Ortopedia

Resumo sobre anatomia dos ossos do pé (completo) – Sanarflix

Resumo sobre anatomia dos ossos do pé (completo) – Sanarflix

Compartilhar

SanarFlix

8 minhá 250 dias

Introdução

Funcionalmente, os ossos do pé podem ser divididos em tarso, metatarsais
e falanges (Figura 1). Em relação à nomenclatura das superfícies do pé, os termos ‘plantar’ e ‘dorsal’ são utilizados para denotar as superfícies inferior e superior, respectivamente. Os termos ‘proximal’ e ‘distal’ são utilizados com o mesmo significado dos membros em geral. A rotação dos brotos dos
membros que ocorre nos estágios iniciais do desenvolvimento dos membros resulta em polegar direcionado lateralmente na mão e hálux direcionado medialmente no pé.

Ossos do pé (face medial). Fonte: Gray's 40º Ed.
Figura 1. Ossos do pé (face medial).

A região do pé também compreende o tornozelo, que é formado pelas partes estreita e maleolar da região distal da perna, proximal ao dorso do pé e calcanhar, e inclui a articulação talocrural. Os ossos dos pés com os ligamentos formam os arcos dos pés, os quais são importantes na marcha e na sustentação do peso corporal.

Ossos do Pé

O pé possui 7 ossos tarsais, 5 metatarsais e 14 falanges (Figura 2).

Tarso

Os sete ossos do tarso ocupam a metade proximal do pé. O tarso e o carpo são homólogos, mas os elementos do tarso são maiores, refletindo seus papéis no suporte e na distribuição do peso corporal. Assim como no carpo, os ossos do tarso são dispostos em fileiras proximais e distais, mas medialmente há um único elemento tarsal intermediário, o navicular. A
fileira proximal é formada pelo tálus e o calcâneo; o eixo longo do tálus é inclinado anteromedial e inferiormente, sua cabeça direcionada distalmente é medial ao calcâneo em um nível mais alto. A fileira distal contém, da face medial para a lateral, os cuneiformes medial, intermédio e lateral e o cuboide.

Coletivamente esses ossos estão dispostos em um alinhamento transversal
arqueado com convexidade dorsal. Medialmente, o navicular é interposto
entre a cabeça do tálus e os cuneiformes. Lateralmente, o calcâneo faz articulação com o cuboide. O tarso e o metatarsal estão dispostos para formar a intersecção dos arcos longitudinal e transverso. Consequentemente, o empuxo e o peso não são transmitidos da tíbia para o chão (ou vice-versa) diretamente através do tarso, mas são distribuídos através dos ossos do tarso e metatarsal até as extremidades dos arcos longitudinais.

Ossificação dos ossos do pé. Fonte: Grey's 40º Ed.
Figura 2. Ossificação dos ossos do pé.

Fileira Proximal

Tálus e Calcâneo

O Tálus é a ligação entre o pé e a perna através da articulação do tornozelo. Já o calcâneo é o maior osso do tarso e faz projeção posterior em relação à tíbia e fíbula na forma de uma curta alavanca para os músculos da panturrilha inseridos em sua superfície posterior. Ele é irregularmente cuboidal e seu eixo longo se inclina distalmente para cima e para a região lateral (Figura 3).

Faces do Calcâneo. Fonte: Gray's 40º Ed.
Figura 3. Faces do calcâneo.

Fileira Intermediária

Navicular

O navicular faz articulação com a cabeça talar proximalmente e com os ossos cuneiformes distalmente. Sua superfície distal é convexa transversalmente e dividida em três facetas (a medial é a maior) para a articulação com os cuneiformes. A face dorsal do navicular é suprida por um ramo da artéria dorsal do pé ou diretamente por esta artéria. Sua face plantar é suprida pela artéria plantar medial e a tuberosidade é suprida por uma anastomose das artérias dorsal do pé e plantar medial. Sua inervação é feita pelos nervos fibular profundo e plantar medial.

Osso Navicular, localiza na região do mediopé. Fonte: Clínica e Cirurgia do Pé e Tornozelo.
Figura 4. Osso Navicular, localiza na região do mediopé.

Fileira Distal

Cuboide

O cuboide, o osso mais lateral na fileira tarsal distal, localiza-se entre o calcâneo proximalmente e os quarto e quinto metatarsais distalmente. O cuboide é suprido pelos ramos profundos das artérias plantares medial e lateral e por ramos da rede arterial dorsal e inervado por ramos dos nervos plantar, sural e fibular profundo.

Osso cuboide. Fonte: Clínica Ortopédica Cidade Jardim
Figura 5. Osso cuboide.

Cuneiformes Medial, Intermédio e Lateral

Os ossos cuneiformes, em formato de cunha, fazem articulação com o navicular proximalmente e com as bases do primeiro ao terceiro metatarsais distalmente; o cuneiforme medial é o maior, o intermédio, o menor. As superfícies dorsais dos cuneiformes intermédio e lateral formam a base da cunha. A cunha é invertida no cuneiforme medial, que é o principal fator no formato do arco transverso. As superfícies proximais de todos os três formam uma concavidade para a superfície dorsal do navicular. Os cuneiformes medial e lateral fazem uma projeção distal além do cuneiforme intermédio e formam um recesso para a base do segundo metatarsal.

Metatarsais

Os cinco ossos metatarsais se localizam na metade distal do pé e fazem a
conexão entre o tarso e as falanges (Figura 6). Como os metacarpianos, eles são ossos
longos em miniatura, e possuem uma diáfise, uma base proximal e uma
cabeça distal. Exceto pelo primeiro e o quinto, as diáfises são longas e
delgadas, apresentam uma convexidade longitudinal dorsal e concavidade em suas faces plantares.

Suas bases fazem articulação com a fileira tarsal distal e com as bases
metatarsianas adjacentes. A linha de cada articulação tarsometatarsiana,
exceto a primeira, inclina-se proximal e lateralmente, com as bases metatarsianas em orientação oblíqua em relação às suas diáfi ses. As cabeças fazem articulação com as falanges proximais, cada uma através de uma superfície convexa que passa para sua face plantar, onde termina no encontro de duas eminências. Os lados das cabeças são planos, com uma depressão circundada por um tubérculo dorsal para um ligamento colateral da articulação metatarsofalangeana.

Fonte: Gray's 40º Ed. | de Sobotta, 2006.
Figura 6. Esqueleto dos ossos do tarso e metatarsais (vista dorsal).

Falanges do Pé

Em geral, as falanges do pé se assemelham às das mãos: existem duas para
o hálux e três para cada um dos outros pododáctilos (Fig. 84.5A,B). Existem
casos de haver somente duas falanges no quinto pododáctilo e, muito raramente, este é o caso nos outros pododáctilos. As falanges dos pododáctilos são muito mais curtas do que suas contrapartes na mão, e suas diáfises, especialmente aquelas do conjunto proximal, são comprimidas de lado a lado.

Ossos Sesamoides

A maioria dos ossos sesamoides possui alguns poucos milímetros de diâmetro e seu formato é variável. Alguns possuem uma localização previsível, mas muitos outros variam em termos de localização e frequência de ocorrência (Figura 7). Alguns sesamoides se ossificam, enquanto outros permanecem cartilaginosos. A maioria dos sesamoides é envolta pelos tendões em íntima proximidade com as articulações. O seu papel exato ainda não é compreendido; acredita-se que possam alterar a direção da tração muscular, diminuir a fricção e modificar a pressão.

Fonte: Gray's 40º Ed.
Figura 7. Locais dos ossos acessórios e sesamoides encontrados no pé esquerdo.

Ossos sesamoides acessórios ou inconstantes podem ocorrer sob qualquer
superfície de carga do pé, mas são mais comuns entre as faces inferiores das cabeças do segundo ao quinto metatarsianos. Eles apresentam extrema variação em tamanho e a incidência desses ossos é difícil de determinar. Um sesamoide verdadeiro ocorre no tendão do tibial posterior em aproximadamente 10% dos indivíduos.

Posts relacionados:

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.