Especialidades

Reumatologia: residência, duração, salário, atuação e mais!

Reumatologia: residência, duração, salário, atuação e mais!

Índice

A reumatologia é a especialidade médica que se ocupa das doenças reumáticas. Essas patologias acometem os tecidos conjuntivos, que são as articulações, ossos, músculos, tendões e ligamentos.

A área de atuação do reumatologista é algo muito questionado – e a resposta também é incerta. A inflamação é o ponto comum entre as doenças reumatológicas, no entanto, ela pode ocorrer em qualquer órgão e, às vezes, de forma simultânea em diversos sistemas.

O resultado são quadros clínicos complexos, que exigem conhecimento amplo da clínica médica para o diagnóstico e tratamento adequados.

Neste artigo, você vai saber mais sobre essa especialidade, conhecendo a rotina do profissional, o mercado de trabalho e a residência médica em reumatologia. Continue lendo!

O especialista e sua rotina

Como você já sabe, a reumatologia é uma especialidade que tem um conceito bastante amplo e a inflamação é uma questão presente nas doenças reumatológicas. Muitas vezes, ela tem origem autoimune.

As principais doenças acompanhadas pelo reumatologista são classificadas pelo mecanismo de lesão:

  • doenças difusas do tecido conjuntivo: lúpus sistêmico, artrite reumatóide, esclerose sistêmica, doença muscular inflamatória, policondrite recidivante, doença mista do tecido conjuntivo, Síndrome de Sjogren;
  • doenças osteometabólicas: osteoporose, doença de Paget, osteomalácia, hiperparatireoidismo;
  • vasculites sistêmicas: poliangeíte granulomatosa, arterite temporal, poliarterite nodosa, entre outras;
  • doenças degenerativas: osteoarterite;
  • reumatismos extra-articulares: fibromialgia, bursites, tendinites, fasceíte plantar;
  • espondiloartrites;
  • artropatias microcristalinas: gota e condrocalcinose;
  • artropatias reativas: febre reumática, doença Lyme, hepatite C, artrites infecciosas, osteomielite;
  • artropatias secundárias e doenças não reumáticas: diabetes, neoplasias, hipotireoidismo;
  • artropatias intermitentes: reumatismo palindrômico, febre familiar do mediterrâneo.

Um reumatologista pode atuar em diversas áreas: realizando ultrassonografias e procedimentos invasivos ou em laboratórios, estudando técnicas de determinação de genes, anticorpos etc. Também existe a possibilidade de trabalhar na indústria farmacêutica, em pesquisas clínicas ou na criação de novas drogas.

Alguns reumatologistas também atuam em centros de infusão, onde são aplicados alguns imunobiológicos de administração endovenosa, que requerem acompanhamento com médico e enfermeiro responsáveis. 

Apesar de diversos avanços tecnológicos na área nos últimos anos, a reumatologia ainda é uma especialidade essencialmente clínica. Por isso, exige conhecimentos básicos de anamnese e exame físico, além do apreço pelo contato direto com o paciente. 

Os pacientes com doença degenerativa costumam ter idade mais avançada, enquanto as doenças autoimunes acometem adultos jovens e pessoas de meia idade. Geralmente, os pacientes têm evolução crônica e são acompanhados pelo profissional durante muitos anos no consultório – é raro que precisem ser internados.

Mercado de trabalho e remuneração

Pelas características que falamos acima, é comum que o reumatologista vivam apenas com o trabalho em consultório. Por conta da natureza crônica da maioria das doenças, os pacientes costumam ser fiéis a um especialista, criando uma relação de confiança e reconhecimento.

No Brasil, há 2.383 reumatologistas titulados pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Desses, 54,8% atuam na região sudeste, 16% no sul, 15,4% no nordeste, 9,7% no centro-oeste e 4% no norte do país. 

Há déficit de reumatologistas no sistema público, em ambulatórios de especialidade. Nas regiões do Brasil onde há menor concentração de especialistas também é possível encontrar boas propostas de trabalho.

Remuneração

De acordo com um levantamento feito pelo site Salário, a renda média bruta de um reumatologista no Brasil é de R$ 6.710,91 para uma jornada de trabalho de 22h semanais. Já uma pesquisa feita pelo site Trabalha Brasil indica que o salário pode variar de R$ 4.146,82 a R$ 17.109,68, a depender da experiência do profissional e da área de atuação.

Residência médica em reumatologia

A residência médica em reumatologia tem duração de dois anos e pré-requisito de outros dois anos de residência em clínica médica. A carga horária de 60h semanais é dividida da seguinte forma: 50% em atividades ambulatoriais e 50% em unidades de internação e interconsulta, medicina física e reabilitação, estágios complementares em ortopedia, reumatologia pediátrica e laboratório.

Não existe subespecialização em reumatologia, mas é comum que quem opte pela carreira acadêmica aprofunde seus conhecimentos em determinadas doenças, fazendo mestrado, doutorado e outros cursos de aprimoramento.

Para escolher o programa de residência médica em reumatologia ideal, é importante avaliar os seguintes critérios:

  • corpo docente;
  • estrutura do ambulatório;
  • possibilidade de avaliação de pacientes internados ou
  • leitos de enfermaria disponíveis para a especialidade;
  • existência de laboratório que realize testes de autoimunidade.

Também é importante que o programa proporcione aprendizado nas áreas de ortopedia, controle de dor, reabilitação e fisiatria, laboratório, medicina do esporte, radiologia, ultrassom e procedimentos invasivos.

A reumatologia é uma área em crescimento. A evolução tecnológica e os novos conhecimentos permitiram o desenvolvimento de novas terapêuticas e modificou a morbimortalidade das doenças reumatológicas. Entretanto, ainda há muitos questionamentos sobre essas doenças, o que abre um amplo campo para estudos. 

Se você se interessa por essa especialidade e pensa em fazer residência médica em reumatologia, conheça a melhor maneira de se preparar para as provas!

Links relacionados:

Confira o vídeo:

Política de Privacidade. © Copyright, Todos os direitos reservados.