Pós-graduação

Pós-graduação em obesidade: o que é, como funciona e vantagens

Pós-graduação em obesidade: o que é, como funciona e vantagens

Compartilhar
Imagem de perfil de Especialização Médica

A pós-graduação lato sensu em obesidade e emagrecimento pode ser um excelente primeiro passo para médicos que almejam atuar clinicamente na área. Esse tipo de curso visa aprofundar os conhecimentos e habilidades essenciais para atuação prática. 

O objetivo deste artigo é ser uma espécie de guia com as principais informações sobre pós nesta área. Além disso, será apresentado um contexto sobre o cenário do país e do mundo em relação ao aumento dos casos de obesidade.

Esse cenário reforça a importância de ter mais profissionais capacitados no mercado para oferecer um cuidado completo e de excelência aos pacientes. Aproveite a leitura!

Contexto sobre a obesidade no Brasil e no mundo 

A obesidade é um dos maiores problemas de saúde pública do mundo. É exatamente por isso é importantíssimo que todos os médicos saibam como lidar com essa doença. Afinal, o fato do paciente ser obeso interfere nas linhas de tratamento e condutas de inúmeras outras patologias. 

A obesidade causa a diminuição da qualidade de vida, redução da produtividade do paciente e mortalidade precoce. Além disso, é fator de risco para as doenças do desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis. Entre elas: doenças cardiovasculares, diabetes mellitus e hipertensão arterial.

Principais dados sobre a doença

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a obesidade é uma doença causada pelo excesso de gordura no organismo. Ela possui origem multifatorial e devido a isto, tem uma maior dificuldade em ser controlada.

Os casos da doença vem crescendo no Brasil e no mundo. Segundo dados disponibilizados pela Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2020, um a cada quatro brasileiros têm o diagnóstico de obesidade.

Em 2021, o país contava com 4 milhões de obesos, dos quais, 624 mil já estavam classificados como obesidade grau III. O cenário se torna mais grave quando sabemos que 9,1 milhões de brasileiros adultos estão com excesso de peso.

Segundo dados da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (ABESO, 2022), não é somente com adultos que há essa preocupação. Estima-se que 6,4 milhões de crianças têm excesso de peso no Brasil. A cada 10 crianças brasileiras, sete estão com sobrepeso e três já são diagnosticadas como obesas.

Os adolescentes também não ficam de fora. Um em cada cinco adolescentes com idades entre 15 e 17 anos estava com excesso de peso (19,4%) e 6,7% estavam com obesidade.

Importância de uma capacitação específica em obesidade 

A capacitação contínua é fundamental para prestar um melhor atendimento aos pacientes. Essa afirmação é válida tanto médicos  generalistas que querem começar na área ou especialistas que querem atualizar os conhecimentos. 

A obesidade é uma doença multifatorial. É necessário ter um conhecimento amplo sobre a doença e analisar o caso de cada paciente de forma integral antes de tomar qualquer conduta médica – seja ela medicamentosa ou cirúrgica (bariátrica).

Vale ainda ressaltar que um tratamento eficaz envolve a participação de uma equipe multidisciplinar com médico, nutricionista, psicólogo e educador físico. 

Outro ponto relevante é que os profissionais de medicina precisam estar preparados para agir na prevenção da obesidade para que o número de casos se reduza a longo prazo. 

Leia também o artigo da Dra. Patrícia Cavalcante: qual a relação entre a cronodisrupção e a obesidade?

Como ser um médico especialista em doenças como a obesidade no Brasil? 

É importante ressaltar que há dois caminhos para ser especialista em uma área da medicina. São eles: 

Residência Médica

  • Formar em medicina;
  • Fazer uma residência médica em endocrinologia ou nutrologia. Essas duas especialidades abordam questões relacionadas ao metabolismo, hormônios e nutrição, áreas fundamentais no tratamento da obesidade.

Aprovação em prova de título

  • Ter graduação em medicina;
  • Ser aprovado em uma prova de título de endocrinologia ou nutrologia.

Atenção: para fazer a prova, o médico deve atender aos requisitos cobrados no edital, que inclui comprovação de atuação nesta área.

Pós-graduação lato sensu em obesidade e emagrecimento: o que preciso saber? 

A pós-graduação lato sensu em obesidade e emagrecimento é um tipo de curso direcionado para a prática profissional através do desenvolvimento de uma visão mais ampla e prática de uma área específica. 

Pré-requisito para ingressar e funcionamento do curso

O funcionamento da pós em medicina pode variar de acordo com a instituição e o programa ofertado.

Geralmente, para se inscrever, é preciso ter concluído a graduação em medicina e possuir registro no Conselho Regional de Medicina (CRM). 

O curso pode durar até dois anos, conforme a carga horária. O programa de ensino vai abordar disciplinas específicas da área de estudo escolhida, com aprofundamento teórico e prático. 

A metodologia de ensino pode incluir alunas online, presenciais ou semipresenciais. Durante o curso, o estudante pode participar de palestras, aulas expositivas, estudos de casos, atividades práticas, entre outras atividades. 

O estudante pode ser avaliado através de provas, trabalhos individuais ou em grupo, apresentações ou realização de atividades (no caso da medicina, discussão de casos reais até atendimentos de fato). 

Vantagens de fazer uma pós médica em obesidade 

Fazer uma pós em obesidade e emagrecimento pode trazer uma série de vantagens para um médico. Entre elas: 

  • Atualização profissional e a possibilidade de ficar por dentro das discussões e soluções mais atuais da área; 
  • Compreensão abrangente sobre a doença, isso inclui entender e os fatores biológicos, comportamentais, psicológicos e nutricionais relacionados à obesidade. 
  • Possibilidade de ingressar em pesquisas na área e na carreira acadêmica; 
  • Melhor relacionamento com pacientes através da preparação para fornecer um atendimento mais personalizado e eficaz; 
  • Diferencial competitivo na hora de ingressar ou se realocar no mercado de trabalho. 

Pós-graduação ajuda na preparação para prova de título? 

As provas de título de medicina são exigentes e cobram uma ampla gama de conhecimentos e habilidades específicas da especialidade em questão.

Normalmente, há etapas com questões de múltipla escolha, dissertativas ou ambas e também etapa de prova prática, envolvendo por exemplo estações com casos clínicos. 

Ao optar por fazer uma pós em uma instituição que oferece um programa de ensino completo e atualizado na área, o médico conseguirá se preparar para a prova com mais tranquilidade. 

Antes de fazer sua matrícula, vale a pena conferir nos últimos editais divulgados a parte de assuntos cobrados e bibliografias e comparar com o programa de ensino da pós. Quanto mais pontos em comum encontrar, melhor. 

Dicas para escolher a pós-graduação em obesidade ideal para carreira 

O primeiro passo na decisão de qual pós-graduação fazer é definir com clareza quais são as suas necessidades e a sua realidade de trabalho e financeira. 

Não adianta comprar o curso mais caro do mercado se ele não tem os assuntos que deseja aprofundar seus conhecimentos ou diferenciais de aprendizado relevantes. É exatamente por exemplos como esse que você precisa entender sua realidade individual. 

Outros passos que podem te ajudar a trilhar esse processo de decisão de carreira são: 

  1.  Com base na sua necessidade, avalie as opções de curso do mercado – presencial, online e semipresencial; 
  2. Depois desse primeiro filtro, certifique-se de que a instituição de ensino é reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC); 
  3.  Pesquise sobre a reputação das instituições e do programa de pós ofertado; 
  4. Avalie se o programa de ensino está alinhado com suas necessidades de aprendizado e, futuramente, de atuação profissional; 
  5. Leve em consideração informações sobre a experiência do corpo docente, estrutura, materiais de estudo oferecidos, entre outros; 
  6.  Considere programas que ofereçam oportunidades de participar de atividades práticas, de testar os conhecimentos aprendidos. 

Vale também considerar o investimento necessário e colocar na balança o retorno que espera obter com ele em termos de conhecimento, atualização profissional e valorização no mercado de trabalho.

A pós-graduação em obesidade e emagrecimento da Sanar é boa? 

O curso de pós da Sanar em obesidade oferece um excelente custo-benefício para os médicos por vários motivos. Com uma grade curricular que contempla os temas mais relevantes para atuação clínica nesta área e uma metodologia ativa, os alunos são incentivados a participar de todos os momentos da sua jornada de aprendizado. 

A pós conta com aulas teóricas baseada totalmente em casos reais da prática médica, aulas ao vivo, atividades práticas e muito mais.

Para os alunos que desejarem, o curso da Sanar ainda conta com uma imersão presencial em uma clínica especializada no área em São Paulo. 

Todos os momentos de aprendizado são ministrados por um corpo docente de excelência cuja coordenação é do Dr. André Veinert, nutrólogo renomado e referência em sua área de atuação. 

*Os cursos de pós-graduação oferecidos pela Sanar são todos reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC). Ele é realizado pela Faculdade Cetrus Sanar. 

[Quero conhecer a Pós-graduação em Obesidade]

Obs.: É importante lembrar que para obter o título de especialista é necessário realizar a prova de título após a finalização do curso de pós-graduação.

Sugestão de leitura complementar

Esses artigos também podem ser do seu interesse:

Referências

  1. Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Diretrizes brasileiras de obesidade 2016 / ABESO – Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. – 4.ed. – São Paulo, SP
  2. Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Obesidade infantil: as razões por trás do aumento de peso entre as crianças brasileiras. / ABESO – Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica, 2022.
  3. BRASIL. Ministério da Saúde. O impacto da obesidade: entenda por que as consequências vão muito além das questões de saúde pública. Brasília, 2022.
  4. BRASIL. Ministério da Saúde. Sobrepeso e obesidade como problemas de saúde pública. Brasília, 2022.
  5. MARIATH, A. B. Obesidade e fatores de risco para o desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis entre usuários de unidade de alimentação e nutrição. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 23(4):897-905, abr, 2007
  6. Sociedade Brasileira de Pediatria – Departamento de Nutrologia Obesidade na infância e adolescência – Manual de Orientação / Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento Científico de Nutrologia. 3ª. Ed. – São Paulo: SBP. 2019. 236 p.