Internato

O que preciso saber para mandar bem no rodízio de MFC?

O que preciso saber para mandar bem no rodízio de MFC?

Compartilhar
Imagem de perfil de SanarFlix

Tudo que você precisa saber para se preparar para o rodízio de medicina de família e comunidade (MFC): dicas de assuntos, atividades e mais.

O internato é uma fase fundamental na formação de um estudante de medicina, e durante essa etapa, você terá a oportunidade de vivenciar a rotina de diversas especialidades médicas. 

Uma dessas especialidades é a Medicina da Família e Comunidade (MFC), que se dedica à prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças na atenção primária à saúde.

Medicina de Família e Comunidade

A Medicina de Família e Comunidade é uma especialidade médica que tem como objetivo promover a saúde e prevenir doenças em um contexto de cuidado integral.

O médico de Saúde da Família e Comunidade é um profissional que atua em equipes multidisciplinares, com o objetivo de oferecer atenção integral à saúde da população, especialmente em áreas de maior vulnerabilidade social. 

Nos rodízios dessa especialidade, os estudantes poderão atuar em diversos locais, como unidades básicas de saúde, centros de saúde, PSFs, unidades móveis de saúde, entre outros. É importante que você esteja preparado para lidar com diferentes realidades e desafios, como a falta de recursos, a baixa adesão ao tratamento e as barreiras culturais e linguísticas.

Atribuições na MFC

Para mandar bem no rodízio de MFC, o estudante de medicina deverá saber que vai atuar na porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS). Ele deve saber muito sobre o SUS, sua forma de organização, como acontece a referência e a contrarreferência e, ainda deve dominar assuntos básicos da saúde do idoso, adulto, gestantes e crianças. 

Entre as principais atribuições do médico e do interno de Saúde da Família e Comunidade estão: 

  • Realizar consultas médicas;
  • Diagnósticos, prescrições de tratamentos e encaminhamentos para outros serviços de saúde quando necessário;
  • Acompanhar o desenvolvimento de crianças e gestantes;
  • Desenvolver atividades de promoção da saúde e prevenção de doenças junto à comunidade; 
  • Realizar procedimentos simples, como curativos, suturas e retirada de pontos;
  • Realizar exames clínicos, como exames físicos e de rotina;
  • Fazer visitas domiciliares para acompanhamento de pacientes com dificuldade de locomoção ou que precisem de atendimento no ambiente domiciliar;
  • Realizar ações de prevenção, como vacinação, orientações sobre hábitos saudáveis e prevenção de doenças;
  • Participar de ações de vigilância epidemiológica, como identificação e monitoramento de doenças infectocontagiosas;
  • Encaminhar pacientes para atendimento especializado em outras áreas da saúde, quando necessário.

Além desses procedimentos, é importante destacar que o médico de Saúde da Família e Comunidade deve estar preparado para lidar com a diversidade de demandas de saúde da população, especialmente em áreas de maior vulnerabilidade social. Por isso, é fundamental que esse profissional esteja sempre atualizado e em constante aprendizado, para oferecer um atendimento de qualidade e eficiente para a população.

Principais patologias encontradas no rodízio de MFC

No Brasil, as doenças mais prevalentes na rotina do médico de família e comunidade incluem:

  • Hipertensão arterial;
  • Diabetes;
  • Doenças respiratórias;
  • Doenças infecciosas e parasitárias;
  • Além de doenças crônicas não transmissíveis, como câncer e doenças cardiovasculares.

Assim, é preciso dominar o diagnóstico e tratamento de cada uma dessas patologias. Estejam sempre atualizados com as diretrizes que são disponibilizadas pelas Sociedades Brasileiras de cada uma das especialidades que direcionam o estudo dessas doenças. 

Como mandar bem no rodízio de MFC?

Além de tudo que falamos, para mandar bem no rodízio de MFC, é importante que você esteja preparado para atender os pacientes de forma integral e humanizada, levando em conta as particularidades de cada caso. 

Para se destacar no rodízio de MFC, é fundamental que você demonstre interesse e dedicação, participando ativamente das atividades propostas, buscando aprender com os casos clínicos e trocando experiências com os demais profissionais da equipe.

 Além disso, é importante que você desenvolva habilidades de comunicação e empatia, buscando estabelecer uma relação de confiança com seus pacientes e suas famílias.

Por fim, lembre-se de que a Medicina da Família e Comunidade é uma especialidade extremamente importante e desafiadora, que exige do médico não apenas conhecimentos técnicos, mas também sensibilidade, comprometimento para cuidar das pessoas em todas as fases da vida. 

Saiba onde encontrar os melhores conteúdos para estudar para o internato

Se você é um estudante de medicina, sabe o quanto pode ser desafiador equilibrar as demandas do internato com a necessidade de continuar aprendendo e se atualizando. Felizmente, há uma solução: a plataforma Sanar Flix.

O Sanar Flix é a maior parceira do estudante de medicina. Ela oferece tudo que você precisa em um só lugar para otimizar seus estudos. Além disso, ainda garante um desempenho excelente durante o internato.

Com uma ampla variedade de recursos disponíveis, o Sanar Flix é o companheiro ideal para quem busca conhecimento e aprimoramento constante na área médica.

Tudo isso, em um ambiente digital, que permite que você estude onde e quando quiser, seja pelo celular, tablet ou computador.

Basta clicar na imagem abaixo para conhecer o melhor amigo do estudante de medicina:

Sugestão de leitura complementar

Assista ao vídeo

Referências

  1. ALMEIDA FILHO, N.; PAIM, J. S. Saúde coletiva: teoria e prática. Rio de Janeiro: Medbook, 2013.
  2. CAMPOS, G. W. S. Tratado de saúde coletiva, 2ª edição. São Paulo: HUCITEC, 2012.
  3. LIMA, I.C.V. et al. Análise do Internato em Medicina da Família e Comunidade de uma Universidade Pública de Fortaleza-CE na Perspectiva do Discente. ARTIGO ORIGINAL • Rev. bras. educ. med. 44 (01) • 2020 • ttps://doi.org/10.1590/1981-5271v44.1-20190211 
  4. MCWHINNEY, I. R. Manual de medicina de família e comunidade. Porto Alegre: ArtMed, 2010.