Urgência e Emergência

Sinais clássicos no abdome agudo

Sinais clássicos no abdome agudo

Compartilhar

Existem alguns sinais clássicos no abdome agudo que irão te ajudar na suspeita diagnóstica do seu paciente com dor abdominal.

Não deixe de realizar um exame físico direcionado e fique bastante atento aos possíveis achados nesses pacientes.

Você também pode aprender sobre o diagnóstico do abdome agudo, abdome agudo inflamatório, obstrutivo, vascular, hemorrágico, abdome agudo perfurativo ou tenha uma visão geral do abdome agudo. Você também pode ver aqui o CID-10 do abdome agudo.

This image has an empty alt attribute; its file name is 02b-5.png

Principais sinais no exame físico do paciente com abdome agudo

Sinal de Jobert: Hipertimpanismo em região hepática, que indica a presença de perfuração de víscera oca em peritônio livre (por exemplo: úlcera péptica).  

Sinal de Corvoisier-Terrier: vesícula biliar palpável. Pode indicar neoplasia. O sinal de Giordano indica pielonefrite aguda.

Sinal de Carnett

Aumento da sensibilidade quando os músculos da parede abdominal são contraídos.

Sinal de Murphy

O sinal de Murphy indica colecistite.

Sinal de Blumberg

O sinal de Blumberg pode indicar apendicite.

O Sinal de Blumberg , dor a descompressão, pode ser pesquisado na palpação profunda.

Sinal do Obturador

O sinal do obturador consiste na dor provocada quando o médico executa rotação interna passiva da coxa direita flexionada. Apresenta boa especificidade para apendicite aguda.

Sinal do psoas

O sinal do psoas positivo consiste em dor provocada quando o examinador estende passivamente o quadril direito do paciente. Tem boa especificidade para apendicite aguda.

Sinal de Rovsing

O sinal de Rovsing consiste em dor no quadrante inferior direito induzida pela palpação do quadrante inferior esquerdo. Fonte: Sanarmed
This image has an empty alt attribute; its file name is 04b-4.png

O sinal de Cullen e sinal de Gray-Turner (equimose periumbilical e em flancos, respectivamente) são indicativos de sangramento intra-abdominal ou retroperitoneal.

Achados característicos em exames de imagem do abdome agudo perfurativo

Pneumoperitônio

Visto na radiografia de tórax. Indica a presença de ar entre o diafragma e o fígado (mais comum) ou entre o diafragma e estômago.

Rotina de abdome agudo. a) Radiografia de tórax em ortostatismo e b) radiografia de abdo­me em decúbito lateral. Pneumoperitônio (setas). Fonte: Diagnóstico por Imagem no Abdome Agudo não Traumático

Achados característicos em exames de imagem do abdome agudo obstrutivo

Sinal do empilhamento de moedas (dilatação das alças intestinais)

Setas azuis: dilatação das alças intestinais. setas amarelas: sinal do empilhamento de moedas. Ocorre nos casos de obstrução alta (intestino delgado). Fonte: https://www.sanarmed.com/obstrucao-de-intestino-delgado-caso-clinico

Níveis hidroaéreos

Há uma divisão exata entre o líquido e o gás dentro do lúmen intestinal.

Obstrução intestinal. RX de abdome em decúbito dorsal e em ortostatismo. a) Radiografia em decúbito evidenciando distensão difusa de alças intestinais e b) radiografia em ortostatismo: presen­ça de níveis hidroaéreos na mesma alça e níveis diferentes, difusos pelo abdome(setas). Fonte: Diagnóstico por Imagem no Abdome Agudo não Traumático

Sinal da dupla bolha gástrica

Indica atresia de duodeno.

Fonte: Figueiredo S. Atresia do trato gastrintestinal: avaliação por métodos de imagem. Radiol Bras vol.38 no.2 São Paulo Mar./Apr. 2005.

Sinal do grão de café

Indica volvo de sigmoide.

Fonte: https://www.startradiology.com/internships/internal-medicine/abdomen/abdominal-x-ray/index.html

Achados característicos em exames de imagem do abdome agudo inflamatório

Apendicite aguda

Apendicite com espessamento de um apêndice não compressível com infiltração gordurosa, envolto por líquido livre. Fonte: https://www.startradiology.com

Colecistite

Colecistite aguda. US evidencia vesícula biliar com paredes espessa­das e edemaciadas (setas pequenas) e com grande cálculo em seu interior (seta longa). Fonte: Diagnóstico por Imagem no Abdome Agudo não Traumático

Curso gratuito em Medicina de Emergência

Confira também nosso CURSO GRATUITO EM MEDICINA DE EMERGÊNCIA.

Referências

Kendall, J. & Moreira, M. (2020). Evaluation of the adult with abdominal pain in the emergency department. In R Hockberger (Ed.). Uptodate.

Twonsend CM et al. SABISTON – TRATADO DE CIRURGIA. 18° Edição. Elsevier;. Rio de Janeiro – RJ. 2010

Monteiro A, Lima C e Ribeiro E. Diagnóstico por imagem no abdome agudo não traumático. Revista do Hospital Universitário Pedro Ernesto, UERJ, 2009.

Crédito:

Pessoas vetor criado por pch.vector – br.freepik.com

Compartilhe com seus amigos: