Ciclos da Medicina

Resumo de Fisiologia das Hemácias | Colunistas

Resumo de Fisiologia das Hemácias | Colunistas

Compartilhar

A eritropoiese compõe uma das etapas da hematopoiese, sendo responsável pelo processo de formação, desenvolvimento e maturação da série vermelha do sangue a partir de um precursor mieloide. Para entender a fisiologia das hemácias, é fundamental compreender a eritropoiese e os fatores nutricionais necessários para a sua formação.

Neste texto irei resumir as etapas da eritropoiese, comentar sobre a importância da eritropoietina e dos fatores nutricionais para que você nunca mais esqueça a fisiologia das hemácias!

Eritropoiese

O Início

A eritropoise tem seu início ainda na vida intrauterina. Nas primeiras semanas do desenvolvimento embrionário, as células vermelhas nucleadas primitivas são produzidas pelo saco vitelínico.

No segundo trimestre da gestação, o fígado, e em menor intensidade o baço e linfonodos passam a exercer essa função. Já perto do nascimento, nos estágios finais de vida fetal, a medula óssea passa a ser o local principal da hematopoiese. Após o nascimento, as células hematológicas são exclusivamente produzidas pela medula óssea.

Etapas da Maturação

A partir da célula tronco, a eritropoiese passa pelas células CFUGEMM (unidade formadora de colônias granulocíticas, eritroides, monocíticas e megacariocíticas), BFUE(unidade de formação explosiva eritroide) e CFUE (unidade formadora de colônia eritroide), até formar o primeiro percursor eritroide com estrutura identificável na medula óssea, o pró-eritroblasto.

Uma vez formado, irá se dividir múltiplas vezes e durante seu processo de maturação duas etapas importantes vão ocorrer. Primeiro acontece a condensação da cromatina nuclear e segundo a hemoglobinização do citoplasma.

À medida que a concentração de hemoglobina vai aumentando, o citoplasma das células vai deixando de ser basofílico (como é o do pró-eritroblasto) e se torna mais próximo ao avermelhado (eosinofílico).

Na ordem de maturação, temos:

  1. Pró-eritroblasto
  2. Eritroblastobasofílico
  3. Eritroblastopolicromatofílico
  4. Eritroblastoortocromático
  5. Reticulócito e Eritrócito (a famosa hemácia).
Figura 1: Etapas da Eritropoiese
https://cadernodefarmacia.blogspot.com/2012/11/eritropoiese.html

O produto final é o eritrócito maduro/hemácia, que possui um formato bicôncavo, sem núcleo e de coloração rósea. Pode-se dizer, que em geral, um pro-eritroblasto origina dezesseis eritrócitos maduros.

A importância da Eritropoeitina

  A eritropoietina (EPO) é uma glicoproteína produzida nos rins, nas células peritubulares renais (90%) e no fígado (10%). Ela atua como fator de crescimento, regulando a produção da linhagem eritróide. Sem a EPO, temos falha na produção de hemácias, causando um estado patológico de anemia.

A EPO vai atuar estimulando a eritropoiese, aumentando o número de células progenitoras. Os fatores GATA-1 e FOG-1 são ativados pelo estímulo ao receptor da EPO e são importantes por intensificarem a expressão de genes eritroides específicos, genes antiapoptóticos e do receptor de transferrina.

As células BFUe e CFUe, têm receptores de eritropoietina, sendo estimulada a proliferar, diferenciar-se e produzir hemoglobina.   

Regulação da Produção

 A produção deste fator de crescimento, eritropoietina (EPO), é estimulada pela tensão de oxigênio nos tecidos renais, estados de hipóxia, irão induzir os fatores que estimulam a produção de eritropoietina, aumentando sua quantidade.

Figura 2. Produção de Eritropoietina pelo rim – Resposta à Hipóxia
Fonte: HOFFBRAND, Vitor. Fundamentos em Hematologia, 6ª Ed. Artmed.

Situações que aumentam a Ertropoietina

Algumas situações vão aumentar o estímulo para a produção de eritropoietina pelos rins. A primeira situação, é na anemia, quando a hemoglobina é incapaz de liberar oxigênio adequadamente por algum motivo metabólico ou estrutural, causando um estado de hipóxia. Outras causas são: disfunção cardíaca, pulmonar ou lesão na circulação renal que afete a liberação de oxigênio ao rim.

Fatores Nutricionais envolvidos na Eritropoiese

A medula óssea necessita de diversos fatores nutricionais, para realizar uma eritropoiese eficaz. Estes são: ferro, cobalto, Vitamina B12, ácido fólico, vitamina B6 e tiamina. A vitamina B12 e o ácido fólico são responsáveis por estimular a proliferação celular, incluindo a síntese de DNA. Portanto sem estes fatores nutricionais, a divisão celular fica prejudicada, como não vai ocorrer a maturação do núcleo.

O ferro e vitamina B6 são importantes para a maturação das células, principalmente na síntese de hemoglobina nos eritroblastos. A deficiência de qualquer um destes fatores pode estar associada à anemia, queda na quantidade de hemácias.

Autora: Maria Isabel Araújo Lima Duque Estrada

Instagram: @MIDE.MED

O texto acima é de total responsabilidade do autor e não representa a visão da sanar sobre o assunto

Gostou do artigo? Quer ter o seu artigo no Sanarmed também? Clique no botão abaixo e participe

Posts relacionados:

Referências:

Hoffbrand, A. V. Fundamentos em hematologia [recurso eletrônico]/A.V, Hoffbrand, P. A. H. Moss; tradução e revisão técnica: Renato Failance – 6. ed. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre: Artmed,2013.

DIAS, Patrícia. Eritropoiese. Caderno de Farmácia. Novembro, 2012. Acesso em: 21/04/2021 <https://cadernodefarmacia.blogspot.com/2012/11/eritropoiese.html>

ALBUQUERQUE, Bernardo. MESSINA, Bruno. ENGEL. Humberto. MARINHO, João. ROCHA, Márcio. Ciclo 1 MEDCURSO Apostila Hematologia vol. 1. 1ª – MEDYKLIN.

Compartilhe com seus amigos: