Hematologia

Resumo Eritropoiese: processo, componentes e mais!

Resumo Eritropoiese: processo, componentes e mais!

Compartilhar

Sanar

6 min há 65 dias

Definição

Eritropoiese é o processo de produção e de maturação dos glóbulos vermelhos (eritrócitos/hemácias) que ocorre na medula óssea através das células tronco hematopoiéticas. Em fetos ou pacientes com anemias graves esse processo ocorre no fígado ou baço (eritropoese extramedular).

Processo de Eritropoiese

Ocorre na medula óssea e é dividida em 03 etapas:

  • Diferenciação: Onde uma célula pluripotente, sob estímulos específicos, se diferencia em linhagem mielóide. Essa linhagem mielóide pode formar os leucócitos, megacariocitos e os eritrócitos. Posteriormente, sob estímulo do Fator Estimulador de Colônia de granulócitos, IL-3 e na presença de Eritropoietina, a linhagem mielóide se diferencia em Eritrócitos.

A primeira célula da linhagem eritroide é o rubiblasto.

  • Muliplicação (Proliferação) – Ocorre uma série de mitoses sequenciais que vão transformar o rubriblasto em metarrubrícito, na seguinte sequencia:

Rubriblastos – Pró-rubriblastos – Rubrícito basofílico – Rubrícito policromático – Metarrubrícito

  • Maturação: Nessa fase o metarrubrícito vai se diferenciar em eritrócito que posteriormente, com adição de hemoglobina, se diferencia em eritrócito.

Metarubrícito – Reticulócito – Eritrócito

Na fase de maturação acontecem uma série de mudanças conformacionais que envolvem enucleação, perda de DNA, e produção de hemoglobina.

A perda do núcleo caracteriza a maturação do metarrubrícito para o reticulócito. É essa perda do núcleo que faz a hemácia diminuir de tamanho e é estimulada pela presença de vitamina B12, folato/ácido fólico e vitamina B3.

Por esse motivo se eu tenho deficiência de  vitamina B12 ou de ácido fólico, as hemácias continuam grandes, por isso dizemos que é uma anemia megaloblástica com macrocitose.

A afinidade à hemoglobina é mediada por Ferro, Cobre e B6.Esses compostos fazem com que a célula ganhe eosinofilia e se mature de reticulócito para eritrócito.

Ou seja, a presença de ferro faz com que o réticulocito aumente sua afinidade pela hemoglobina podendo assim se diferenciar em hemácia/eritrócito.

Essa hemoglobina faz a célula ficar eosinofílica, rosinha. Por esse motivo, se eu tenho deficiência de Ferro, a afinidade à hemoglobina é menor e consequentemente a eosinofilia é menor também, ou seja, a hemácia fica mais clara, hipocrômica.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAUDE  DEPARTAMENTO DE GENÉTICA E EVOLUÇÃO KAREN SIMO
Processo de Desenvolvimento Celular
FONTE: https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/5526/5577.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Células do Processo de Eritropoiese

As células tronco hematopoiéticas podem se diferenciar em células multipotentes: linfoides (que darão origem aos linfócitos) e em mieloides. As últimas originam além dos eritrócitos, os glóbulos brancos e as plaquetas. Contam com fatores de crescimento – CSF Fator Estimulador de Colônia (CSF) e as Interleucinas/citocinas (ILs) – que dão origem ás unidades formadoras de colônias.

  • Proeritroblasto (12 a 20μm): Unipotente, derivada das mieloides. Possui núcleo ovalado e eucromatina, seu citoplasma é basófilo, e a relação núcleo-citoplasma é alta. Apresentam 1 ou 2 nucléolos, presença de RNAr e outras organelas. A sua síntese de hemoglobina é pouca ou inexistente ;
  • Eritroblasto inicial/basófilo (10 a 15μm): derivada do proeritroblasto por mitose, possui heterocromatina (material genético condensado) e a relação núcleo-citoplasma é mais baixa (difícil visualizar os nucléolos);
  • Eritroblasto intermediário/policromático (10 a 12μm): originada por mitose, heterocromatina grosseira, produção da hemoglobina e coloração acidófila pela eosina;
  • Eritroblasto desenvolvido/ortocromático (8 a 10µ): heterocromatina “grosseira”, originada por mitose, relação núcleo-citoplasma muito baixa, presença de RNAm e polirribossomos que produzem hemoglobina (produção maior que a célula anterior). Expulsão do núcleo, que é fagocitado pelos macrófagos e ausência de mitose, começa o processo de maturação;
  • Reticulócito (8 a 8,5μm): célula anucleada originada por maturação, possui resquícios de cromatina, mitocôndria, RNAm e polirribossomos. Alta concentração de hemoglobina. Permanecem na medula óssea por alguns dias (perdem os corpúsculos citoplasmáticos) e migram para a corrente sanguínea;

Hemácias/eritrócitos (7 a 8μm): célula anucleada madura, formato bicôncavo/halo hemoglobínico (que facilita a sua movimentação, inclusive em lugares estreitos como os capilares), antígenos de superfície (tipo sanguíneo).

FONTE HOFFBRAND e MOSS, 2013

Componentes importantes para Eritropoiese

Eritropoetina (EPO)

Hormônio glicoproteico que regula a eritropoese. Possui sensibilidade à concentração de oxigênio no organismo ela atua estimulando as células mielóides para a produção de eritrócitos, auxiliando a maturação das células, síntese da hemoglobina e aumento da taxa de reticulócitos no sangue. É sintetizada nas células tubulares ou endoteliais peritubulares dos rins, também podem ser produzidas por células hepáticas ou macrófagos da medula óssea.

Hemoglobina e Ferro

A hemoglobina é uma proteína globular quaternária especializada no  transporte de O2 pela corrente sanguínea,. A molécula da hemoglobina é formada por 4 subunidades polipeptídicas (globinas) ligadas ao grupo Heme, que possui um átomo de ferro – o responsável por se ligar ao O2 – e é responsável pela cor vermelha da hemoglobina.

Vitamina B12 e ácido fólico

Ambas vitaminas do complexo B, são importantes na formação do grupo Heme e na hematopoese – auxilia na produção dos glóbulos vermelhos e na manutenção do ferro no organismo.

Posts relacionados:

Referências:

HOFFBRAND, A. V; MOSS, P. A. H. Fundamentos em Hematologia. 6ª ed. Porto Alegre: Editora Artmed, 2013. 430p.

LORENZI, T. F. Manual de Hematologia. 4ª ed. Guanabara Koogan, 2006. 710p.

Compartilhe com seus amigos:
Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.