Pós Graduação

Pós-graduação em medicina ou residência médica?

Pós-graduação em medicina ou residência médica?

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar Pós Graduação

Está em dúvida se faz uma pós-graduação médica ou residência? A Sanar quer te ajudar a tomar a melhor decisão para sua carreira. Continue lendo este post!

Quando considerar fazer uma pós-graduação em medicina?

A pós-graduação se tornou uma alternativa para a especialização médica para além da residência médica. Isso porque passar em um processo seletivo para residência não é uma tarefa fácil, pela alta concorrência. Além disso, é uma especialização que demanda tempo e muita dedicação.

Para você ter uma ideia dessa alta concorrência, para garantir uma vaga na residência de dermatologia, em uma seleção como a do SUS SP, a relação é de 55 candidatos para cada vaga.

Devido a isso, a maioria das pessoas que prestam seleção para residência passam por um cursinho preparatório. Esses cursos podem ser bastante caros e possuem um acervo de materiais para estudar – apostilas, videoaulas, questões – bem grande. E não adianta pagar um curso se não for estudar.

Mas, por que mesmo assim a maioria dos médicos ainda optam por fazer residência? É pelo fato de que a residência médica é considerada o “padrão-ouro” na formação de médicos especialistas. Esse título é dado pelo Ministério da Educação e por Lei.

Contudo, cerca de metade dos egressos de medicina ficarão de fora desses programas por falta de vagas.

Lei Mais Médicos e a residência médica no Brasil

A Lei Nº 12.871, conhecida como lei dos “Mais Médicos”, dita que deverá existir vaga de residência para todo egresso do curso de medicina no país.

A ideia de que todos possam fazer residência médica é excelente do ponto de vista de melhoria da qualidade da formação médica. Também atenderia, pelo menos em tese, a necessidades sociais por atendimento em algumas especialidades. Porém, diferente de vagas em cursos de medicina, vagas de residência não são criadas por decreto.

Isto é, há que se respeitar uma estruturação complexa do serviço e do capital humano formador para que seja possível criar essas novas vagas. Caso contrário, haveria o risco de formar “pseudo-especialistas”.

Outro equívoco cometido é levar programas de residência médica para rincões do país sob o argumento de que o médico iria se fixar nessas cidades.

Quando se analisa os dados de pesquisas, vê-se claramente que o médico tende a se fixar no local onde fez residência.

Mas é preciso levar em conta também que, historicamente, essas mesmas cidades que oferecem programas de residência e onde os médicos acabam por se fixar são aquelas mesmas cidades de grande porte. Isso porque possuem estrutura para desenvolvimento da prática médica de qualidade, além das benesses de mercado e qualidade de vida.

O que é preciso analisar sobre a carreira médica?

Para se preparar para o sucesso profissional, é preciso avaliar algumas premissas sobre o cenário da carreira médica. São elas:

  • A busca do médico por melhorar sua formação e adquirir habilidades técnicas;
  • O longo período de formação da faculdade;
  • A maior competitividade da carreira face a proliferação de faculdades de Medicina;
  • A pressa que alguns jovens médicos tem de ingressar na Residência;
  • A falta de interesse em passar 1-2 anos em residência de saúde da família ou PROVA antes de ingressar na residência médica;
  • Novas residências médicas, de qualidade questionável, em interiores do país.

Diante dessas premissas, uma significativa parcela dos médicos tem buscado alternativas à residência médica e a tendência é que essa busca se acentue.

A procura por formação tem aberto um novo nicho: o de pós-graduação em medicina.

Por que fazer uma pós-graduação médica?

A pós-graduação em medicina, seja qual for a especialidade, será sempre uma opção extremamente interessante para médicos. Isso porque ela pode ser útil para profissionais com diversos perfis diferentes.

Veja se você se enquadra em algum deles:

  • Recém-formado inseguro com suas práticas em determinada área;
  • Médico que não consegue ou pode se dedicar a uma residência médica;
  • Recém-formado que precisa trabalhar em plantões para pagar o financiamento estudantil;
  • Médico especialista que quer atualizar seus conhecimentos e práticas;
  • Médico generalista que quer aprofundar seus conhecimentos em determinada área em que faz muitos atendimentos;
  • Especialista que deseja mudar sua área de atuação;
  • Médico que faz atendimento no interior e deseja se especializar online, sem sair de sua cidade.

Quais os tipos de pós-graduação médica?

Existem dois grandes tipos de pós-graduação em medicina: a lato sensu e a stricto sensu.

A lato sensu é um caminho para quem pretende atualizar os conhecimento da prática médica. Vale reforçar que é necessário realizar uma prova de título de medicina para poder denominar-se especialista.

Os cursos do tipo stricto sensu são voltados para os egressos da graduação de medicina que buscam seguir os passos da carreira acadêmica. Essa é a melhor opção para quem almeja atuar como pesquisador e contribuir cientificamente para medicina.

Perguntas Frequentes:

1 – Quais as principais opções para se tornar um especialista em medicina no Brasil atualmente?

Pós-Graduação em Medicina ou Programa de Residência Médica.

2 – Quais as características de uma Residência Médica?

Formação intensiva, mínimo de 60h semanais atuando no hospital escolhido, recebendo bolsa fixa de cerca de R$4.000,00.

3 – Quais as características de uma Pós-Graduação em Medicina?

Flexibilidade para estudar de acordo com sua rotina de trabalho e possibilidade de atualização e networking.

Quer fazer uma pós-graduação médica?

Conheça os cursos de pós-graduação médica oferecidos pela Sanar Pós

Posts relacionados: