Anatomia de órgãos e sistemas

Resumo de sistema nervoso: histologia, SNC, SNP e autônomo

Resumo de sistema nervoso: histologia, SNC, SNP e autônomo

Compartilhar

Definição

O sistema nervoso é um dos principais agentes responsáveis pelas extraordinárias capacidades humanas, além dos processos de perceber, agir, aprender e lembrar. O corpo humano possui mais de 100 bilhões de neurônios, as unidades funcionais deste sistema. Essas células são capazes de receber e transmitir informações por meio de sinapses químicas e elétricas. 

Este sistema é dividido, anatomicamente, em sistema nervoso central (SNC), formado pelo encéfalo e medula espinhal, e periférico (SNP), constituído por nervos e gânglios.  

Histologia do sistema nervoso   

O tecido nervoso é composto principalmente por neurônios e vários tipos de células da glia ou neuroglias. Enquanto os neurônios são responsáveis por transmitir informações, às células da glia sustentam os neurônios e participam de outras funções importantes.

Os neurônios são formados basicamente por um corpo celular e prolongamentos,  dendritos e axônio. No corpo celular encontra-se o núcleo. 

O axônio pode ou não conter a bainha de mielina, uma camada de tecido adiposo que protege e isola eletricamente suas células nervosas. Esta camada é produzida pelos oligodendrócitos no sistema nervoso central e pelas células de Schwann no sistema periférico. A condução do impulso nervoso se dá sempre na direção dendrito, depois corpo celular e, por último, no axônio.

Neurônio
Estrutura do neurônio. Fonte: JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J. Histologia básica. 10ª Ed. Guanabara Koogan S.A. 2004.

Existem neurônios motores, sensoriais e interneurônios. Os neurônios motores controlam órgãos efetores, tais como glândulas exócrinas e endócrinas e fibras musculares. Os neurônios sensoriais recebem estímulos sensoriais do meio ambiente e do próprio organismo. Os interneurônios estabelecem conexões entre outros neurônios, formando circuitos complexos.

As células da glia rececem diferentes denominações a depender da função que exercem. A microglia realiza fagocitose de resíduos, enquanto os oligodendrócitos e células de Schwann fazem o isolamento elétrico dos axônios produzindo a bainha de mielina. Os astrócitos tem importante função de nutrição, sustentação e proteção. 

Sistema nervoso central   

O sistema nervoso central é composto pelo encéfalo e pela medula espinhal. O encéfalo é dividido em telencéfalo, diencéfalo, cerebelo e tronco encefálico. 

Sistema nervoso central

No SNC há uma separação entre os corpos celulares dos neurônios e seus prolongamentos, sendo formadas pela substância branca e a substância cinzenta, respectivamente. 

O encéfalo é protegido pela caixa craniana, enquanto a medula espinhal é pela coluna vertebral.  Além disso, o SNC é protegido por 3 membranas meníngeas, dura-máter (mais externa), aracnóide e pia-máter (mais interna). Entre a aracnóide e pia-máter encontra-se o líquido cefalorraquidiano, responsável pela nutrição e equilíbrio de substâncias no SNC. 

Sistema nervoso periférico 

O sistema nervoso periférico (SNP) é formado pelas estruturas localizadas fora deste esqueleto. Essas estruturas são os nervos, os gânglios e as terminações motoras e sensitivas.

Nervos consistem em cordões esbranquiçados que atuam unindo o SNC aos órgãos periféricos. A depender da porção do SNC que estamos estudando, esse nervo pode ser dividido em: nervos cranianos, caso estejam ligados ao encéfalo, e nervos espinhais, se estiverem ligados à medula espinhal.

Existem doze pares de nervos que inervam principalmente a cabeça e tem origem no tronco encefálico. Estes são chamados de nervos cranianos e fazem resposta tanto ao sistema nervoso periférico quanto ao sistema nervoso central. 

Nervos cranianos
Fonte: NETTER, Frank H.. Atlas de Anatomia Humana. 5ed. Rio de janeiro:Elsevier, 2011. 

No entanto, em relação a sua funcionalidade, os nervos são divididos motores, sensitivos ou mistos (quando sua composição possui fibras tanto sensitivas como nervosas). 

Já os gânglios, correspondem ao aglomerado de corpos neuronais localizados fora do SNC. Da mesma forma que os nervos, os gânglios também são caracterizados como sensitivos ou motores e participam do sistema nervoso autônomo. 

Por fim, as terminações nervosas, localizadas na extremidade das fibras constituintes dos nervos, também segue a mesma divisão: uma motora, formada pela placa motora; e uma sensitiva, composta pelos exteroceptores (recebem estímulos do meio externo), visceroceptores (recebem estímulos dos órgãos internos) e proprioceptores (informam o SNC sobre a posição do corpo ou sobre a força necessária para a coordenação).

Sistema nervoso autônomo

O sistema nervoso, a partir de um viés fisiológico, pode ser dividido em sistema nervoso somático e sistema nervoso visceral. Enquanto o primeiro está relacionado com a forma que o organismo interage com o meio ambiente externo a ele, o segundo está relacionado com o controle das vísceras para homeostasia corpórea.

O componente visceral motor é denominado de sistema nervoso autônomo (SNA), que pode ser dividido quanto ao estímulo em simpático e parassimpático. O simpático responde a situações de estresse estimulando ações como taquicardia e taquipneia, hipertensão, sudorese, hiperglicemia, diminuição da motilidade e digestão. 

O parassimpático, permite ao corpo responder a situações de calma, realizando as ações opostas ao simpático: bradicardia e bradipnéia, anidríase, hipoglicemia, aumento da motilidade e digestão.

Sistema simpático e parassimpático. Fonte: CEPA
Sistema simpático e parassimpático. Fonte: CEPA

Posts relacionados:

Referências:

  1. JUNQUEIRA, L.C.U. & CARNEIRO, J. Histologia Básica. 11ª Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. 524p.
  2. MACHADO, A.B.M. Neuroanatomia Funcional, 3a ed., 2014.
  3. https://midia.atp.usp.br/impressos/redefor/EnsinoBiologia/Fisio_2011_2012/Fisiologia_v2_semana02.pdf
Compartilhe com seus amigos: