua não só na prevenção e tratamento de lesões, mas também como clínico geral do time.

Também faz parte da sua rotina organizar o dia a dia do departamento médico e participar de discussões sobre o momento ideal para poupar determinado atleta. 

Veja algumas outras atribuições do Médico do Exercício e do Esporte:

  • Melhorar o rendimento físico
  • Orientar sobre o emagrecimento
  • Orientar sobre o uso de suplementos alimentares
  • Acompanhar crianças e adolescentes praticantes de esportes 

A Residência em Medicina Esportiva e o seu histórico

A  Residência em Medicina do Esporte está entre as oito especializações com menos de 1.000 médicos no país. De acordo com a Demografia Médica no Brasil de 2018, existem 869 profissionais titulados nessa Residência. 

Por ser de acesso direto, o médico que desejar ser especialista em Medicina Esportiva não precisa ter concluído outra Residência antes.

Para receber o título, o profissional faz três anos de treinamento em serviço. Normalmente, o primeiro é voltado para a formação básica em Clínica Médica e Pediatria.

Veja abaixo as quatro instituições que oferecem a Residência: 

  • Universidade de São Paulo (USP)
  • Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp)
  • Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)
  • Universidade de Caxias do Sul (UCS)

No Brasil, os primeiros alunos da Residência em Medicina do Esporte iniciaram o programa em 2007. A Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE), no entanto, foi fundada em 1962. 

Como o programa dessa área é recente, existem vários especialistas no país, porém apenas uma minoria fez, de fato, a Residência. Então, esses profissionais têm formação apenas para a prática da sua especialidade de origem. 

Por exemplo: o cardiologista esportivo pode prescrever a quantidade e qualidade de exercício para uma pessoa que já infartou ou que tenha outro problema cardíaco.

Porém caso o paciente tenha alguma dor musculoesquelética relacionada à atividade física, será preciso encaminhá-lo a outro profissional. O médico do esporte, no entanto, poderia realizar o atendimento completo. 

Links relacionados:

Confira o vídeo:

Política de Privacidade © Copyright, Todos os direitos reservados.