Ciclo Clínico

Síndrome de Imobilismo: o que é, diagnóstico e tratamento

Síndrome de Imobilismo: o que é, diagnóstico e tratamento

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar Residência Médica

Tudo o que você precisa saber sobre a síndrome do imobilismo na prática clínica!

De acordo com um estudo publicado pela Revista Científica Nacional, a síndrome do imobilismo tem efeitos sobre o aparelho locomotor do idoso e traz grandes impactos para a qualidade de vida dos mesmos. 

Atualmente, o Brasil conta com cerca de 29,2 milhões de idosos, o que representa 14% da população. Com os avanços tecnológicos e as pessoas vivendo cada vez mais, é possível que em 2100 esse número chegue a 72,4 milhões de indivíduos. Dessa forma, é necessário que os médicos, mesmo que generalistas, saibam identificar e manejar os pacientes com síndrome do imobilismo. 

O que é a síndrome do imobilismo?

De acordo com pesquisadores, a síndrome da imobilidade consiste em um conjunto de alterações que ocorrem no indivíduo acamado por um período de tempo prolongado. 

Dessa forma, devido ao tempo que o idoso fica restrito ao leito esta síndrome poderá evoluir para problemas:

  • Circulatórios
  • Dermatológicos
  • Respiratórios 
  • Psicológicos

Dentre os maiores causadores da síndrome do imobilismo estão as quedas. Como os pacientes idosos têm uma maior prevalência de queda, é necessário que seja feito um repouso para beneficiar a região lesada. Contudo, seu prolongamento prejudica o resto do organismo.

Como diagnosticar a síndrome do imobilismo?

Para o diagnóstico de síndrome da imobilidade existem dois critérios maiores e quatro critérios menores. Para confirmar o diagnóstico é necessário que haja dois critérios maiores e dois menores. Dentre os critérios maiores estão: 

  • Deficiência cognitiva de moderado a grave 
  • Múltiplas contraturas: acontece quando  o músculo faz a contração de maneira incorreta e não retorna ao seu estado normal de relaxamento

Os menores dividem-se em:

  • Dupla incontinência
  • Disfagia
  • Afasia
  • Úlcera de pressão   

Tratamento

A principal forma de tratamento da imobilidade é a prevenção de acidentes nos idosos. Dessa forma, para evitar quedas e fraturas é necessário:

  • Exercícios regulares de fortalecimento e equilíbrio
  • Retirada de tapetes de casa
  • Utilização de barras laterais no box do banheiro e perto do vaso sanitário
  • Tapetes antiderrapantes no banheiro
  • Iluminação adequada 
  • Evitar medicamentos que causem tontura e sonolência

Caso o paciente tenha desenvolvido a síndrome do imobilismo, a principal forma de reabilitação é a fisioterapia, promovendo a movimentação do paciente.

Referência bibliográfica

  • GODINHO et. al. Síndrome do imobilismo. 2019 Disponível aqui. Acesso em 20 de Junho de 2022. 

Sugestão de leitura complementar