Residência Médica

As melhores residências em Ginecologia e Obstetrícia

As melhores residências em Ginecologia e Obstetrícia

Compartilhar
Imagem de perfil de Sanar Residência Médica

Tudo o que você precisa saber sobre as melhores residências em ginecologia e obstetrícia!

Definir as melhores residências em Ginecologia e Obstetrícia não é tarefa fácil. Todas as regiões do Brasil têm pelo menos uma Residência em Ginecologia e Obstetrícia de referência e reconhecida pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia).

A Ginecologia e Obstetrícia

A especialidade de Ginecologia e Obstetrícia tem como objetivo:

  • Promover a saúde
  • Prevenir, diagnosticar e tratar as afecções relacionadas à mulher, nas diferentes fases da vida, desde a infância até a terceira idade.

A Ginecologia é a área responsável por tratar afecções relacionadas ao sistema reprodutor feminino. Além disso, atua na saúde da mulher de forma geral.

A Obstetrícia estuda a reprodução humana. Nesse sentido, acompanha a mulher durante a gestação, o parto e o puerpério. Sendo responsável por abordar os aspectos fisiológicos e patológicos que envolvem cada fase.

Mercado de trabalho

Em 2018, de acordo com a Demografia Médica no Brasil, foi revelado que havia cerca de 30 mil médicos ginecologistas e obstetras no país. Esse número equivale a 8% do total de médicos registrados. Neste mesmo ano, os recém-formados que optaram pela especialização, formavam 245 no total. 

A Ginecologia e Obstetrícia é uma das especialidades mais completas, com atuação clínica e cirúrgica. O profissional pode atuar em maternidades e hospitais, clínicas e maternidades públicas e privadas, além de atendimento em consultório particular.

O profissional também pode atuar nas seguintes áreas reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM):

  • Endoscopia ginecológica
  • Densitometria óssea
  • Medicina fetal
  • Sexologia
  • Ultrassonografia em ginecologia e obstetrícia
  • Mastologia
  • Reprodução humana.

Além disso, existem outras subespecialidades que, apesar de não reconhecidas oficialmente pelo CFM, têm ganhado espaço no mercado. São elas:

  • Patologia do trato genital inferior
  • Uroginecologia
  • Oncoginecologia
  • Endocrinologia ginecológica

O salário desse profissional pode chegar a R$ 11.675 por 20 horas semanais de trabalho.

A Residência Médica em G.O.

Os programas de residência em Ginecologia e Obstetrícia tem duração de 3 anos. Durante o período o residente atua em hospital geral, maternidade, unidades básicas de saúde, enfermarias, centro cirúrgico e centro obstétrico.

A residência apresenta carga horária de 60 horas semanais, sendo 80-90% da carga horária de estágios práticos. O tempo restante é dirigido a atividades teórico-pedagógicas complementares.

O primeiro ano de residência, em geral, é voltado à formação obstétrica, com atuação em:

  • Pré-natal de baixo risco
  • Pronto atendimento obstétrico
  • Centro obstétrico
  • Neonatologia
  • Alojamento conjunto
  • Ambulatório de revisão puerperal
  • Atividades em ultrassonografia
  • Nas áreas de ambulatório geral de ginecologia, planejamento familiar, enfermaria e centro cirúrgico.

No segundo ano, a formação contempla mais a área de Ginecologia,
com atuação em ambulatórios especializados, pronto atendimento ginecológico e atividades cirúrgicas de Ginecologia. Na área obstétrica o residente de segundo ano atua em pré-natal de alto risco, pré-natal de adolescentes e no Centro Obstétrico.

No terceiro ano há participação em ambulatórios especializados de Obstetrícia e ambulatórios de mastologia e de oncologia pélvica. Há também treinamento no atendimento de pacientes graves.

O programa oficial da residência é definido pelo Ministério da Educação (MEC) em parceria com a FEBRASGO.

Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia – FEBRASGO

A FEBRASGO foi fundada em 1959 com o objetivo de promover, apoiar e zelar pelo aperfeiçoamento técnico, científico e pelos aspectos éticos do exercício profissional de ginecologistas e obstetras, pautados pelo total respeito à saúde e bem-estar da mulher.

Além disso, é responsável pela organização e divulgação do conhecimento em ginecologia e obstetrícia, para qualificar a atenção à saúde da mulher. Atua no âmbito científico e profissional, promovendo educação e atualização através de informações e diretrizes baseadas em evidências.

Quais os melhores locais para fazer residência médica em ginecologia e obstetrícia?

Determinar a melhor residência em Ginecologia e Obstetrícia, é um trabalho árduo e minucioso. Neste momento apenas apontaremos as melhores com base na expertise dos especialistas e critérios objetivos.

Residência em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital Albert Einstein

O Hospital Israelita Albert Einstein é uma das melhores instituições do país. A instituição dispõe de toda infraestrutura e tecnologia, desde a atenção básica à saúde até o atendimento de alta complexidade.

Os residentes têm participação ativa nas diferentes áreas da especialidade, destacando-se:

  • Pré-natal de alto e baixo risco
  • Ultrassonografia obstétrica
  • Medicina materno-fetal
  • Pronto atendimento ginecológico e obstétrico
  • Atendimento ginecológico em atenção primária à saúde da mulher
  • Cirurgias ginecológicas
  • Oncologia ginecológica
  • Mastologia
  • Uroginecologia
  • Reprodução assistida

Os estágios ocorrem nas unidades do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE), que incluem a:

  • Unidade principal, no Morumbi, o Hospital Municipal Dr. Moysés Deutsch (M”Boi Mirim)
  • Hospital Municipal Vila Santa Catarina (HMVSC)
  • Unidade Básica de Saúde do Parque Regina, no município de São Paulo
  • Escola Paulista de Medicina (UNIFESP –EPM)
  • Centro de Referência da Saúde da Mulher (CRSM) – Hospital Pérola Byington
  • Hospital do Servidor Público Estadual (IAMSPE-HSPE)
  • Projeto Beta de Medicina Reprodutiva.

Há, também, treinamentos no Centro de Simulação Realística (CSR) e no Centro de Experimentação e Treinamento em Cirurgia (CETEC) do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Dessa forma, a residência conta com intensa atividade acadêmica, com reuniões científicas, seminários casos clínicos e oportunidade para desenvolvimento de pesquisa junto ao Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa (IIEP).

Residência em Ginecologia e Obstetrícia na USP

O programa de residência em Ginecologia e Obstetrícia da USP está entre os mais concorridos do país. A instituição oferece atuação teórica e prática em diversos centros de referência da especialidade no estado.

O programa ocorre no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – Universidade de São Paulo (HCFMRP-USP); Centro de Referência da Saúde da Mulher de Ribeirão Preto-MATER (CRSMRP-MATER) e Hospital Estadual de Américo Brasiliense – HEAB. São mais de 3 mil partos por ano e mais de 12 mil consultas ambulatoriais.

Os residentes também atuam em:

  • UTI
  • Enfermarias
  • Pré-natal de baixo e alto risco
  • Ginecologia geral
  • Cirurgias ambulatoriais
  • Ginecológicas
  • Endoscópicas
  • Oncológicas

Como escolher a melhor residência em Ginecologia e Obstetrícia?

A escolha da Residência Médica é uma das decisões mais importantes da carreira do médico. Por isso, é fundamental conhecer as instituições que oferecem a especialidade almejada, possibilitando, assim a melhor escolha.

Na hora de escolher as residências em Ginecologia e Obstetrícia é importante se atentar para programas que ofereçam ampla atuação prática em instituições bem equipadas, bem como, atendimentos nos mais diversos graus de complexidade.

Como já exposto acima, o programa de residência da USP e Albert Einstein é um dos mais completos do país. Além disso, encontram-se em São Paulo, o maior centro referência em saúde e tecnologia do país.

Referências bibliográfica

Sugestão de leitura complementar