Medicina do Esporte

Lesões em jogos de futebol: passo a passo para o atendimento

Lesões em jogos de futebol: passo a passo para o atendimento

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar Pós Graduação

Entenda quais são as principais lesões em jogos de futebol, o que as causa e quais são os primeiros cuidados ofertados ao jogador. Bons estudos!

As lesões em jogos de futebol são situações comuns durante as partidas. Embora a maior parte das que assistimos sejam as grandes partidas televisionadas, é corriqueiro que pacientes cheguem à emergência ou consultório queixando-se de uma lesão durante um jogo de futebol.

Lesões mais comuns em jogos de futebol

Se tratando do futebol profissional ou amador, as lesões em jogos de futebol são muito semelhantes. É evidente que o grau da lesão pode variar grandemente e, por isso, algumas podem se recuperar naturalmente e outras exigem mais cuidados.

Independente da gravidade da lesão, ela sempre é uma ocorrência lamentável na vida do jogador. Isso porque qualquer lesão vem acompanhada de custos físicos, emocionais e econômicos inevitáveis.

As principais lesões em jogos de futebol podem ser de origem:

  • Óssea;
  • Muscular;
  • Ligamentar;
  • Articular;
  • Por excesso de uso.

Incidência das lesões em jogos de futebol

Em 2019, um estudo liderado pelo cientista da University South Gales, Steven Jones, concluiu que de todas as lesões em futebol, as mais comuns são em membros inferiores. Dentre elas, 23% são de coxa, 17% de tornozelo e 14% de joelho.

Um outro estudo, dessa vez brasileiro, realizado em 2021, concluiu dados mais robustos, sendo eles:

  • Membros inferiores: 87%;
  • Em região de quadril/virilha: 9,8%;

Quanto ao mecanismo da lesão, esse estudo concluiu que:

  • Ruptura/estiramento muscular: 37%;
  • Entorse/ligamento: 19,6%;
  • Corrida/sprint (33,7%);
  • Chute (12%);
  • Salto/aterrissagem (6,5%).

É fato que a grande parte das lesões, cerca de 74%, não é causada pelo contato com outro jogador, ou objeto.

Dinâmica de esporte: como isso interfere na ocorrência de lesões em jogos de futebol?

Em se tratando mais especificamente do futebol profissional, sabe-se que vem passando por muitas mudanças nos últimos anos.

A principal delas se deve às exigências físicas cada vez maiores dos jogadores. Devido às mudanças táticas de jogo, os atletas passaram a buscar atingir um limite muito próximo do máximo. Devido a isso, a predisposição a lesões torna-se muito maior.

Um outro ponto importante acerca das mudanças no futebol oi a redução do espaço de ação dos jogadores. Como resultado disso, o aumento de frequência do contato entre atletas torna as lesões também muito mais facilitadas.

Mudanças recentes positivas para as lesões em jogos de futebol

Com o objetivo de minimizar as lesões no futebol profissional, recentemente mudanças acerca de substituição durante a partida foram feitas.

Elas foram bem vistas do ponto de vista médico, já que representam um cuidado a mais com a saúde dos jogadores.  O Mundial de Clubes de 2020 do Catar marcou o vigor de novas regras de substituição pela FIFA.

Anteriormente à essas mudanças, durante a partida de 90 minutos, o técnico poderia realizar a substituição de 3 jogadores. Os motivos das substituições são diversos, como lesões, mesmo a exaustão dos jogadores ou questão tática.

A mudança atual permite então que em vez de 3 substituições, possam ser feitas 5. Essa alteração de regras favorece a preservação da saúde dos jogadores, permitindo que os mais cansados não sejam levados à exaustão.

Outra alteração dentro desse âmbito é que, caso o jogador substituído tenha suspeita de concussão cerebral, a substituição não é contabilizada. Essa nova regra permite que a partida seja mais justa e que o time não seja penalizado.

Lesões ósseas em jogos de futebol

As lesões ósseas são geralmente devido a fraturas, sendo muito comuns na população atlética.

As fraturas podem ser abertas ou fechadas. A fratura fechada envolve um deslocamento sutil ou nenhum deslocamento ósseo. Como o deslocamento ósseo é quase mínimo, a ruptura muscular não acontece.

Por outro lado, a fratura aberta envolve o deslocamento das extremidades ósseas. Sendo assim, o osso acaba rompendo as os planos anatômicos acima dele. Por ser aberta e exposta, a chance de infecção aumenta muito.

Atendimento do paciente com lesão óssea

Os cuidados com a fratura ou qualquer lesão deve ter como prioridade a chegada do paciente ao hospital, com a imobilização necessária.

Algumas fraturas podem não ser identificadas ao exame completo do paciente, devendo ser confirmada por meio de exames como raio X. É importante que, ainda que durante o exame, a tala de imobilização seja mantida.

Ao exame físico a dor é exacerbada pela palpação à fratura. Nas abertas, a deformidade devido ao trauma costuma ser evidente, e chamam mais atenção ao exame físico.

Os principais pontos do tratamento definitivo são:

  1. Aliviar a dor do paciente;
  2. Obter e manter uma posição confortável dos fragmentos, reduzindo a fratura;
  3. Manter a redução e imobilização, seja com gesso ou fixação cirúrgica;
  4. Restaurar a função máxima possível do osso e articulações envolvidas.

A redução da fratura é a conduta de realinhar os fragmentos fraturários, a fim de manter a função musculoesquelética ou mesmo estética.

Lesões em jogos futebol
Figura 1: Fratura de Neymar, Copa do Mundo de 2014.

Uma fratura que repercutiu imensamente no mundo do futebol foi a do jogador Neymar, no ano de 2014. Essa fratura foi responsável pela impossibilidade da continuação do jogador no campeonato. A fratura ocorreu no processo transverso da vértebra L3.

Como realizar a redução da fratura?

Como explicamos, as reduções ocorrem de maneira a alinhar a o fragmento fraturado.

Considerando a grande dor sentida pelo paciente devido ao trauma, a redução ocorre sob anestesia local ou até mesmo geral. De preferência, é importante que a o realinhamento seja feito por um profissional experiente.

Para realizar a redução, um auxiliar deve segurar uma extremidade, principalmente no momento da tração. Após isso, uma radiografia com duas incidências deve ser solicitada.

Lesões musculares em jogos de futebol

Quanto às lesões musculares, podem ser classificadas quanto à ação, funcionalidade e quanto ao agente agressor.

As lesões musculares quanto à ação, podem ser de forma direta ou indireta. As lesões diretas são aquelas devido ao contato entre os jogadores. Por outro lado, as indiretas são mais comuns em dinâmicas individuais.

A funcionalidade pode ser parcial, onde o músculo perde força especialmente ao se contrair. Seguindo a lógica, as totais são as que, além da perda de força muscular, a mobilidade articular também é comprometida.

Quanto ao agente agressor, pode ser de cunho traumático e não traumático. Quando por agente traumático, podem-se ser por estiramento ou distensão ou ainda por contusão. Já por agente atraumático, tem-se a cãibra e a dor muscular tardia.

No estiramento ou distensão, a unidade músculo-tendão é excessivamente estirada ou forçada a se contrair, contra à resistência excessiva. A contusão, por sua vez, é uma lesão por compressão, devido a um trauma e resposta inflamatória.

Atendimento do paciente com lesão muscular

O atendimento da lesão muscular segue um mnemônico conhecido como PRICE (proteção, repouso, gelo, compressão local e elevação do membro acometido).

O repouso do músculo afetado é feito com o uso das chamadas órteses, sejam muletas, tipoias ou estabilizadores articulares.

Apesar do que se pensa, de que a imobilização deve ser mantida por todo o tempo de recuperação, não é o que deve-se fazer. Por isso, deve-se sim permitir que, dentro dos limites seguros, o paciente tenha movimento da articulação, a fim de que a lesão não seja ampliada.

Lesões ligamentares em jogos de futebol

As lesões ligamentares são mais comumente relacionadas ao entorse ligamentar.

O entorse se trata de um dano a um ligamento (tecido que liga um osso a outro), que fornece suporte a uma articulação. O ligamento possui uma função tripla:

  1. Proporcionar estabilidade a uma articulação;
  2. Controlar posição de um osso em relação ao outro;
  3. Fornecimento de informação proprioceptiva para as terminações nervosas.

Os entorses podem ser classificadas em graus de gravidade, sendo:

  • 1º grau:
    • Estiramento ou até ruptura das fibras ligamentares, apesar de não haver instabilidade articular.
  • 2º grau:
    • Nesse grau, existe uma certa ruptura das fibras, com instabilidade moderada da articulação. Os sinais flogísticos moderados são esperados, como edema e rigidez.
  • 3º grau:
    • Aqui a ruptura do ligamento é total, com grande instabilidade articular. Nesse caso, os sinais flogísticos são intensos, como muito edema e dor aguda.

Atendimento do paciente com lesão articular

Para os cuidados iniciais da lesão articular deve-se manter o repouso, compressas de gelo e o uso de AINES associados à analgésicos. Esses cuidados iniciais são especiais nas primeiras 24h desde a lesão.

Até a consulta médica, é importante que seja mantido o repouso e a aplicação de gelo no local.

Para evitar as lesões articulares no futebol, é importante que antes do jogo sejam feitos aquecimentos, alongamentos pós-treino e a aplicação de compressas frias.

Posts relacionados

Perguntas frequentes

  1. Quais são as lesões em jogos de futebol mais frequentes?
  • Óssea;
  • Muscular;
  • Ligamentar;
  • Articular;
  • Por excesso de uso.

2. Ao que se deve a grande incidência das lesões em jogos de futebol?
Grande parte das lesões se deve às exigências físicas aos jogadores, além do grande contato durante as partidas.

3. Qual é a conduta diante das lesões musculares em jogos de futebol?
Para lembrar o protocolo de atendimento das lesões musculares temos o mnemônico PRICE (proteção, repouso, gelo, compressão local e elevação do membro acometido).

Referências

  1. Lesões no futebol: uma revisão. Priscilla Bertoldo Santos (UFPR).
  2. INCIDÊNCIA DE LESÕES EM JOGADORES DE FUTEBOL – MAPPINGFOOT: UM ESTUDO DE COORTE PROSPECTIVO. Felix Albuquerque Drummond (Instituto de Medicina do Esporte, Porto Alegre-RS).