Histologia

Tecido Cartilaginoso: o que é e quais são os componentes

Tecido Cartilaginoso: o que é e quais são os componentes

Compartilhar
Imagem de perfil de SanarFlix

O Tecido Cartilaginoso, ou cartilagem, é um tipo especializado de tecido conjuntivo que possui uma matriz extracelular firme e flexível, resistente a tensões mecânicas.

Este tecido possui células especializadas – condroblastos – que secretam a matriz extracelular na qual, posteriormente, ficam presas e passam a ser chamadas de condrócitos. As cavidades da matriz, ocupadas pelos condrócitos, são chamadas de lacunas, podendo conter uma ou mais células.

Definição de Tecido Cartilaginoso

O Tecido Cartilaginoso é um tipo de tecido conjuntivo formados por dois tipos de células, condroblastos e condrócitos e uma abundante matriz extracelular.

A denominação “tecido conjuntivo” corresponde a um grupo de diversos tecidos com variadas funções, geralmente associados a interação entre outros tecidos, conferindo-lhes sustentação.

O tecido conjuntivo compreende um tecido tradicionalmente conhecido como “tecido conjuntivo propriamente dito” e um amplo grupo de “ tecidos conjuntivos especiais” – adiposo, cartilaginoso, ósseo, sanguíneo e hematopoiético. De modo geral, são originários de células do mesênquima embrionário e apresentam uma matriz extracelular abundante.

Componentes do Tecido Cartilaginoso

O sufixo “blasto” indica que a célula está em crescimento ou secretando matriz extracelular ativamente, enquanto o sufixo “cito” indica que a célula é diferenciada, em baixa atividade de síntese.

Os condroblastos são células alongadas, com pequenas projeções que aumentam sua superfície, facilitando as trocas com o meio. Apresentam núcleo grande, com nucléolo proeminente e citoplasma basófilo, devido ao retículo endoplasmático rugoso desenvolvido para a síntese das proteínas da matriz. Apresentam também um aparelho de Golgi desenvolvido, numerosas mitocôndrias e uma abundância de vesículas de secreção.

Os condrócitos são mais esféricos, mas a sua superfície também é irregular. Exibem núcleo ovoide, predominantemente eucromático. Os condrócitos ativos na produção da matriz extracelular exibem áreas de basofilia citoplasmática, que representam o retículo endoplasmático rugoso bem desenvolvido para a síntese proteica, bem como áreas claras que representam o grande complexo de Golgi.

Há poucas mitocôndrias, o que reflete a obtenção de energia a partir da glicólise anaeróbica. Nas células mais velhas e menos ativas, o complexo de Golgi é menor; as áreas claras de citoplasma, quando evidentes, indicam geralmente locais de gotículas de lipídeos extraídas ou reservas de glicogênio. Os condrócitos são células secretoras de colágeno, principalmente do tipo II, proteoglicanos e glicoproteínas.

HORA DA REVISÃO! O material genético das células eucarióticas é representado pelo DNA, dividido em cromossomos que se encontram, normalmente, associados a proteínas. Essa associação constitui um complexo de DNA e proteínas conhecido como cromatina. No período interfásico, isto é, em que a célula não encontra-se em divisão celular, a cromatina pode ser distinta em eucromatina, na sua forma descondensada, correspondendo a regiões em transcrição ativa, e heterocromatina, com regiões do material genético que não estão envolvidas na transcrição, podendo mostrar-se bastante densa nas colorações ao microscópio de luz ou mesmo ao microscópio eletrônico. Nesse sentido, quando a eucromatina predomina, denomina-se o núcleo como eucromático, indicando uma célula com alta atividade metabólica. Por outro lado, quando a heterocromatina predomina, o núcleo é definido como heterocromática e a célula mostra baixa atividade metabólica.

A cartilagem não contém vasos sanguíneos, linfáticos ou nervos. Nesse sentido, suas células recebem nutrientes a partir de vasos sanguíneos presentes nos tecidos conjuntivos que envolvem a cartilagem, por difusão na matriz.

A matriz extracelular do tecido cartilaginoso é composta por fibrilas colágenas (colágeno do tipo II), fibras elásticas e/ou colágenas (colágeno do tipo I), agregados de proteoglicanos (proteínas + glicosaminoglicanos), ácido hialurônico e glicoproteínas de adesão.

Como o colágeno e a elastina são flexíveis, a consistência firme das cartilagens se deve, principalmente, as ligações eletrostáticas entre os glicosaminoglicanos sulfatados e o colágeno, e a grande quantidade de moléculas de água presas a estes glicosaminoglicanos, o que confere turgidez a matriz.

O pericôndrio é uma bainha de tecido conjuntivo denso não modelado que cobre a maior parte da cartilagem, composto de células morfologicamente indistinguíveis dos fibroblastos. Quando está em crescimento ativo, o pericôndrio aparece subdividido em uma camada fibrosa externa e uma camada celular interna, que dá origem a novas células cartilaginosas, isto é, os condroblastos. O pericôndrio é responsável pela nutrição, oxigenação e eliminação de resíduos metabólicos da cartilagem.

SE LIGA! A cartilagem articular constitui a cartilagem hialina que recobre as superfícies articulares das articulações móveis. Em geral, a estrutura da cartilagem articular assemelha-se a da cartilagem hialina. No entanto, a superfície livre ou articular é desprovida de pericôndrio. Do mesmo modo, na superfície oposta, a cartilagem entra em contato direto com o osso e, portanto, também não é revestida de pericôndrio.

SE LIGA! Nas cartilagens presentes em articulações sinoviais, a nutrição deste tecido é feita por difusão pelo líquido sinovial.

Posts relacionados: