Anatomia de órgãos e sistemas

Tecidos linfoides: Tudo sobre os Tecidos e Órgãos linfoides

Tecidos linfoides: Tudo sobre os Tecidos e Órgãos linfoides

Compartilhar

Confira um artigo completo que falamos sobre Tecidos Linfoides para esclarecer todas as suas dúvidas. Ao final, confira alguns materiais educativos para complementar ainda mais os seus estudos.

Boa leitura!

Tecidos linfoides e o Sistema Linfático

O sistema linfático corresponde a uma complexa rede de vasos, que transporta a linfa do final dos capilares sanguíneos até o sistema circulatório, nos ductos torácicos direito e esquerdo.

O sistema linfático auxilia na drenagem dos fluidos dos tecidos corporais, na absorção de ácidos graxos e transporte de gordura para o sistema circulatório, além de ser um importante componente do sistema imunológico.

A Linfa e os Vasos Linfáticos

Imagem ilustrativa e explicativa sobre o fluxo da linfa.

Imagem: O fluxo da linfa. Fonte: https://bit.ly/3al0LfX

O fluxo da linfa se inicia nos capilares linfáticos terminais, que apresentam entre 10 e 50 micrômetros de diâmetro e têm fundo cego. Eles são estruturalmente compostos por uma camada de endotélio e uma lâmina basal incompleta, apresentando uma “folga” de 14 micrômetros, que os torna extremamente permeáveis a proteínas plasmáticas e partículas de carbono. Além disso, os capilares linfáticos apresentam filamentos de ancoragem, que os mantêm abertos em locais de pressão externa alta.

As grandes partículas transportadas pela linfa incluem produtos do metabolismo celular, vírus, bactérias e outros detritos celulares, que são literalmente drenados e filtrados para que possam retornar à corrente sanguínea. O sistema de fluxo linfático é unidirecional, ou seja, assim que a linfa entra no capilar linfático, ela segue um sentido único até o ducto torácico.

Para isso, os capilares linfáticos drenam para os vasos coletores e, depois, para os troncos linfáticos aferentes. Os vasos linfáticos maiores apresentam uma camada de células musculares lisas, além de pequenas válvulas semilunares, que se fecham, impedindo o retorno da linfa.

SE LIGA! O sistema linfático possui uma grande importância clínica, pois permite também o transporte de vírus, bactérias e células, inclusive células tumorais, por todo o corpo, sendo um importante disseminador de infecções e metástases.

Imagem ilustrativa e explicativa sobre a estrutura de um vaso linfático, mostrando as válvulas de fluxo unidirecional.

Imagem: Estrutura de um vaso linfático, mostrando as válvulas de fluxo unidirecional. Fonte: Google Imagens.

A linfa é movida pelo sistema linfático por meio da compressão gerada por movimentos do músculo esquelético (incluindo a respiração pulmonar), que segue em fluxo unidirecional do interstício até o ducto linfático direito e o ducto torácico, do lado esquerdo. Caso não existisse o sistema linfático, o sistema cardiovascular entraria em choque pela perda de líquido para o interstício, gerando um edema maciço.

Imagem ilustrativa e explicativa do Ducto linfático direito e ducto torácico.

Imagem: Ducto linfático direito e ducto torácico. Fonte: https://bit.ly/3axBS0Z

O ducto linfático direito conecta os vasos linfáticos do braço direito e o lado direito da cabeça, pescoço e tórax, com o ângulo venoso direito (junção entre a subclávia direita e a jugular interna direita). Já o ducto torácico conecta os vasos linfáticos dos membros inferiores, abdome, braço esquerdo, lado esquerdo da cabeça, pescoço e tórax, com o ângulo venoso esquerdo (junção entre a veia subclávia esquerda e a jugular interna esquerda).

SE LIGA! A cisterna do quilo é uma dilatação na origem do ducto torácico, formada pela confluência de três grandes troncos linfáticos: tronco linfático intestinal, tronco linfático lombar direito e tronco linfático lombar esquerdo. Sua importância é devido a grande drenagem de gordura proveniente da absorção intestinal.

Os Órgãos Linfoides

Os órgãos e tecidos linfoides compõem, juntamente com os vasos linfáticos, o sistema linfático. Eles são responsáveis pela produção, maturação e transporte de células de defesa do organismo.

Os órgãos linfoides são classificados em duas categorias:

  1. Órgãos linfoides primários (centrais): responsáveis pelo desenvolvimento e maturação dos linfócitos, os transformando em células maduras e imunocompetentes. São representados pelo fígado fetal, medula óssea pré natal e pós natal e pelo timo.
  2. Órgãos linfoides secundários (periféricos): responsáveis por formar o ambiente adequado para que células imunocompetentes possam interagir umas com as outras, com antígenos e com outras células, para montarem uma resposta imunológica adequada. São representados pelos linfonodos, baço e pelos tecidos linfoides associados às mucosas.

Posts relacionados:

Compartilhe com seus amigos: