Urgência e Emergência

Abdome agudo: epidemiologia, causas, diagnóstico, tratamento e particularidades

Abdome agudo: epidemiologia, causas, diagnóstico, tratamento e particularidades

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar Pós Graduação

Neste post você vai ter uma visão geral sobre o abdome agudo. Abordamos sobre os principais aspectos, como epidemiologia, causas, diagnóstico, tratamento e particularidades.

Você também pode aprender sobre o diagnóstico do abdome agudo, abdome agudo inflamatório, obstrutivo, vascular, hemorrágico, abdome agudo perfurativo ou fique por dentro dos sinais clássicos no abdome agudo. Você também pode ver aqui o CID-10 do abdome agudo.

Introdução

O abdome agudo é um problema comum no pronto-socorro e representa um desafio diagnóstico para os médicos. A maioria dos pacientes tem uma etiologia benigna e/ou autolimitada, e o objetivo inicial da avaliação é identificar os pacientes que apresentam uma etiologia grave e podem necessitar de intervenção imediata. 

Epidemiologia do abdome agudo

A dor abdominal representa 5 a 10% dos atendimentos no departamento de emergência. Apesar do avanço nos recursos diagnósticos, a dor abdominal indiferenciada é o diagnóstico de cerca de 25% dos pacientes que receberam alta médica e de 35 a 41% dos pacientes internados.

Pacientes idosos com dor abdominal têm aumento de 6 a 8 vezes na mortalidade, quando comparados com pacientes mais jovens.

Não deixe de aprender como investigar melhor a dor abdominal aguda.

Principais causas do abdome agudo

This image has an empty alt attribute; its file name is image-129.png

Sinais clínicos do abdome agudo

Fique por dentro dos sinais clássicos no abdome agudo.

Sinal de Jobert: Hipertimpanismo em região hepática, que indica a presença de perfuração de víscera oca em peritônio livre (por exemplo: úlcera péptica).  

Sinal de Corvoisier-Terrier: vesícula biliar palpável. Pode indicar neoplasia. O sinal de Giordano indica pielonefrite aguda.

Sinal de Carnett

Aumento da sensibilidade quando os músculos da parede abdominal são contraídos.

Sinal de Murphy

Sinal de Blumberg

O Sinal de Blumberg , dor a descompressão, pode ser pesquisado na palpação profunda.

Sinal do Obturador

O sinal do obturador consiste na dor provocada quando o médico executa rotação interna passiva da coxa direita flexionada. Apresenta boa especificidade para apendicite aguda.

Sinal do psoas

O sinal do psoas positivo consiste em dor provocada quando o examinador estende passivamente o quadril direito do paciente. Tem boa especificidade para apendicite aguda.

Sinal de Rovsing

O sinal de Rovsing consiste em dor no quadrante inferior direito induzida pela palpação do quadrante inferior esquerdo. Fonte: Sanarmed

Diagnóstico de abdome agudo

Veja com mais detalhes sobre o diagnóstico do abdome agudo, abdome agudo inflamatório, obstrutivo, vascular, hemorrágico ou abdome agudo perfurativo.

O diagnóstico do abdome agudo é feito com base na anamnese, exame físico e exames de imagem, como radiografia de tórax e abdome, ultrassonografia ou tomografia computadorizada em alguns casos. Lembrando que a tomografia deve ser realizada apenas se o paciente estiver estável hemodinamicamente.

Os testes laboratoriais devem ser solicitados apenas para determinar um diagnóstico clinicamente suspeito ou para avaliar um paciente com abdome agudo de etiologia desconhecida.

Tratamento do abdome agudo

Os pacientes com dor abdominal intensa devem ser tratados criteriosamente com analgésicos apropriados, como a morfina.

Na maioria dos casos, a conduta é cirúrgica.

Verifique sobre a conduta no abdome agudo inflamatório.

Resumo dos principais pontos

  • Uma história bem colhida é essencial para distinguir as causas da dor abdominal e criar um diagnóstico diferencial adequado;
  • O teste de gravidez é necessário para mulheres em idade fértil;
  • Uso de anti-inflamatório não esteroidal predispõe a úlcera péptica e sangramento;
  • Dor com intensidade máxima no início deve alertar para dissecção aguda de aorta ou isquemia mesentérica;
  • Início gradual dos sintomas sugere processo infeccioso, inflamatório ou obstrução intestinal;
  • Pense em causas de abdome agudo vascular quando a dor é desproporcional aos resultados de exames complementares;
  • A TC é o estudo de escolha na avaliação da dor abdominal indiferenciada.

Curso gratuito em Medicina de Emergência

Confira também nosso CURSO GRATUITO EM MEDICINA DE EMERGÊNCIA.

Perguntas Frequentes:

1 – Quais as principais causas de abdome agudo?

Volvo intestinal, aneurisma de aorta abdominal, diverticulite, apendicite, bridas intestinais, colecistite e pancreatite.

2 – Quais os principais sinais semiológicos relacionados a abdome agudo?

Sinal de Jobert, de Murphy, Blumberg, Rovsing e sinal de Carnett.

3 – Qual o exame de imagem mais indicado na avaliação da dor abdominal inespecífica?

Tomografia computadorizada!

Referências:

Kendall, J. & Moreira, M. (2020). Evaluation of the adult with abdominal pain in the emergency department. In R Hockberger (Ed.). Uptodate.

Twonsend CM et al. SABISTON – TRATADO DE CIRURGIA. 18° Edição. Elsevier;. Rio de Janeiro – RJ. 2010

Monteiro A, Lima C e Ribeiro E. Diagnóstico por imagem no abdome agudo não traumático. Revista do Hospital Universitário Pedro Ernesto, UERJ, 2009.

Crédito:

Pessoas vetor criado por pch.vector – br.freepik.com